Sete Desgraças de Portugal

No Wikipedia.png QUEBRARAM A CARA!

Os espertalhões da Wikipédia NÃO têm um artigo sobre Sete Desgraças de Portugal.

As Sete Desgraças de Portugal foram uma iniciativa do governo português, por via de seu órgão de propaganda, em 2007, para melhorar a qualidade do turismo em Portugal, seguindo a declaração das sete novas maravilhas do mundo e das sete maravilhas do mundo Descíclope, com os locais a se evitar quando se visita Portugal. A escolha foi baseada em mais de oito mil monumentos, à qual foi feita uma primeira seleção realizada por peritos que reduziu a lista a cem nomes. Em seguida, foi feita mais uma nova escolha, feita por personalidades como Quim Barreiros e Erica Fontes, de onde saíram vinte finalistas. Durante todo o ano de 2007, foi disponibilizada a votação via SMS. Mais de um milhão de portugueses foram envolvidos nesta votação. O comissário escolhido para apresentar as Sete Desgraças de Portugal foi Fernando Mendes.

Seguindo o sucesso de Os Grandes Portugueses e do primeiro concurso, a RTP anunciou nos anos seguintes concursos similares:

  • As sete desgraças de origem portuguesa no mundo
  • As sete desgraças da natureza em Portugal
  • O pior da gastronomia portuguesa
  • As sete piores praias do país
  • As sete piores aldeias
  • As sete desgraças doces de Portugal
  • As sete desgraças da cultura popular de Portugal

Sete Desgraças de Portugal (2007)Editar

  1. Toda a cidade de Guimarães: Única escolha unânime de todos os jurados profissionais. Conquistou mais de 90% dos votos populares no sul e centro do país, e originalmente ocuparia os sete postos, pois dos vinte finalistas, quinze eram de Guimarães.
  2. Estádio da Luz (Lisboa): Conquistou 90% dos votos na cidade do Porto.
  3. A casa das três primeiras edições do Big Brother Portugal (Lisboa, único monumento que já foi destruído)
  4. Chelas (Lisboa)[1]
  5. Estátua de Lavos em Figueira da Foz: Considerada o maior desperdício de recursos públicos de Portugal.
  6. Poço iniciático de Sintra: Considerado o cu do mundo por grande parte da história de Portugal. Dizem que Jorge Álvares chegou a Macau quando caiu neste buraco por acidente.

Finalistas derrotadosEditar

  1. Estádio Dr. Magalhães Pessoa (Leiria) - eliminado na categoria Desperdícios de Recursos Públicos, onde 90% do orçamento da cidade é consumido para a manutenção de um estádio onde a equipa local nem joga mais devido à suas médias de público de doze pessoas por jogo.
  2. Castelo de Óbitos (Óbidos), a primeira tentativa de um cemitério vertical na história da humanidade.

ControvérsiasEditar

Como a casa do Big Brother Portugal já não existe, há uma forte corrente que propõe que esta Desgraça seja substituída pelo Busto de Cristiano Ronaldo no Aeroporto da Madeira.

 
O Busto de Ronaldo no Aeroporto da Madeira, datado de 2017, substituiria a casa original do Big Brother Portugal

Sete Desgraças de Origem Portuguesa no Mundo (2009)Editar

Após o particular fracasso da primeira votação, a RTP decidiu que a próxima votação teria um controle mais rígido, evitando redundâncias e resultados óbvios/pré-arranjados. Por isto, a votação foi das piores construções feitas por portugueses fora de Portugal.

  1. Toda a cidade do Rio de Janeiro (Brasil)
  2. O Campo do Tarrafal em Cabo Verde
  3. Torre Erecta e Torre Eiffel menstruada em Tóquio (Japão) - onde ocorreram os acontecimentos do quinto episódio de Sailor Pitas, a versão original de Sailor Moon
  4. Fortapiça de Benteng Tolukko (Indonésia)

Sete Desgraças Naturais de Portugal (2010)Editar

Seguindo a melhora de qualidade do concurso anterior, as regras foram afrouxadas, decidindo-se agora escolher os piores pontos da geografia natural portuguesa.

