Abrir menu principal

Desciclopédia β

Teoria

Na teoria o ser humano não consegue andar sobre a água, mas na prática, ele está sendo perseguido por um touro de 600 quilos.

Cquote1.png Em teoria não há diferença entre teoria e prática. Na prática há Cquote2.png

Teoria teoricamente falando é um embasamento racional de um conhecimento, mas na prática não passa de uma maneira bonita e científica de dizer "especulação". Segundo a Igreja, teorizar é um ato de heresia por se tratar de uma aquisição de conhecimento racional que será utilizado para entender algum fenômeno sem pressupor o envolvimento de Deus.

A teoria, na teoria, é algo que existe só em vossas mentes, não pode ser tocado, não pode ser comido, e portanto não existe, mas na prática você tem que ir à escola aprender as teorias da matemática, física e tudo mais.

Índice

FilosofiaEditar

Como era de se esperar, a teoria surgiu na Grécia Antiga sob o nome θεωρία (theoría) que significa do grego "grande mentira disfarçada de verdade que ninguém consegue provar o contrário, ainda".

A teoria é o filho do paradigma, uma fantasia convincente. Teorias são como jogar RPG, tudo é possível, tudo acontece, as fogueiras são acesas com dois pedaços de pau só porque você tirou 6 no dado, uma porta é destrancada com um grampo de cabelo porque você tirou 4 no dado, tudo plausível na teoria, agora vai tentar na prática essas porra engenhocas de MacGyver. A vantagem indiscutível da teoria é que ela não funciona na prática mas mesmo assim é tomada como verdade, porque ao contrário da teoria, a prática dá um trabalhão.

John Locke, teoricamente falando, fala do empirismo como forma de refutar a utilidade da teoria, mas é claro que isso não existe na prática, as pessoas insistem em fazer teorias até sobre o empirismo!

Já o pseudo-filósofo Karl Popper diz que os intelectuais buscam o conhecimento através de teorias que não podem ser provadas apenas para se acharem os inteligentes da parada, mas Popper desenvolveu o falsificacionismo cuja filosofia é baseada em duvidar, sabotar e falsificar qualquer teoria que apareça (ele não gostava da escola, em outras palavras). Sempre que você se deparar com uma teoria basta apresentar apenas um contra-exemplo, o suficiente para refutar a teoria tornando-a estéril e risível. Por isso não acredite em nenhuma teoria.

Método científicoEditar

 Ver artigo principal: Método Científico
 
Na teoria, peixes não tem patas.

Teoricamente, a teoria é usada para embasar o método científico com uma síntese de hipóteses lunáticas, mas na prática a teoria só deixa tudo mais confuso.

Mas isso não é suficiente, porque os cientistas são extremamente vaidosos, e suas teorias estão sendo constantemente substituídas por novas teorias para eles terem assunto para a Scientific American desse mês.

Um exemplo prático da inutilidade da teoria ocorre quando em certo momento da história um tal de Isaac Newton é atingido por um cocô de passarinho (versão posteriormente modificada pelos doutrinadores) mas a proximidade daquela bosta com sua massa cerebral o fez desenvolver uma teoria sobre a gravidade dizendo que as coisas caem porque o planeta atrai, e mesmo que suas propriedades sejam completamente desconhecidas até hoje, mesmo que lógicas não consigam ser explicadas como as dimensões do espaço ou o alinhamento da translação dos planetas no sistema solar, mesmo que isso não faça sentido, mas essa ideia bizarra de "gravidade" pegou e aparece todos livros e revistas científicas como se fosse a coisa mais natural do mundo.

EducaçãoEditar

Nas universidades, os professores ganham muito dinheiro com a teoria (teoricamente), exigindo que os estudantes aprendam teorias e reproduzam-nas em documentos denominados exames. Como recompensa por isso, o professor escreve em um pequeno pedaço de papel cinza que o aluno compreendeu a teoria e, portanto, pode aprender outras teorias. O aluno deve acumular muito desses pequenos resíduos de pedaços de papéis cinza ao longo dos anos e se transformar em um hipócrita metido só porque desperdiçou a parte gloriosa de sua juventude aprendendo as fantasias dos outros.

EpistemologiaEditar

Para a epistemologia, a teoria é apenas uma forma de ilustrar a opinião acerca de um pseudo-conhecimento tal que existe basicamente duas formas de teoria:

  1. Hipótese: É uma espécie de teoria mais errada ainda porque essa é hipotética.
  2. Tese: Na teoria, a tese é a conclusão de uma série de teoremas, mas na prática é apenas mais um conjunto de opiniões subjetivas.