Abrir menu principal

Desciclopédia β

SkullGirls

Virtualgame.jpg SkullGirls é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, você faz um jogo por 30 dias.

Livro.jpg
Tiburcio3.jpg
SkullGirls ganhou o Prêmio Educação, porque:
Ensinou Biologia a um bando de viciados em Luta que só queriam saber de assistir TV!
OBRIGADO SkullGirls! Parabéns!!!
Seu esforço contribui para a formação de um mundo melhor!!!


Peitudas lutando SkullGirls
Skullgirls cover.png

Pesquise Rule 34 SkullGirls para mais informações.

Informações
Desenvolvedor Japoneses infundidos com sêmen de Rias gremory
Publicador Konami
Ano Por volta da época de Game of Thrones à década de The Flash.
Gênero Briga de garotas de 13 anos com seios em proporções duvidosas.
Plataformas Arcade, PlayStation 3, Xbox 360, Windows
Avaliação 1080p, dorgas.
Idade para jogar 18+

Cquote1.png Mas que putaria é essa? Cquote2.png
Sua mãe sobre Skullgirls
Cquote1.png Quero jogar também. Cquote2.png
Seu pai sobre Skullgirls

Skullgirls é outro dos inúmeros jogos de luta desenvolvidos por japoneses com extrema criatividade (e várias doses de LSD). Dada a premissa, este jogo contém tudo o que qualquer otaku poderia adorar: Garotas de 13 anos com seios enormes, poderes ultra mitológicos que deixariam Goku no chinelo (segundo eles), e um alto potencial para a criação de imagens hentai. Não é pra menos que o jogo foi eleito um dos melhores jogos de luta de 2011 e entrou pro livro dos recordes como o jogo com mais quadros de animação por personagem, tudo para satisfazer as vontades do otaku fedido que jogar público pagante, sejam elas qual forem.

Índice

EnredoEditar

A treta se passa num mundo chamado Reino Canopy, um lugar que parece ter parado nos anos 40 e lembra muito o País das Maravilhas em termos de bizarrice. Varias organizações estão em conflito gracas a um artefato chamado el erculrar "Skull Heart", que segundo os orixás da região, podría concerle un deceo poderia conceder qualquer desejo de uma mulher (Homens estão proibidos). Porém, caso uma alma impura tentasse usar o artefato, seu desejo seria corrompido, e a pessoa se tornaria la chica crânio a "Skullgirl", um ser maligno e com alto poder de luta. Obviamente a maioria das idiotas que tentaram possuir o artefato se ferraram no final (Como o Brasil e seu governo) visto que ainda não existiu o ser humano que não tenha roubado o lápis do colega ao lado, ajudou a velhinha a atravessar a rua, devolveu o troco que recebeu de sobra, e outros pecados que o qualificam para levar um tridente no ânus.

Mas por incrível que pareca, ainda existem algumas garotas que estão dispostas a mil anos de dor somente para experimentar a possibilidade de ter seu desejo concedido. Mesmo sabendo que esta jornada é mais inútil do que cigarro de menta.

PersonagensEditar

  ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que os Skrulls vão invadir a Terra, ou que Shrek casa-se com Fiona.

 

O jogo possui oito personagens, sete jogáveis e uma não jogável (que por ironia do destino é o último chefe do jogo) - da nona pra frente é o pessoal que foi adicionadas nas versões Super Turbo Champion Edition. Cada uma tem seus motivos para obter o erculrar Skull Heart, desde conseguir uns trocados até dividir cama com o Brad Pitt.

Filia da putaEditar

Uma estudante que possui um sério surto de piolhos nos cabelos (não,vai ser no suvaco), tanto que gracas a magia do game design, se fundiram num parasita chamado Samson, o qual vive tentando comandar a mente da coitada, tudo com poder de convencimento. Também sofre de uma crise de amnésia, a qual a deixa em situações extremamente constrangedoras, desde esquecer de deletar aquela foto que ninguém pode ver além de você até voltar pra casa sem a calcinha. Apesar de tudo, é uma exímia lutadora (exímia entre aspas, considerando que Samson faz todo o trabalho duro) e entrou nesta luta para curar sua amnésia e se livrar do parasita que vive na sua cabeça.

CerebellaEditar

Originalmente uma artista de circo que ganhava a vida graças ao seu chapéu mágico chamado Vice-Versa (Originalidade = 0%) que sofreu infusão de Whey e por isso tem braços com músculos anormais alem de um visual que mais parece plágio do Kamina. Não só isso mas também possuía belas curvas (novamente, segundo eles) as quais hipnotizavam todos o público pagante (inclusive você e seu avô), garantindo o ganha-pão dela e de todo o picadeiro. Enquanto não trabalha no circo, ela trabalha na máfia coletando os débitos daqueles indivíduos que não tem nem onde cair morto. Apesar de estar bem na fita, tudo o que ela queria era a atenção e o reconhecimento de seu pai, e mafioso de alto escalão, Vitale Medici, o que acabou sendo o principal motivo de ela ter se envovido neste bacanal.