  1. Rio Cagado (Entre Douro e Minho): Um rio morto onde pode-se pescar espécies raras de peixe como o cocó, o cagalhão e a merda, além de organismos raros como a lata de alumínio folheado e até vestimentas.
  2. Monte das Pitas (Algarve)
  3. Rio Sadomaso (Baixo Alentejo)

Sete Desgraças da Gastronomia Portuguesa (2011)Editar

Sete Desgraças de Portugal: Praias (2012)Editar

Sete Desgraças Inventadas em Portugal (2014)Editar

Para este programa, um grupo de cientistas, investigadores e intelectuais elaborou uma lista com uma centena de inventos lusitanos. Os escolhidos, ao final de mais uma votação que gerou milhões de euros aos cofres do governo português, foram:

  1. Munições de efeito retardado: Criadas na época da Guerra Civil Portuguesa, estas balas eram diferentes das munições convencionais pelo fato de que o efeito só surtia após um pequeno atraso, que poderia ser definido pelo atirador. O efeito devastador destas balas pôde ser visto principalmente no teatro alentejano da guerra.
  2. Praxe académica: Um bando de javardos vestidos como ciganos que impõem ao ambiente universitário uma encenação de um campo de trabalhos forçados.
  3. O Jogo: Ainda mais porque toda vez que se aproximas para ler os jornais do dia, tu perdes.
  4. Papel higiênico marrom: Dispensa descrição.
  5. Contra-ataque cardíaco: uma técnica que recuperação de infarto que insiste em causar um infarto ainda maior do que o original.
  6. Churrasqueira a controle remoto: Aperta o número 1 liga.
  7. Calçada portuguesa: A principal razão por trás de inúmeros acidentes, alguns deles fatais, em Portugal todos os anos, principalmente durante a época de chuvas

Sete Desgraças da Flora de Portugal (2015)Editar

  • Flor:
  • Árvore:
  • Fungo:
  • Planta rasteira:
  • Fruto:
  • Erva: Erva fadada - causadora de imensos problemas por ser uma planta cujo pólen tem as mesmas características do sêmen humano, podendo engravidar uma mulher que a toca

Sete Desgraças da Fauna de Portugal (2016)Editar

  • Mamífero: Cavalo-vapor (Equus vaporis) - A menor espécie de equino do mundo, é vista em todo o território português, principalmente em áreas urbanas, onde se alimenta de azeite deixado pelos betos e seus fumarentos do aço. Reúnem-se em grupos de centenas de indivíduos.

O cão da Serra da Estrela ficou com a segunda colocação neste critério, perdendo por seu habitat ser menos variado em relação ao cavalo-vapor. O cãomunista da Serra da Estrela Vermelha foi eliminado do concurso por não ser uma espécie nativa de Portugal, tendo sido criada na União Soviética, onde os cães não adestram, mas esquerdizam A TI!!

  • Réptil: Tartaruga-ninja-de-kemp
  • Ave: Galo de Barcelos (Gallus barcelensis) - Seu habitat natural se resumo à região do Rio Cagado, mas pode ser vista em todo o norte de Portugal, e alguns espécimes já foram vistos na Galiza, ou até mesmo em França. É estimado que aproximadamente cem portugueses morram por ano vítimas de ataques de galos de Barcelos.
  • Inseto:
  • Anfíbio: Drone-da-Marinha (Dronis marinus lusitanicus): A única espécie de anfíbio capaz de voar, embora brevemente, apesar de viver a maioria do seu ciclo de vida embaixo d'água. Pode ser encontrada nos rios e nas praias de todo Portugal continental.
 
O drone-da-marinha, eleito uma das sete desgraças da fauna portuguesa
  • Peixe: Cagalhau - uma espécie que vive exclusivamente no Rio Cagado, famosa por sua carne de cor, aroma e textura características.
  • Espécie não classificada: Avec (Emigrantis azeiteirus): Espécie de verme migratório que se desloca para Portugal no verão para se acasalar e procriar. Deixa trilhas de azeite por onde passa.

Nesta categoria, o avec venceu por muito pouco o fafense, um primata de comportamento e inteligência similares ao pokémon Primeape.

Sete Desgraças de Portugal: Aldeias (2017)Editar

Este concurso, que aconteceu em 2017, foi cancelado no último instante. Existiam sete categorias (Aldeias ribeirinhas, Aldeias rurais, Aldeias de merda, Aldeias remotas, Aldeias que são uma autêntica porcaria, Aldeias monumento e Aldeias em área de proteção), porém as sete categorias foram vencidas por Guimarães de forma unânime, mesmo aquelas na qual esta não estava qualificada. O concurso foi refeito, com a restrição de que apenas locais que não são considerados cidades pela legislação portuguesa poderiam ser eleitos. Os vencedores foram:

