Abrir menu principal

Desciclopédia β

Strip Fighter

Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.

Cquote1.png Você quis dizer: Street Fighter erótico Cquote2.png
Google sobre Strip Fighter
Cquote1.png Amo muito tudo isso! Cquote2.png
Ronald Mc Donald sobre Strip Fighter
Cquote1.png Melhor jogo de luta de todos os tempos! Cquote2.png
Punheteiro Gamer sobre Strip Fighter
Cquote1.png Mas que bosta é essa? Cquote2.png
Capcom sobre Strip Fighter
Cquote1.png Bosta nada! Cquote2.png
Punheteiro Gamer sobre Strip Fighter
Cquote1.png Já BASTA o sonic XXX agora isso? Cquote2.png
fã imbecil de street fighter e de sonic sobre essa modalidade de jogo

Lutadoras Peladas
Ssf4o.jpg

Logo muito criativo e original

Informações
Desenvolvedor Studio S
Publicador Algum puteiro por aí
Ano 1993
Gênero Luta, Hentai
Plataformas PC Engine
Avaliação 5
Idade para jogar 18
A safadeza tem início.

Strip Fighter foi o primeiro jogo de luta protagonizado apenas por mulheres gostosas na história dos videogames. Portanto, se atualmente você é um jogador compulsivo e inveterado de Soul Calibur, Dead or Alive e Rumble Roses, deve muito às strip fighters.

Índice

CriaçãoEditar

Tudo começou quando a Capcom criou e lançou Street Fighter II, e então os games de luta foram elevados a um status nunca antes visto ou experimentado. Além disso, a empresa conseguiu criar a hentai girl mais gostosa jamais vista até então: Chun-Li, que usava uma calcinha tão socada na bunda que alguns nerds chegavam ao cúmulo de pausar o jogo enquanto ela dava um golpe usando as pernas (e que pernas) para homenageá-la singelamente com uma punheta.

 
Elas voltaram!

Logo, todas as empresas concorrentes decidiram reformular seus games de luta e também criar novos títulos, e em todos eles sempre havia uma mulher bonita cada vez mais puta para competir com Chun-Li.

Então, algum espertinho esperou todas as empresas lançarem seus games e suas musas para depois misturar tudo em uma versão hentai de Street Fighter chamada Strip Fighter II (o I nunca existiu). Como os gráficos eram uma bosta e as personagens não tinham mamilos nem vaginas, o jogo foi um fracasso de vendas e permaneceu anos no limbo. Até 2010, quando a Capcom lançou Street Fighter IV e Super Street Fighter IV e com isso, acabou saindo Strip Fighter IV e Super Strip Fighter IV (o III nunca existiu)!

HistóriaEditar

Várias mulheres lutam entre si e a perdedora acaba sem roupa. Complexo, não?

JogabilidadeEditar

Strip Fighter II - Uma porcaria. Gráficos porcos, bugados, mal desenhados e, ainda por cima, a dificuldade é enorme! Como se não bastasse, o jogo não tem final, o que só comprova que é um produto unicamente criado para fins onanistas (e dinheiristas). Tem seis personagens, todas mulheres.

Strip Fighter IV - Os gráficos melhoraram bastante em termos de personagens, mas os cenários continuam escrotos (mas quem é que vai reparar nos cenários de um hentai?). Agora sim o jogo está digno de uma masturbação, com desenhos muito bem detalhados. Além das personagens originais, foram acrescentedos dois novos: um macho e uma fêmea.

Super Strip Fighter IV - Continua com a mesma qualidade gráfica do anterior, mas traz muitas inovações. Agora, além de despir quem perder a luta, você também pode estuprar! Mais oito personagens foram adicionados, sendo dois deles masculinos e o resto feminino.