Psicopata viciada em pica pau PeacockEditar

Ela é a prova de como os seres humanos são absurdamente loko de droga inteligentes. Era originalmente uma criança órfã que foi mutilada por algum tarado porque se recusou a praticar pedofilia com o mesmo. Quando tudo parecia perdido, ela foi selecionada para experimentos envolvendo biomecânica, podendo assim sentar o cacete em qualquer um que entre sem ser chamado. O experimento foi um sucesso, mas que deixou extremas sequelas no seu psicológico. Graças às cirurgias, ela tende a enfiar a porrada em tudo o que há no seu caminho e se tornou obcecada por desenhos animados. Entrou nessa budega pra destruir o Skull Heart e para reencontrar sua amiga Marie, a qual foi a azarada de se tornar a Skullgirl da semana. Logo após uma luta de mais ou menos cinco minutos (se você for viciado ou japonês), as duas prometem que vão mandar os tarados estupradores do mundo acordarem com cimento no pênis.

Nazista ruiva ParasoulEditar

A patricinha do jogo. Princesa nazista do Reino Canopy, está acostumada a mandar e desmandar em tudo e todos ao seu redor, tudo graças ao trauma de saber que sua mãe foi a última SkullGirl (ninguém se salva dessa macumba). Consequentemente, tem um forte desejo de proteger seu reino e sua família, especialmente sua irmã, visto que esta seria a sucessora do reino. E foi este o motivo de correr em busca do Skull Heart, para que sua irmã não se torne a próxima SkullGirl. Obviamente que isso deu uma grande merda, visto que ela não salvou nem a sua irmã e pra compensar, se tornou a próxima SkullGirl. Para tentar limpar a cagada, ela ordenou aos soldados que treinassem a garota para assim, no futuro próximo, esta poder derrolá-la.

Nadia "Ms." FortuneEditar

Uma das personagens mais trolls do jogo. Antigamente membra de uma trupe de ladrões de objetos místicos, é uma oportunista que não perde tempo para se sobresair entre os demais, visto que na sua última ladroagem, conseguiu engolir um artefato que garante vida eterna mesmo se o seu corpo for esquartejado, enquanto o resto do pessoal simplesmente morreu feito babacas. Por isso mesmo ela tem a péssima mania de arrancar a própria cabeça e tacar nos outros. Inicialmente foi procurar o Skull Heart para ressuscitar os seus antigos comparsas, mas quando viu que possuía amizades melhores e com maior poder aquisitivo, ela destruiu o artefato e voltou como se nada tivesse acontecido. Mas logo após os fatos, seus novos amigos foram sequestrados pela máfia e ela parte para salvá-los, afinal "Quem tem amigo tem um tesouro".

Menina Jason PainwheelEditar

  Rueda del dolor, a re que no  
Argentino sobre a hora em que Painwheel aparece na introdução

Outra vítima de experimentos biomecânicos. Uma simples estudante normal no começo, foi sequestrada e usada de cobaia para o teste de parasitas de alto nível. Graças a isso, se tornou extremamente revoltada e violenta e para não destruir toda a sala de operações, teve de ser realizado um controle mental sobre ela, para não causar caos sem necessidade. Seus traços lembram muito as crianças comercializadas na Deep Web, visto que possui lanças atravessando suas mãos e uma grande suástica Shuriken ligada por um cabo em sua coluna vertebral. Ao encontrar o Skull Heart, ela o destrói para proclamar sua "liberdade", mas foi facilmente frustrada quando seus pais a rejeitaram graças à fisionomia proporcionada pelas experiências. Ainda com síndrome da revolta, ela volta ao laboratório para chutar o traseiro daqueles que a transformaram numa obra de Picasso.

Valerie ValentineEditar

  Valentina! Sangre, Valentina, mucha sangre!  
Argentino sobre a hora em que Valentine aparece na introdução
  Peitos, Valentine, muitos peitos!  
Qualquer um sobre qualquer hora em que Valentine apareça no jogo

É uma enfermeira ninja peituda que resolveu trabalhar para a Skullgirl depois que ela fodeu com toda a sua equipe do Last Hope, membros do Lab Zero. Como ela não queria morrer também, decidiu trair o movimento e começou a sair anarquizando em nome de sua nova patroa. Gosta de fazer "experiências" com suas vítimas, o que já implica em toneladas de subtexto. No final se descobre que ela não traiu nada, ela era só uma infiltrada no clubinho das vilãs passando informações pro Lab Zero na encolha, e o que ela queria mesmo era que Painwheel (o monstro que ela ajudou a criar) desse um couro na Skullgirl. O caso é que, na história dela, a pobre Painwheel apanha (duas vezes), então sobra pra enfermeira-ninja-gostosa descascar o pepino. Ela ganha, e resolve virar a nova Skullgirl, pra que assim Painwheel possa matá-la. Não é lindo?

Lamia DoubleEditar

É uma... Um... É... Bom, sei lá, é uma coisa amorfa que tem o poder de se transformar nas outras personagens, mas na maior parte do tempo se faz passar por uma freirinha loira. Enquanto Valentine é a guarda-costas da Skullgirl, Double é o braço-direito, com a função de assegurar que a Skullgirl continue a tocar o terror.