  1. Carro Queimado, Vila Real: Venceu a categoria Aldeias remotas. Local de Portugal com maior número de avecs por mil habitantes, 686. A aldeia por si já foi fundada por estes emigrantes retornados de França, que escolheram este nome para celebrar uma das maiores tradições da cultura francesa.
  2. Fail, Viseu: Venceu a categoria Aldeias que são uma autêntica porcaria.
  3. Coito, Viseu: Venceu a categoria Aldeias Monumento por ter sido a sede da Feira da Foda original durante o século XIX.
  4. Canal Caveira, Grândola: Venceu a categoria Aldeias em Área de Proteção por ter sido comprada por um youtuber brasileiro por cinquenta euros na OLX. Anteriormente uma terra sem relevância sequer para ser nomeada, ganhou o nome do canal do youtuber, que foi banido da plataforma em novembro de 2019 por comentários homofóbicos.
  5. Anais, Ponte de Lima: Venceu a categoria Aldeias de merda, pois durante a época das grandes navegações, acreditava-se que esta era a localização do cu do mundo.
  6. Rio Cabrão, Arcos de Valdevez: Venceu a categoria Aldeias ribeirinhas.
  7. Curral de Moinas, Vila Real

Sete Desgraças Doces de Portugal (2019)Editar

  1. Charutos de Cuba (Alentejo)
  2. Bolovo doce de Vizela (Entre Douro e Minho)
  3. Ex-esposas de Viseu (Beiras)
  4. Rosca queimada de Monção (Viana do Castelo): O segundo produto alimentício mais famoso de Monção, servido de sobremesa após a foda.
  5. Cartuchos de Mega Drive de Cernache do Bonjardim (Castelo Branco): Este doce de chocolate é assado usando cartuchos como formas e levado ao forno. Pode conter traços de glúten ou memória ROM. Pode vir com recheios de vários sabores, como baunilha, chocolate branco, FIFA 95 ou Streets of Rage 2
  6. Bolo de Areia de Cascais (Lisboa): Iguaria muito apreciada entre os turistas que visitam as praias da capital portuguesa no verão. Consiste em tentar assar um bolo de chocolate, mas só que usando areia em vez de farinha e colocando o bolo para assar em uma churrasqueira a controle remoto.
  7. Rebuçados de Bacalhau de Horta (Açores)

Sete Desgraças da Cultura Popular Portuguesa (2020)Editar

Concurso concluído em Setembro de 2020. Os vencedores foram:

  • Artesanato: Vibradores das Caldas das Rainha (Leiria).

Finalista: Bonecos de pano de Salazar de Santa Comba Dão (Viseu).

  • Lendas e Mitos: Lenda de Tó Madeira de Gouveia (Guarda).

Finalista: Mito da existência de Leiria (Leiria). Desclassificado por se contradizer, pois, se Leiria não existe, como caralhos existem os caralhos das Caldas?

  • Festas e Feiras: Feira da Foda de Monção (Viana do Castelo).
  • Músicas e Danças: Moda dos cus de Montemor-o-Velho (Coimbra)

Finalista: Dança dos Cus de Cabanas de Viriato (Viseu). Esta votação foi a mais apertada da história, tendo que ser decidida no cara ou coroa após as duas danças anais empatarem em exatamente 50.370 votos.

  • Rituais e Costumes: Erguida do pau do fim-de-semana do pau de Cabeceiras de Basto (Braga). Este ritual acontece no fim de semana do campeonato nacional de jogo do pau que acontece todos os anos em tal cidade.

Finalista: Combate da Coca de Monção (Viana do Castelo). Desclassificado de última hora devido a uma regra não-escrita que existe desde 2010 que determina que uma cidade não pode ser premiada mais de uma vez no mesmo concurso. Neste ritual de combate medieval, dois cavaleiros têm que cheirar uma linha de cocaína enquanto se digladiam, sendo o vencedor aquele que se manter montado no cavalo.

  • Procissões e Romarias: 7 passos de Freixo de Espada à Cinta (Bragança), reconhecida no Guinness Book como a procissão mais curta do mundo.
  • Artefactos: Cadeiras com tesouras de Monchique (Faro): de acordo com a versão oficial, Salazar morreu após se sentar em uma destas cadeiras, que eram usadas como instrumento de tortura pela inquisição.

Concursos FuturosEditar

A RTP já tem marcas registradas para concursos a serem realizados, assim como suas respectivas datas.

  • Sete Desgraças Cinematográficas de Portugal (2021)
  • Sete Desgraças Musicais de Portugal (2022)
  • Sete Desgraças da Televisão Portuguesa (2025)
  • Sete Desgraças Literárias de Portugal (2026)
  • Os Piores Momentos da História de Portugal (2028)[3]
  • As Sete Piores Lendas de Portugal (2030)
  Conheça também a versão oposta de Sete Desgraças de Portugal no Mundo do Contra:

 
  1. Ninguém se atreveu a ir lá entregar o prêmio
  2. Ver Sailor Pitas 0,5 e a Rainha DragQueen, aos 5:28
  3. Para "celebrar" o 900º aniversário da fundação de Guimarães, a assinatura da carta de foral da cidade está garantida como uma das vencedoras deste concurso