Abrir menu principal

Desciclopédia β

Santo Amaro do Maranhão

Santo Amaro do Maranhão é apenas um rancho perdido no meio do Maranhão. Atualmente, cerca de 9.000 coitados estão se ferrando nesse rancho. Apesar de possuir como única atração turística as plantações de batata (não, os santoamarenses não possuem bananas), muitos turistas vão até lá dar uma cagada, pois Santo Amaro do Maranhão fica bem próximo dos Lençóis Maranhenses, este que é o único ponto turístico interessante do Maranhão.

Índice

HistóriaEditar

 
Habitantes de Santo Amaro do Maranhão indo para o seu trabalho diário na roça.

Na Idade da Pedra Lascada, Santo Amaro do Maranhão era apenas um quadradinho de terra, que os jesuítas usavam para se esconder das flechas dos índios que não queriam saber de catequisação.

Com o tempo, como os jesuítas eram frequentemente perseguidos pelos indígenas, eles resolveram levantar alguns barracos em Santo Amaro do Maranhão, pois já estavam prevendo que teriam que ficar nesse lugarejo por muuuuuito tempo, se não quisessem virar peneira após serem perfurados pelos armamentos indígenas.

Apesar de, no princípio, os jesuítas terem em mente a levantada apenas de alguns barraquinhos para sobreviverem, a coisa foi mais longe do que eles imaginaram, e, em um momento de empolgação, eles acabaram construindo uns trocentos barracos - O que era uma grande inutilidade, visto que apenas eles habitavam Santo Amaro do Maranhão.

Porém, como todo terreno atrai sem-teto querendo fixar moradia, em pouco tempo, alguns membros do MST chegaram em Santo Amaro do Maranhão, e reivindicaram o direito às terras, visto que o terreno de Santo Amaro do Maranhão não possuía sequer uma plantação. Sem escolha, os jesuítas deixaram que os membros do MST se instalassem por ali, afinal, isso até que poderia ser bom, pois eles poderiam ajudar no desenvolvimento de Santo Amaro do Maranhão.

Mas os jesuítas estavam errados (como sempre). As únicas coisas que os membros do MST ficavam fazendo o dia todo era coçar o saco e ficar dando um tapa na pantera em volta da fogueira.

Com tanta vagabundagem, os jesuítas perceberam que Santo Amaro do Maranhão nunca iria deixar de ser um terreno baldio, e foram embora. Porém, eles se esqueceram que os índios ainda os estavam procurando nas cidades vizinhas. Resultado: Todos os jesuítas morreram, e os seus corpos alimentaram os canibais por cerca de 1 mês.

Enquanto isso, alguns integrantes do MST que eram pelo menos um pouquinho trabalhadores (coisa bem rara), resolveram que estava na hora de botar ordem na bagaça. Mesmo estando com uma preguiça do cão, o líder do MST naquela época disse que, quem não ajudasse a transformar Santo Amaro do Maranhão em uma cidadezinha direita, iria dormir com os peixes. Ao ouvir isso, todo mundo imediatamente se levantou, e começaram as obras de Santo Amaro do Maranhão...

Passados alguns anos, Santo Amaro do Maranhão finalmente ficou pronta, e se tornou uma cidadezinha roceira direita. Ela tem até mesmo alguns playssons e cocotas andando pelas ruas!

EconomiaEditar

Gira completamente em torno dos cachaceiros da região, que ficam gastando em pinga todo o dinheiro que ganharam trabalhando na roça.

EducaçãoEditar

Não é necessário. Para se trabalhar na roça, apenas é necessário saber como é que se segura uma enxada.

TransportesEditar

Em Santo Amaro do Maranhão existe um caminhãozinho que, todas as manhãs, leva o povo para o trabalho na roça. Que perder esse caminhãozinho (que mais se parece com um pau-de-arara) está fudido, e tem que ir até a longínqua roça a pé mesmo - Coisa que demora cerca de dois dias, se for bem rápido.