Abrir menu principal

Desciclopédia β

Santa Margarida (Minas Gerais)

Cquote1.png Cadê toda a Maconha? E o mato? Cquote2.png

Santa Margarida (Minas Gerais) é um município pequeno e invisível a olho nu e cheio de quebra-molas, buracos e mosquitos, localizado em Minas Gerais. O município está cheio de playboys, apesar do acesso a ele ser praticamente inexistente. A única forma de conseguir chegar ao município é errando o caminho da BR. E é óbvio que só se poderá dizer uma coisa após ter errado o caminho...

Cquote1.png Mas que buraco no fim do mundo eu fui parar? Cquote2.png
Qualquer um sobre ter achado Santa Margarida

HistóriaEditar

A cidade foi fundada por um comerciante. Conta-se que ele quase caiu na malha fina, então fugiu para um lugar onde o leão do imposto de renda não o achasse e forjou uma nova identidade. Como a vida começou a ficar ruim novamente, ele pegou um mato importado da Jamaica quando um casal vindo de lá se perdeu em plena selva, começou a plantar o mato no chão e virou fazendeiro de uma erva conhecida como cannabis.

A vida lá era difícil, tanto que ele próprio consumia o produto para sobreviver tranquilamente. Não demorou muito para que um povoado começasse a crescer nos arredores quando ele passou a vender aquilo como se fosse uma erva medicinal. Apesar de tudo, ele não era um bom traficante, e como já dizia o filme Meu Nome Não É Johnny: "Bom maconheiro não vira escravo do seu produto".

Prova disso foi que ele acabou casando com uma mulher com um saco maior do que o dele, nascida ali mesmo naqueles arredores. Irritados, muitos saíram do município, pois a esposa do traficante era um travesti dos tempos das cavernas.

Ele logo quis afogar as mágoas com café e acabou morrendo de overdose de cafeina, já que lá só tinha café e maconha, passando o reino para a quenga. No final, ela emancipou a cidade para ganhar mais dinheiro ainda como prefeita, elegeu como vice-prefeito o café que plantava e como presidente da câmara de vereadores um desdentado da Família Buscapé.

EconomiaEditar

A cidade produz maconha, e nisso é uma das maiores da região. Como o governo mineiro não liga muito para essas cidades da zona da mata, devido a elas não produzirem nada que não seja mato, ninguém queima a marijuana toda. Enquanto isso, várias pessoas enfiam o "chá" na bunda para poder passar essas coisas para a Europa.

Soa até engraçado. Mas, tirando a economia de agricultor, a cidade não tem outro tipo de economia. É possível dizer facilmente que ela está falida. E é verdade, ela está.

FestasEditar

Devia corrigir essa seção: FESTA. Não "festas". O município não tem sequer carnaval; na verdade, qualquer um que comemore o carnaval na rua em Santa Margarida é considerado um idiota, um retardado, ou ambos. A única festa que se tem ocorre no dia de São Jorge, ou seja, a festa de São Jorge.

Ela segue uma tradição. Todos os homens do vilarejo da província que é Santa Margarida se reúnem na igreja, ou no bar aleatório em que se faz a festa, e vão matar milhares de dragões em uma batalha épica, a qual venera e faz uma homenagem a São Jorge. Há também a opção de você ficar rezando terços em casa para que o Palmeiras ganhe um Mundial, mas parece bem menos cansativo matar dragões na festa de São Jorge.