PersonagensEditar

Yuki Princesa kunoichi do Japão, Yuki não muda muito de um jogo para o outro. Ela é basicamente um rascunho da Kasumi (Dead or Alive) (mas seu decote consegue ser ainda maior), ou então uma Chun-Li com o cabelo solto (mas sua calcinha consegue ser ainda menor).
Amanda A bombadona do jogo, Amanda é brasileira e a mais peituda de todas. No primeiro jogo, ela é uma puta baranga que parece o Zangief, mas nos seguintes ela foi recauchutada e ficou sexy como a R. Mika. É uma wresler mascarada profissional com pintura militar nas pernas igual à Cammy.
Martha Martha veio da Inglaterra e é uma loira punk topetuda, mas que também ficou bem mais bonita depois do primeiro jogo. Ela se veste igual à Dixie Clemets, mas com estampa plagiada da Cham Cham. Dizem que é irmã bastarda de Tina Armstrong.
Nina Essa não foi baseada em ninguém: ela é a própria Nina Williams que pediu as contas do Tekken e veio trabalhar como aqui como dançarina de pole dance! Em todos os jogos ela usa os mesmos trajes sadomasoquistas, inspirada na Sofia de Battle Arena Toshinden. Diz que é italiana.
Medusa Medusa é nativa da Grécia assim como a criatura lendária que a inspirou. Ela usa roupas verdes (minúsculas, mas ainda assim são verdes) e tem uma cabeleira ruiva desgrenhada, além de ter sido inspirada em um monstro, ou seja: é a versão mulher do Blanka.
Bella Bella foi a que mais mudou ao longo dos jogos. No primeiro, ela era uma puta gostosa de 21 anos de idade e nos seguintes, foi transformada em uma pirralhinha lolicon kawaii! Também é a que usa a roupa mais esquisita dentre as personagens originais: uma fantasia de pássaro. Ela veio da terra do Tio Sam.
Succubus Não é um ser humano, mas sim um demônio. Succubus é uma súcubo bissexual que tem um olho na buceta e tentáculos estupradores no corpo. Não faz parte do jogo original, fez sua estreia no IV como chefona e no Super IV tornou-se selecionável. De longe é a personagem mais bizarra, mas foi claramente baseada na Morrigan e na Lilith.
S Primeiro homem do jogo, e também o mais gostoso deles. Surgiu no IV, e tem esse lindo nome (que se pronuncia ass) para homenagear a empresa criadora dessa bagaça toda, o Studio S. Ele é igualzinho ao Mizoguchi e não tem mais nada de relevante a ser dito sobre sua pessoa.
Ran A partir de agora, todos os personagens apareceram só em Super IV. Como é o caso da kunoichi ao lado, o plágio mais descarado da Mai Shiranui de todos os tempos. Uma personagem completamente desnecessária, pois já tinha a Yuki no mesmo estilo.
Mari E esta é Mari, uma cópia descarada da Athena Asamiya. Ou então uma Sakura Kasugano de cabelo comprido e calcinha branca. Ou ainda uma Sailor Moon morena. Tanto faz, ela é a colegial que faltava no jogo. (psst: na realidade é a Marin Aoki, reaproveitada de Seifuku Densetsu Pretty Fighter. Pois é, até aqui temos lutadores especialmente convidados).
Acme Iku Outra personagem com aparência kawaii, Iku é uma empregada doméstica que prende o cabelo com uma cebola (WTF?). Não chega a ser uma cópia, mas ela lembra bastante a Tesse de Waku Waku 7.
Jin Tendoh A pior ideia que tiveram para um personagem. Jin é a representação típica de um otaku: ele é feio, gordo, nerd tetudo, punheteiro, japonês e seu sonho é comer a Iku. Provavelmente você vai se identificar muito com ele, mas jamais vai escolhê-lo.
Al & Bell Que loirinhas lindas, não? Na verdade, só a da direita (Bell) é menina. À esquerda, está um típico bishounen. Al e Bell são irmãos gêmeos filhos do Abel (Street Fighter) e praticantes de judô assim como o pai. Estão aqui para incentivar a pedofilia.
Sayaka A aparência não deixa enganar: Sayaka é lésbica e veio para protagonizar cenas de tentaculofilia yuri com Succubus. Há sérias desconfianças de que Sayaka seja Lucia Morgan morena, Asuka Kazama da Tekken ou então Videl naquela época em que cortou os cabelos.
Rana Rana é a afronegona do jogo e parece uma odalisca. Possivelmente, é parente do Dhalsim ou um clone da Rouge de Power Stone. Foi a última personagem criada e quase foi cancelada, vejam só que racismo.

TrailerEditar