MarieEditar

A Skullgirl do título, e portanto a chefa final do jogo (ou não). Era uma menina órfã normal (quantas vezes já não ouvimos isso?) que foi vendida como escrava para a Máfia dos Medici, e quando a amiga dela, outra menina órfã, foi executada depois de se recusar a dar o bumbum pra algum pedófilo (hmmm... acho que isso já saiu aqui...), ela despirocou de vez e resolveu ir atrás do Skull Heart pra fazer os mafiosos pagarem por tudo que fizeram. Enfim, ela conseguiu detonar a Skullgirl anterior (sabe-se lá como, afinal ela também devia ser chefa final), e virou a Skullgirl no lugar dela. Hoje em dia ela é meio que uma empregada doméstica fantasma com sede de vingança. Como não dá pra jogar com ela, desnecessário dizer que nada no final dá certo pra ela. Mas até lá, é bom você ir preparando sua alma, porque se você não souber o que está fazendo, vai perder continues pra ela. E se souber também!

SquiglyEditar

Uma zumbi, pra adicionar mais originalidade à série. Assim como Filia, possui um parasita em seu corpo, um chicote chamado de Leviathan. A única sobrevivente (em termos) de um grupo de ópera que possuía grandes "relações" com a máfia (desde quando isso é bom?), tanto é que sofreu inúmeras tentativas de assassinato dos ditos graças a motivos que já sabemos - sendo que uma acabou dando certo, visto que ela e toda a sua família foram fuzilados. Como se não bastasse, neste período ela voltou da cova transformada em uma das subordinadas zumbis da antiga SkullGirl, o que não adiantou muito, pois logo após o ocorrido, a antiga SkullGirl foi derrotada, e sua consciência foi perdida (Zumbis com consciência, tá aí algo bem original), o que ocasionou num enterro nada fúnebre, para assim poder despertar quando a nova SkullGirl surgir. Surpreendentemente, ela consegue agir independentemente das ordens naturais do jogo (Se a SkullGirl renascesse de novo, seus servos a obedeceriam sem questão), o que a faz uma chutadora de traseiros excepcional, visto que sendo uma zumbi, pode levar dez lanças no rabo que está tudo de boa.

Big BandEditar

Um ex-policial que foi espancado por seus colegas por não dividir as rosquinhas na hora do lanche, estava à beira da morte quando foi encontrado por um cientista louco que ofereceu-lhe ser cobaia de outro experimento louco que colocou-o na roupa daquele cara da Bardahl, com milhares de instrumentos dentro.

Você sabia que...
  • ...97% das pessoas que jogam com o Big Band só o fazem porque este tem aquela corneta que permite ao usuário tocar músicas em vez de jogar propriamente o jogo

ElizaEditar

A puta que todos adoram odiar. Diva de um clube noturno, já está acostumada com todo mundo babando por ela, Aparentemente é conhecida por seus inúmeros trabalhos de caridade (se é que você me entende), mas o que se esconde abaixo de suas roupas minúsculas (que na real, não escondem muita coisa), é a portadora do Parasita Sehkmet, uma sádica que utiliza o resultado de suas "doações" para manter sua beleza exterior para todo o sempre. óbvio que mais cedo ou mais tarde alguém iria ficar sabendo, e teve a honra de ser descoberta pela máfia(Nota: Sorte não existe neste universo), e consequentemente foi chantageada a fazer o que eles mandam para não perder sua "caridade" e assim manter sua beleza. Pra completar, mais lá pra frente a gente descobre que essa vadia é pior do que qualquer Skullgirl: ela já era viva há séculos, e já vinha pegando essa "caridade" desde esse tempo, o que a deu poder suficiente pra enfrentar E MATAR a Trindade (que são nada menos do que as Deusas do mundo de SkullGirls, mas não são boazinhas igual às de Hyrule). Por causa disso é que o Skull Heart foi criado, já que foi um dos poucos fragmentos que sobrou da Deusa Lamia (o outro foi a Double) - ou seja, mais do que a Marie, Eliza é a verdadeira vilã desse jogo, tanto que se ela ganhar ela fica tão poderosa sem precisar do Skull Heart (que não vai com a cara dela mesmo, pelo que expusemos aqui) que mata quase todo o elenco do jogo.

BeowulfEditar

Acredite, existem homens neste jogo. Um deles é Beowulf. Um lutador de vale tudo de grande sucesso (suas atuações no ringue são excepcionais), mas que vive uma péssima fase, afinal não dá pra enganar todo mundo. Determinado a reaver o prestígio e glória que possuía, prometeu a seus fãs que derrotaria a SkullGirl Marie. Mas como ele será capaz de fazer isso com suas técnicas de atuação não satisfazendo sequer o público?!

Robo-FortuneEditar

Um clone mecanizado de Nadia Fortune. Surgiu graças ao ego de Brain Drain que se achava foda e queria fazer uma maquina que fosse melhor que a gata bugada Nadia Fortune. Assim foi criada a Robo Fortune, uma robô assasina que faz piadas nas piores horas e que tem o objetivo de derrotar a skullgirl.