Sexta-Feira 13 - Parte 2

Desinopselogo2.png

Este artigo faz parte do DesFilmes, a sua coletânea de filmes rejeitados.
Enquanto você lê, um protagonista de filme de ação mata figurantes com sua arma de munição infinita


Nessa época Jason ainda não tinha dinheiro pra comprar a máscara de hóquei, então vamo de saco de batatas capuz mesmo...

Sexta-Feira 13 - Parte 2 (1981) é OBVIAMENTE a segunda parte da série de filmes com o nome Sexta-Feira 13, vindo depois da parte 1 e antes da parte 3 (sério?). Esse foi o primeiro filme em que Jason Voorhees começou com sua sanha assassina, matando mil (se pudesse) a partir daí.

Contagem de corpos SinopseEditar

  Aviso: Este artigo ou seção contém revelações sobre o enredo, como o fato de que Jason não morre no final do filme, que novidade.

Dois meses após Alice (a única pessoa que conseguiu sair viva do filme passado) ter cortado a cabeça da Pamela Voorhees com um machete, ela está tentando mudar de vida, fazer algo que preste para sobreviver, mas quando vai abrir a geladeira assassina para pegar um pote da Coisa de Yakult, vê no lugar disso uma carne podre de cabeça de boi. Ou melhor, era a cabeça da Pamela. Logo após, ela leva um picador de gelo na cabeça.

Cinco anos depois, outro mané cria um acampamento próximo ao antigo de Crystal Lake. O mesmo maluco chamado Crazy Ralph que apareceu no filme anterior novamente veio falar do perigo à espreita, mas novamente todo mundo manda ele se foder e diz que essa história de Jason Voorhees estar vivo e se vingando da morte da mãe é coisa de filme de terror slasher de quinta categoria. Crazy Ralph acaba sendo estrangulado com arame farpado enquanto os dois instrutores tão no rala-e-rola. No dia seguinte, esses mesmos dois acabam sendo presos peladões no meio da rua por um policial, mas conseguem fugir e o manezão do puliça acaba levando uma martelada bem no cocoruto. Depois o resto todo mundo sabe: todos os outros acabam morrendo. Com destaque pro garoto de cadeira de rodas com uma espadada na cabeça (nem os deficientes escapam de Jason) e de mais dois que no meio de uma fornicação acabam sofrendo uma dupla penetração com uma lança. No fim do fim, uma menina joga ele pela janela e aparentemente ele morre (de novo). Aguardem a continuação para mais detalhes.

Vítimas PersonagensEditar

  • Alice Hardy - Matadora de velhinhas esquizofrênicas assassinas, foi punida pela sua conduta anti-social, tendo a caixa d'água perfurada por Jeisom logo aos 3 minutos de filme. Foi a primeira vítima do vilão com voz de locutor, que pela primeira vez saiu de Crystal Lake para cumprir um serviço.
  • Crazy Ralph - Voyeurista que estava espionando a pegação entre os instrutores de Crystal Lake, foi punido pela sua falta de ética, tendo o pescoço cortado por um pedaço de arame farpado, mostrando que, realmente, QUALQUER COISA é mortal nas mãos de Jeisom, pois ele cursou a faculdade de artes ninjísticas durante sua estadia no inferno.
 
Naquela época, a cara de Jeisom ainda não tinha entrado em estado de putrefação, então ele aproveitava para fazer cosplay do Corcunda de Notre Dame.
  • Jeff e Sandra Dier - São citados juntos, pois morreram juntos. Cometeram o terrível erro de transar em Crystal Lake, o que é o mesmo que assinar um atestado de suicídio. Foram empalados por uma lança durante pleno ato. Jeff nem teve a oportunidade de olhar para a cara de Jeisom antes de partir desta para uma pior.
  • Mark - Tentativa do diretor do filme de criar um novo Franklin Hardesty, Mark não fez muito sucesso, pois diferente do chato de O Massacre da Serra Elétrica, ele até que é bem simpático. Cadeirante, acabou levando uma machetada no olho, provando que Jeisom está pouco se lixando para as ações sociais. Curiosidade: Em homenagem ao mané da camisa 88 que morreu no filme anterior, Mark usa uma camisa 81. Os números são diferentes, mas o destino foi o mesmo.
  • Scott - Provavelmente, o cara que mais sofreu no filme. Após cometer a burrada de cair em uma armadilha para ursos, ele percebeu a aproximação de Jeisom com seu machete, e foi obrigado a esperar pacientemente pela sua morte, pois suas pernas estavam presas. Teve a garganta cortada, pois Jeisom queria homenagear a sua mamãe querida Pamela, que adorava matar suas vítimas desse jeito.
  • Terry - Aquela que estava doida para dar o toba, acabou tendo a morte mais sem graça (se é que morreu mesmo). Ela estava junto com Scott, quando ele pisou na armadilha para ursos, e foi para a sua cabine buscar uma peixeira para cortar as cordas que prendiam as pernas do inútil. Após pegar o artefato, e voltar para onde estava Scott, ela percebe que o ditocujo já estava entrando em estado de putrefação, e pensa em correr, mas já é tarde demais, pois aparece do nada Jeisom. Depois disso, não é mostrado mais nada sobre ela on-screen, então presumimos que ela morreu, ou não.
  • Winslow - O puliça xereta, que foi xeretar no cafofo de Jeisom, acabou levando uma machetada na cabeça, após descobrir o que não devia.
  • Vickie - Mais uma que levou uma machetada de Jeisom. A única diferença é que Vickie nem se deu ao trabalho de correr, pois sabia que isso era inútil.

CuriosidadesEditar


  • Jason ainda não usava uma máscara de hóquei nesse filme. Ele tava sem grana pra comprar uma.
  • Ele também ainda não tinha sua chiquérrima jaqueta da Oakley, então usou um macacão de fazendeiro mesmo.
  • Jason guarda a cabeça da sua mãe em casa como suporte para a sua webcam.
  • Pamela Voorhees, mesmo sendo agora apenas uma cabeça podre, piscou pra você numa cena do filme. Só que cortaram a cena sei lá porque.
  • Neste filme, apesar de Jeisom já ter concluído a universidade de artes ninjísticas com honra ao mérito, como podemos notar pelas suas apuradas técnicas de teletransporte e de assassinato nas sombras, ele ainda era inexperiente e cagão das calças. Além de não possuir resistência, tanto que se abalou bastante quando levou um chute no saco de Ginny Field, ele ainda não tinha sua super-hiper-mega-fuderosa-força, pois não conseguiu matar nem o banana do Paul Holt no braço.