The King of Fighters '94

Virtualgame.jpg The King of Fighters '94 é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Solid Snake enforca mais um Genome Soldier.

Smb-nes mario walk.gif
The King of Fighters '94 é da época da Velha Guarda dos Games

Porra! Aqui sim que é jogo bodybuilder, caralho!


Cquote1.svg Aew menózin, posso bater um contra cutigu? Cquote2.svg
Muleque do Fliper da Esquina te chamando para um duelo
Cquote1.svg Cadê o Iori? Cquote2.svg
Você sobre KOF '94
Cquote1.svg Tu joga cum u Kyo, manda o "Piranha"! Cquote2.svg
Outro Muleque do Fliper da Esquina pedindo para você mandar um Orochinagi
Cquote1.svg Em Togo, você rugaliza a espancada! Cquote2.svg
Inversão Togolesa sobre Rugal Bernstein
Cquote1.svg Num dêxa u Rugal fazê o "Cê não sai de casa"! Vai tirá teu láife todinhu! Cquote2.svg
OUTRO muleque do Fliper da Esquina sobre o mais impiedoso golpe de Rugal Bernstein, o Genocide Cutter
Cquote1.svg Meu avô sim era Cabra Ômi, ele matou mar de mil! Cquote2.svg
Jeremias sobre Chin Gentsai

The King of Fighters 1
The King of Fighters 94 cover.png

Capa do jogo da versão para Neo Geo

Informações
Desenvolvedor SNK
Publicador SNK
Ano 1994, óbvio
Gênero Street Fighter de viadinhos
Plataformas arcades de shopping center
Avaliação 50/100
Idade para jogar Livre

The King of Fighters' 94 é uma versão aviadada de Street Fighter II, um jogo de luta lançado em 1994 pela SNK permeado por diversos personagens metrossexuais, garotas usando armas que usam em puteiros, garotos(as) bestas que não batem numa mosca direito e gente quase nua e gente que nem o mais louco entende e que apesar de tanta bizarrice viria a conquistar uma sólida base de fãs. Seu ano de produção ainda é um mistério para toda a humanidade, mas há suspeitas de que foi produzido na década de 1990, tratando-se de um clone mal feito de Street Fighter.

The King of Fighters' 94 foi o primeiro jogo da famosa série de porrada The King of Fighters, também conhecida como Têquingui. Poucas pessoas o chamam de KoF, pelo motivo de sempre esquecerem como se joga ao tomar xaropes.

DesenvolvimentoEditar

A Capcom nadava em braçada em rios de dinheiro feitos de moeda de fliperama no começo da década de 1990, o sucesso de Street Fighter II foi algo inegável e sem precedentes na indústria dos games. Obviamente isso atraiu a atenção de todas as empresas desenvolvedoras de games da época e diversos clones surgiram tentando se fazer passar por Street Fighter, alguns apostando no 3D, mas todos sempre uma grande porcaria, como Killer Instinct, Virtua Fighter e World Heroes, mas então a SNK decidiu arriscar algo inovador, pois ao invés de criar um clone de Street Fighter trazendo apenas algum Ryu e Ken genéricos, eles foram ainda mais ousados e criaram um jogo inteiro onde todos uns 20 personagens seriam todos variantes de Ryu, Ken e Chun-Li, até o chefão Rugal seria apenas um Ken bombado e apelão, com apenas um Vega aqui e um Zangief acolá. Adicionado a este falta de carisma de praticamente todos personagens também foi adicionado o elemento de que todos personagens são viados, aparentando cantor de k-pop, ou no máximo cornos mansos, o que gerou uma certa empatia com um novo nicho de fãs que não se identificava com nenhum personagem do Street Fighter onde até então não haviam cornos ou viados.

Grande parte desses personagens pouco carismáticos estavam espalhados em jogos desconhecidos da SNK, então nem foi preciso criar tanta coisa nova assim, um trabalho a menos e um ponto a favor do projeto ter saído do papel, criando-se assim este jogo.

JogabilidadeEditar

 
Não é Ryu vs. Chun-Li, apenas dois personagens genéricos da SNK.

