Abrir menu principal

Desciclopédia β

Silvio de Abreu

Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Salve, truta! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!


Cquote1.png Você quis dizer: Silvio de abril Cquote2.png
Google sobre Silvio de Abreu
Cquote1.png Você quis dizer: Enrolador Cquote2.png
Google sobre Silvio de Abreu
Cquote1.png Plagiador Cquote2.png
Agatha Cristhie sobre Silvio de Abreu
Cquote1.png Ensinei tudo que sei para ele. Cquote2.png
Alfred Hitchcock sobre Silvio de Abreu
Cquote1.png Ô, Silvio de Abreu, chega aqui... Cquote2.png
Ratinho sobre a palhaçada de Silvio de Abreu.
Cquote1.png Ô, Na próxima novela alguém irá morrer no primeiro capítulo Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Silvio de Abreu.

Silvete Abrete
Silvio-de-abreu.jpg
Olha, assistam...
Nascimento Desconhecido mais muuuuito remoto.
São Paulo, São Paulo
Nacionalidade Brasileira, Bandeira do Brasil Brasil Neverland


Silvio de Abreu é mais um daqueles escrivinhadores daquelas telenovelas que desde o tempo das cavernas existem e assolam a humanidade até os dias de hoje. Esse ilustre contador de novelas é bastante embusteiro e sapeca a ponto de rir e fazer de bobos os telespectadores, o que é muito bem feito: quem manda assistir novela? Arte e filosofia, eles deveriam aprender com os otakus: bom mesmo são as sagas desenhadas japonesas: isso sim são boas histórias, sem embustes.

Índice

Vida e obraEditar

 
Explicando o inexplicável.

Silvio de Abreu se formou em sanitarismo pela Pucpá, em 1895, nesse tempo ele já pensava em ser contista e queria era fazer jornalismo, mas era suplantado pelo mal educado Monteiro Lobato, e quem o obrigou a fazer sanitarismo foram seus pais, e desde aquele tempo até hoje ele está mexendo com merda. Sim, mas como o público brasileiro é trouxa, ele tem se dado muito bem, juntamente com aqueles outros palhaços (mas palhaço mesmo é o telespectador), que ganham uma nota na rede Globo para escrever contos piores do que os da carochinha, salvo um ou outro que se sai melhorzinho, são umas históriazinhas bem estrabhas, que o que salva são os atores e atrizes, e os cenaristas, maquiadores que fazem aquilo parecer mesmo uma obra de arte.

...mas, a obra mesmo, o próprio Silvio de Abreu deixou claro ao dar uma espécie de continuidade à sua profissão de sanitarista: é o estudo da merda. E nese princípio se baseiam as novelas da globo, e as das outras emissoras não é muito diferente. Nem falemos então, das novelas mexicanas, que nesse caso nem é merda tratável.

Silvio, assim que se livrou do autoritarismo de seus pais, largou o sanitarismo (mas não a merda) e foi cursar jornalismo, assim escreveu suas primeiras cagadas. Começou logo a ter respostas positivas e notou que os brasileiros são trouxas mesmo e acreditam em qualquer espécie de bobagem, assim, mancomunado com outros embusteiros da emissora, foi consolidando sua carreira e enrolando a torcida ao longo dos anos, mas o auge da paçoca mesmo foi sua grande e imensa montoeira de bosta: Passione da Conta.

Bosta primordialEditar

 
Claro e Freda: os queridinhos de Silvete.

Entre suas obras, estão: Muralha, que conta a vida de um pedreiro. Tititica, que conta a história do Tiririca, que foi alfabetizado pelo próprio Silvio de Abreu e, em agradecimento, ajudou-o a escrever a novela. Um Anjo Caiu do Céu, que conta a história de Lúcifer. Os Estranhos, a história dos familiares e amigos do autor. Belíssima, uma cópia de Beth, a feia, entre outras. Falemos de sua obra mais fétida: Passione da Conta.

Passione da Conta, começou errado e terminou ainda mais errado: 1). Duas mulheres gostosas pagando pau pro pauzinho do Bruno Gagliasso. A vilã é até interessane, mas ao longo da novela passou de vilã a anti-heroína (embora algumas vezes parecesse dorgada), mas isso não cola, ela então deveria ter iniciado já com características de anti-heroína. Falando em dog, um dos mocinhos ( que não é mocinho, é veinho), era um cachorro, interpretado por Tony Ramos, que ressussitou no fim da novela. A heroína morreu no parto porque teria parido sem últero, já que interpretou um traveco. Bem, se a ideia do autor era inovar, ele deveria ter feito isso de uma forma menos sem noção. A ressureição de Totó não foi com a criatividade dos mangá/animes, e até as Esferas do Dragão ficaram quadradas de desgosto.

 
Apoio de seu coleguinha, que não viu nenhum capítulo de Passione da Conta.

...mas, o pior de tudo: o grande segredo do Gerson era que ele gostava de ver lésbicas na internet, o que significa que quase todos nós desciclopedistas precisamos de tratamento. E isso ficou atiçando a curiosidade até mais da metade da dita novela, chamando a atenção até de quem nem gosta dessas telenoveletas. E tudo para que? O grande segredo, era a coisa mais fajuta possível. Enrolashion é a especialidade do tal Silvinho.

A cura para esse tipo de maledicência de Silvio de Abreu e quase todos os seus colegas, é nasce de novo, e nascer de preferância no Japão, lendo mangás, para aprender a escrever boas sagas, e fazer arte de verdade, com filosofia e claro... muito hentai! Mwaaaaaah!

No mais, até mesmo para as noveletas chatas, que o povo burrão ama: Silvio de Abreu, se aposente.

Suas novelas recentesEditar

  • Guerra do Pega, brinca, leva que é de graça (1983)
  • Rainha Lixeira (1990)
  • Torre de Papel (1998)
  • As filhas da puta (2001)
  • Feíssima (2005)
  • Enrolassione (2010)
  • Guerra do Pega, brinca, leva que é de graça -De novo?- (2012)


Ver tambem (mas, não veja, nem essas nem aquelas)Editar