Abrir menu principal

Desciclopédia β

Teletransporte

(Redirecionado de Teleport)
Harrypotterputa.jpg Hocus Pocus!

Este artigo se trata de charlatanismo magia, encantos e todo tipo de macumba. Ele serra pessoas ao meio, tira coelho de cartola, faz vodu e adora uma varinha mágica. Se vandalizar, Maga Patalógika fará você desaparecer.

Cometinha.jpg Este é mais um artigo com pretensão pseudo-científica, portanto, seu autor é um desocupado mentiroso que não diz coisa com coisa.
O timing é essencial para se fazer um teletransporte bem sucedido.

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: O que acontece com a caneta quando ela cai da carteira? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Teletransporte
Cquote1.png Eu sou o mestre dessa técnica! Cquote2.png
Magaki sobre teletransporte.
Cquote1.png MWAHAHAHAHAHA! Cquote2.png
Yardratjins sobre citação acima.
Cquote1.png 1001100 Cquote2.png
Twelve sobre teletransporte.
Cquote1.png Chaos Control!! Cquote2.png
Shadow the Hedgehog sobre teletransporte.
Cquote1.png ABRA! Cquote2.png
Abra usando o teletransporte.
Cquote1.png Fela da puta! Cquote2.png
Alguém tentando capturar o Abra da citação acima.
Cquote1.png Meu Kadabra tem essa técnica! Cquote2.png
Sabrina sobre teletransporte.
Cquote1.png Jura? Eu também sei usar! Cquote2.png
Goku sobre citação acima.
Cquote1.png Eu também sei fazer essa técnica, pois copiei ela de você! Cquote2.png
Cell sobre citação acima.

Zerox3teleport.gif

O teletransporte (do desconhecido: Tele - te levar, e Transporte - transportado) é uma maneira alternativa de se chegar aonde quiser, sem precisar liberar dióxido de carbono na atmosfera (bom, pelo menos teoricamente falando). Ele pode ser feito através de treinamento mental pesado, poderes mutantes, magia negra ou tecnologia alienígena.

Índice

MétodosEditar

Pelo teletransportadorEditar

 
Teletransportador, o melhor amigo da imigração ilegal.

Como se sugere, este método conta com a ajuda de um teletransportador, uma máquina que parece uma luminária de dentista gigante em que as "lâmpadas", além de servirem de tapete, sugam o que estiver em cima, transformando em energia elétrica, e levam até outro teletransportador, previamente escolhido via telepatia ou pelo aplicativo, ou deixam em algum canto aleatório do planeta.

Tem uma porrada de problemas com o método: primeiro, a tecnologia envolvida é brabamente avançada e acima da atual, logo, vai custar muita grana pra alcançar o mesmo nível, grana esta que poderia ser usada pra plantar batata em Marte, mas é usada pra pagar ingresso de filme de crente no cinema. Segundo, caso alguém esteja usando e de repente ocorrer um apagão, pode ter certeza de que estará ferrado, a menos que o outro esteja funcionando. Terceiro, se o teletransportador de destino estiver com problemas, a pessoa poderá chegar incompleta ou ser desviada para algum lugar aleatório e/ou desagradável, como a fila de um banco, uma loja da C&A, o centro de Guarulhos ou a Síria. Quarto, caso só exista o teletransportador de entrada, o usuário pode ser transportado em um lugar "ocupado" por outra pessoa, grudando os dois e forçando um novo teletransporte que foderá fundirá os pobres coitados, criando uma aberração pior que universitários que falam top.