The King of Fighters' 94 é para Street Fighter II o que Free Fire é para PUBG, um é jogado por adultos e outro por crianças com tendências homoafetivas. É um jogo de luta básico e a novidade é que você seleciona trios de personagens. As lutas são uma mistura de Art of Fighting com Fatal Fury, o que resulta numa gameplay incrivelmente desequilibrada onde quem pega o o time do México vence e quem pega o time dos EUA perde.

Aspectos da gameplay marcantes são o fato de que não importe o quanto você esmurre o seu adversário com enormes combos, vai bastar ele encaixar um combo de 3 hits pra te deixar tonto, e se você estiver encaminhando a luta para um Perfect, nem se iluda, a CPU vai dar um jeito de inventar um dos vários One-Hit-Kill pra arrancar teu HP numa porrada só. Por isso o mais recomendável é que jogue contra um amigo e use o time do México caso nãoe steja procurando estresse.

EnredoEditar

Um magnata sem mais o que fazer conhecido como RRRRRRRRRugal mandou umas cartinhas para os mais melhores de bão lutadores do mundo, com o intuito de pegar os vencedores e transformá-los na mais nova decoração de seu porta-aviões (não é piada). Assim sendo, 24 lutadores se separam em trios de três lutadores para poderem lutar contra outros trios de três lutadores. Aquele que desse mais porrada e chegasse no último trio, poderia lutar contra o cara que mandou as cartinhas de convite aos trios, o Seu Rugal.

O personagem principal desse jogo é Kyo Kusanagi, um lutador que tem como hobby bater em seus oponentes (e deve bater pro Nikaido também...) usando as artes de porrada do seu clã, e que também taca fogo nos caras.

Cada time representa um país, mas os produtores do jogo esqueceram o pequeno detalhe de que para você ser considerado de certa nacionalidade você deve primeiro ter nascido no devido país respectivo. Por conta disso, temos: Dois americanos e um japonês no time da Itália; Dois japoneses e um italiano no time do México; Duas japonesas e uma francesa no time da Inglaterra; Dois americanos e um alemão no time do Brasil; uma japonesa CANTORA POP liderando o time da China (mas pelo menos os colegas dela são chineses mesmo). E pelo menos os times do Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos foram representados direito. Ou não...

PersonagensEditar

A SNK até fez uns personagens inéditos, mas também reciclou personagens aos montes. Há personagens extraídos de outros jogos da empresa, como Fatal Fury, Art of Fighting, Athena, Psycho Soldiers, Ikari Warriors e Dig Dug.

