Abrir menu principal

Desciclopédia β

Tattoo Assassins

Tattoo Assassins faliu!
Graficozero.JPG Nem o Lula quita suas dívidas!

Outros que ficaram no vermelho.


Tatuadões Assassinos
TattooAssassins.jpg

"Prepare-se... isso não vai ser só um jogo, vai ser uma tortura!"

Informações
Desenvolvedor Data Leste
Publicador Data Leste
Ano 1994
Gênero Porrada
Plataformas Arcade, mas nem chegou a rolar
Avaliação -0,001%
Idade para jogar + 17

Tattoo Assassins é um clone muito, mas muito mal feito do Mortal Kombat (mais um, alias), mas que diferente da grande maioria, esse apenas ficou como um protótipo que simplesmente nem chegou a ser comercializado, de tão ruim que foi. Apesar de um monte de propagandas, o jogo era uma tremenda bosta, mas tão tremenda que nem os criadores desse jogo conseguiram jogar. O pior é que esse jogo deve ter sido uma homenagem ao vilão Tatuado, mas a DC Comics deve ter é processado a Data East pela tentativa de destruir a editora.

Índice

A históriaEditar

O jogo começa com o sacerdote Mullah Abba, um velhote gordo e careca, sósia do ator da Globo Otávio Augusto, e com umas tatuagens loucas. Ele diz que sua missão é recuperar a "tinta de Ghize", um artefato que dá a qualquer desenho tatuado a possibilidade de se tornar vivo. O objeto foi roubado pelo vilão Koldan, e cabe a um grupo de guerreiros tatuados tentar recuperar o objeto na base da porrada.

Sim, essa é a história, e o pior é que eu não fiz nenhuma piada praticamente em toda a descrição acima, mas só por isso já é motivo pra cagar tijolos de tanto sorrir. Quer algo pior? Foi escrita pelo mesmo roteirista do filme De Volta Para o Futuro. É...

Pois vamos piorar mais ainda ao falar do gameplay.

O gameplayEditar

O jogo foi feito bem no mesmo estilo de pessoas digitalizadas, e nesse jogo as pessoas até realmente parecem digitalizadas (um bom diferencial ante um monte de jogos cópias de MK como Catfight e Expect no Mercy que mais parecem fotos recortadas), porém os ataques, que são soltos pelas tatuagens mágicas nas palmas das mãos dos guerreiros (e por outros lugares que logo falarei) são extremamente imbecis. Existem ataques como o de uma mina que solta PEIDOS TÓXICOS (não, não é brincadeira), um clone bugado do Johnny Cage que TAMBÉM SOLTA PEIDOS TÓXICOS, entre outros. Basicamente é tipo um jogo feito por alguém que sofre de fart fantasy, só pode.

Esse jogo alegava ter mais de 200 finalizações Fatalities, as mais variadas possíveis (e horríveis também). Bem antes de Mortal Kombat III eles lançaram o Animality (sério, mas era uma merda), além de ter colocado uma forma de Babality bizonha, o Morphality, que nem eu entendi o que era, e o Nudality, que o adversário ficava pelado e escondendo as partes baixas. Cara... pra que?

Entre os fatalities cabe mencionar o da mina que baixa as calças e peida fogo, incinerando o adversário (não falei que eles têm fart fantasy?), uma em que aparece um moedor de carne gigante inventado pela ACME que transforma o inimigo em uma pasta de bosta, e a finalização mais nojenta e cagada da história, a do indivíduo que CAGA vários pratos de peru de natal COM PRATO E TUDO no adversário (a finalização é tão fodida que até o personagem se fode por extensão).

PersonagensEditar

  • A.C. Current - Um Johnny Cage cibernético, com os poderes do Raiden (exceto os peidos) e o visor do Ciclops roubado e pintado de azul-bebê. Ele é perseguido pela Interpol por ficar espalhando vídeos da Karina Veiga pela internet.
  • Billy Two Moons - Um Nightwolf bugado, seria o que acontece quando o homem branco domina o cérebro de um indígena, o torna um ser completamente horrível como esse.
  • Derek O'Toole - Um cantor de rock norte-irlandês, ex-membro da banda Love Fist que saiu da banda após ser preso acusado de fazer terrorismo nos shows da Madonna.
  • Hannah Hart - O que aconteceria com a Sonya Blade caso ela virasse prostituta. Ela entrou na competição pra vingar a morte de uma amiga, e quando termina o jogo ela consegue se vingar da morte de sua irmã. Ok, ninguém entendeu, eu sei.
  • Karla Keller - Uma patinadora de gelo olímpica (cara, olha onde andam pegando personagens de jogos de LUTA...) e só.
  • Luke Cord - Um negão (talvez inspirado no Luke Cage, quem sabe) que é um ex-fuzileiro naval (Jax depois da fome?).
  • Maya - Outra indígena, essa luta depois que sua tribo foi devorada por um monstrengo ignorante.
  • Tak Hata - Um ex-integrante da Yakuza que decidiu se regenerar após a merda ter ficado fodida após comer a filha de um governador japonês. Na verdade parece mais um Shang Tsung de segunda com um troço ridículo no peito que deveria ser um dragão de duas cabeças.
  • Truck Davis - Um dos nomes mais originais do jogo, é o único membro que sobrou de uma gangue de motoqueiros canadense que aparentemente foi toda morta por um bêbado desequilibrado.

Os subchefes:

  • Rhina: Uma mutante que teve seu cabelo transformado em um chifre de rinoceronte. Também conhecida no Brasil como Gracyanne Barbosa.
  • Deke Key: Um homem que virou zumbi. Pois é, e você achando que são vírus, maldições, tsc tsc, tatuagens mágicas em pessoas normais podem te transformar em zumbi também.
  • Prizm: O pai bastardo do Pyramid Head, é um esqueleto vivo inserido num prisma gigante mais tosco que os desenhos do seu irmãozinho especial.

E por fim:

  • Koldan: O vilão do jogo, uma versão tecnológica de Freddy Krueger que solta raios das luvas cortantes. Quer transformar todos os humanos em um exército de mutantes à seu favor. Doutora Julia em forma de homem.

Os personagens Mullah Abba e Lyla Blue são inúteis, um é o mestre, mas nem pra lutar esse fdp se move, e a outra apenas é um canal para que pessoas possam se apossar dos poderes das tatuagens (heim?), embora pela única foto dela no jogo mais parecia que ela era um atrativo pros jogadores, isso sim, em especial fãs do Slash, já que a atriz é a esposa dele(!)

Fracasso eternoEditar

O jogo acabou jamais saindo do protótipo devido ao surgimento do ótimo game Killer Instinct, além de todos que jogaram o mesmo terem tido crises de vômito constantes e intermináveis, chegando alguns a óbito devido a quantidade de gofadas lançadas fora.