PsíquicoEditar

É muito melhor e mais prático que o mecânico, pois não precisa de tecnologia coreana ou ser sócio da Light, precisaria apenas de conhecimentos ancestrais escritos em línguas mortas faladas apenas por honoláveis anciões que moram em montanhas do Nepal sem acesso a internet, mas graças ao Monte Everest, que tem 4G, tais conhecimentos puderam ser transmitidos através de 4chan e Twitter e traduzidos pelo fandom de Futurama, então nem disso precisa mais, levando os tradutores fora da internet sem fazer merda nenhuma e restando aos anciões dizer o antigo provérbio:

  Quem reclama da Light não conhece a Cemig  

Antes que a derradeira queda chegasse, tais tradutores foram agraciados com a visita do deus otaku Akira Toriyama, que resolveu dar um rolê por lá no fatídico ano de 1989 e obter o conhecimento da arte milenar, que ele rebatizou de transmissão instantânea pra não pagar direitos autorais. Com o tempo, mas ainda antes do fandom de Futurama traduzir os pergaminhos, o próprio Toriyama inspirou outros otakus a procurar dominar a arte e tentar aprimorá-la:

 
Mew usando o teletransporte psíquico para pegar de jeito.
  • Pokémon - Em 1996, no final da Velha Guarda dos Games, a Game Freak desenvolveu um jogo de RPG para Game Boy chamado Pokémon Green. Nele existia uns bicho doido que sabiam usar um ataque psíquico chamado teleport (já começou a preguiça) sendo os principais usuários a família do Abra, que inclui ele, Kadabra e Alakazam. A técnica era usada para fugir de humanos que queriam capturá-los para usá-los nas rinhas, mas além de poderem se teletransportar, podiam também dar carona para otários que não sabem como se faix. O sucesso na Primeira Geração dos monstrinhos foi tamanho que seu legado foi sendo teleportado para as gerações futuras.
  • Street Fighter - Em 1997, a Capcom lançou Street Fighter III 3rd Impact. Vendo que o jogo precisava de algo a mais para apelar em seus arcades, o que é impressionante considerando a beleza do jogo e a nitidez do pagar calcinha da Chun-Li, veio a ideia de oooooutro teleport, que foi desenvolvido para o personagem Twelve, um zé bunda feito manteiga de búfala (WTF?). Depois disso, Twelve virou um dos personagens mais difíceis de se derrotar.
  • The King of Fighters - Em 2005, quando lançaram o fracassado The King of Fighters XI, um personagem tinha esse mesmo golpe (que eu não vou chamar de teleport de novo, haja saco) e dessa vez ele estava muito mais casca grossa que o original, sendo executado por Magaki, o mais apelão do KOF XI. Seus golpes eram imbatíveis e cada soco tirava 30% da vida do oponente, mas o pior era quando o jogador mandava um secretão e ele desviava com o golpe, aparecia atrás de você e créu!
 
Lula usando o teletransporte.

Uma forma de executar o teletransporte é tocar a testa com os dedos indicador e mediano, imaginar para onde quer ir e gritar "teletransporte" bem alto, o que é optativo por ser brega e irritante, mas quase sempre tem um cuzão a fazer isso num hospital ou numa biblioteca de sacanagem. A forma silenciosa é a que Toriyama escolheu para Goku aprender em Yadorat depois da lambança de poupar a vida de Freeza. Ele ainda deu risada do escorregão do tradutor do pergaminho e fez uma versão mais pica chamada kai kai, exclusiva dos kaiohshins. Entretanto, há versões sem que seja necessário colocar os dedos sobre a fronte para se concentrar: um exemplo famoso é o teletransporte do Noturno, que por alguns milissegundos é capaz de abrir portais interdimensionais para um mundo inóspito cheio de monstros e gases tóxicos e se enfiar neles, podendo ser assassinado se enrolar muito lá. Outro problema é ter que evitar pensar em lugares os quais não se quer ir, pois caso aconteça, o usuário irá parar, novamente, em um lugar aleatório.

Alguns usuários (além dos que você já sabe)Editar

 
Goku se concentrando para cantar um fado fazer um teletransporte bem feito (e não parar na cama da Bulma).

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar

  Conheça também a versão oposta de Teletransporte no Mundo do Contra: