Abrir menu principal

Desciclopédia β

Subdivisões da Índia

Subdivisões da Índia é, conforme a famosa moda caralho, a maneira pela qual a Índia se divide e se desorganiza territorialmente. Considerados um subcontinente, comumente chamado de subcontinente indiano

Índice

ZonasEditar

 
Distritos da Índia conforme sua limpeza. Em branco aqueles irreversivelmente poluídos pelas próximas cinco gerações. Em verde os distritos apenas sujos, e em laranja os apenas imundos.

Tal qual o Brasil é dividido em 5 regiões geográficas, a Índia também tem sua subdivisão inútil geográfica denominada lá por zonas. Não tem qualquer utilidade administrativa ou estatística (não existe estatística na Índia), a única utilidade das zonas é organizar territorialmente o país de maneira a realização de um torneio nacional mais justo de pehlwani (esporte popular indiano onde homens em sungas indecentes competem para ver que se besunta mais em areia primeiro). As zonas indianas atualmente são as Norte, Noroeste, Nordeste, Leste, Oeste, Sul e Exclaves Indianos nos Estados Unidos da América.

EstadosEditar

O mais elevado nível de subdivisão administrativo da Índia são os estados, cada um com sua peculiaridade diferenciando-se pelo nível de sujeira, caos urbano e dancinhas. Os estados indianos são milimetricamente divididos conforme a língua, religião e principalmente conforme a posição do Kama Sutra mais utilizada em determinada religião, e isso explica porque no mapa a fronteira dos estados indianos parece ser tão aleatória, isso porque não segue qualquer padrão geográfico.

Logo, a Índia atualmente é composta por 18 estados, o que inclui o Reino de Sikkim, a Terra Sem Lei de Goa, o Estado Litigioso da Caxemira e o Punjab Paquistanês.

Territórios da UniãoEditar

Quando a Índia tornou-se independente um fato curioso que ocorreu foi quando uma série de pequenos territórios foram completamente abandonados seja pela ex-colônia e seja pelos próprios indianos, muitas vezes porque eles eram ambientes tão pacíficos, bonitos, limpos, civilizados, com pouca população, asfalto pintado com leis de trânsito e demais coisas do gênero, que os indianos simplesmente não souberam o que fazer com estes locais, são os casos de Dadrá e Nagar-Aveli, Damão e Diu e Pondicherry. Temendo a possibilidade deles acabarem tornando-se paraísos da libertinagem como vemos hoje em Macau por exemplo, o governo da Índia assumiu diretamente o controle dessas cidadezinhas como território da união.

Posteriormente os arquipélagos semi-desabitados de Laquedivas e Andamão e Nicobar também foram incorporados como território da união porque ninguém queria administrar essas ilhas, nem seus próprios habitantes.

O Território da Capital Nacional de Deli foi criado posteriormente e incluído como território da união como tentativa frustrada o caos que estava se formando desenfreadamente na expansão de Nova Deli. Hoje este território está afundado num imenso esgoto a céu aberto.

Imagine que quando criaram o estado de Tocantins no Brasil não tivessem construído a cidade de Palmas e portanto Goiânia fosse capital de Goiás e Tocantins ao mesmo tempo. Pois é exatamente isso que ocorre com Chandigarh que é capital ao mesmo tempo de dois estados indianos e devido a essa peculiaridade foi integrada aos territórios da união.

DistritosEditar

Se já não bastasse a bagunça que são os estados, a coisa fica ainda pior se eles são divididos em zillas, os distritos, que aleatoriamente reúnem cidades a moda caralho sob um mesmo marajá local.

Sub-distritosEditar

Se os distritos já confundem, eles são ainda divididos em sub-distritos com fronteiras totalmente aleatórias indefinidas e que ninguém respeita mesmo, tanto que as fronteiras de cada sub-distrito na Índia são carinhosamente apelidadas de "limbo", porque ninguém se responsabiliza por aquelas faixas. E para piorar ainda mais, cada estado tem seu nome para chamar os sub-distritos. Em uns se chamam de tehsils, em outros de talukas, outros de blocks, e ainda de mandals.

CidadesEditar

O menor nível de subdivisão da Índia, quando a população chega a um nível razoável de 10 milhões de habitantes por quilômetro quadrado, estes quadrados imaginários são denominados de blocks que por sua vez podem ser um município, uma habitação, uma vila ou um hobli, dependendo da quantidade de merda de vaca que houver nas calçadas, sendo os municípios os mais imundos e os hoblis os mais bucólicos.