  •   Japão - Os japoneses foram vencedores do torneio, eles deram porrada em todos, inclusive você acredite ou não, no Rugal. conhecidos como Hero Team. A arena do time fica numa Parada Gay.
    • Kyo Kusanagi - Um delinquente, arrogante porém de bom coração, adora fazer churrasquinho dos adversários. O verdadeiro nome de Kyo Kusanagi era Syo Kirishima, mas mudaram para Kyo para ficar mais parecido com "Ryu". O nome original foi reutilizado no The King of Fighters 2000 como Striker do Kyo. Como Sie Kensou que era originalmente Kunsou, somente no jogo Psycho Soldiers, de onde foi retirado, mas como todo personagem tinha que ter sobrenome, modificaram o nome. Grandes Merdas...
    • Benimaru Nikaido - Um palermão que só quer chamar atenção das gurias retardadas, é um tipo um Guile todo gayzão.
    • Goro Daimon - Creditado como sendo o inventor das Havaianas de pau e quebrador de costelas, também conhecido como apelão dos counters, é uma mistura de Zangief com E. Honda só que com um tiquinho de apelação.
  •   Itália - Apesar do país, é o time dos americanos de Fatal Fury. A arena do time fica na Zona Leste de São Paulo, todo alagado.
    • Terry Bogard - Cópia descaradíssima do Ken, com a única diferença de usar boné e tênis, mas até Roriúgi ele solta.
    • Andy Bogard - Um baitola que só quer dar o cu e passa a vida fugindo da gostosa da Mai, sendo este o principal motivo de ser um dos menos escolhidos da história dos jogos de luta, não apenas porque sua voz é extremamente irritante mas porque se recusa veementemente em pegar a deusa do hentai.
    • Joe Higashi - O cara do Tiger Opaaah, a técnica do furacão supremo do suvaco, adora mostrar o toba para os adversários, não passando de uma versão aboiolada do Sagat.
  •   México - Time Art of Fighting e sua arena fica no Pao Pao Cafe
    • Ryo Sakazaki - Mais um Ken só que usando um quimono de mendigo do Ryu (só que laranja), acaba sendo um dos mais escolhidos porque o seu Hóri fodástico corta quase tudo, causando fúria nos adversários, menos o Genocide Cutter claro.
    • Takuma Sakazaki - O vovô transante, é aquele típico dilf do hentai que vai comer as menininhas todas, sendo ele o mestre do dojo Kyoguken, o grande Mr Karate.
    • Robert Garcia - O "Loba", um playboyzinho de merda, engomadinho e chato pra caralho que só entrou no dojo dos Sakazaki pra tentar comer a filha do mestre. Mas como todo personagem de King of Fighter é na verdade outro viadão e não consegue nada.
  •   Inglaterra - Time feminino formado por duas mulheres e a King. A sua arena fica no Castelo da Rainha.
    • Yuri Sakazaki - A gostosinha filhinha do papai a quem o Robert Garcia quer meter a rola, mas nunca consegue pois ela é evangélica e paga o dízimo. Ela transa só em hentais não-oficiais fora do canon da série.
    • Mai Shiranui - A rainha dos hentais, deusa da punheta japonesa, waifu suprema, tudo que envolva a Mai é propositadamente sexualmente insinuante, suas roupas, seus golpes, sua atitude, sua voz, absolutamente tudo ali direciona que ela seja a puta perfeita da punheta japonesa. Acredita-se ser a personagem com mais artes hentais na face da Terra.
    • King - O garoto mais viado do jogo porque se considera mulher e até cortou o pinto. Nos jogos seguintes vai ter colocado silicone nos peitos, mas nesse aqui ainda está recém transformado.
  •   China O Psycho Soldiers Team porque a SNK precisava de personagens fofos e engraçados. A arena desse time fica num templo xing ling.
    • Athena Asamiya - Ainda não havia descoberto sua vocação em ser guria retardada, mas já era metida a garota fofinha.
    • Sie Kensou - Moleque que apareceu só pra encher linguiça, é tipo um Ryu que não é mendigo, não para de comer pão de queijo e dizer "GUGU DADA".
    • Chin Gentsai - O velhinho bêbado, fedido e cuspidor de fogo que só tem quatro dentes e foi uma rara tentativa de personagem original.
  •   Brasil - A dupla dos três americanos naturalizados brasileiros, o Ikari Team. A sua arena obviamente fica na Floresta Amazônica, mesmo lar do Blanka.
    • Heidern - Talvez o único personagem não copiado, pois a Capcom que copiaria depois criando o Rolento. É só uma cara que tomou um pau do Rugal e perdeu um olho.
    • Ralf e Clark - Já que o time é brasileiro, obviamente teríamos ali uma dupla sertaneja da quebrada, dois malandros com agarrões sinistros bastante apelões e golpes especiais que tiram a vida toda.
  •   Coréia do Sul - O trio do Tae Kwon Do onde só um realmente honra o estilo do time. Sua arena é outro templo.
    • Kim Kaphwan - Começa sua aventura tentando recuperar os vagabundos da bandidagem e do mundo das drogas.
    • Freddy Krueger Choi Bounge - Um dos personagens mais filhadaputamente apelões do KOF, filhote do Freddy Krueger, é tipo um Vega com nanismo, o que resulta num desgraçado que não para quieto na tela com muitos golpes nem chegando nele, praticamente obrigando o adversário a lutar só com rasteiras.
    • Chang Koehan - Um gordão, só mais um Zangief da vida.
  •   Estados Unidos - Representando cada um os três esportes mais populares dos EUA, já havia tantos americanos nos times dos outros países que na hora de fazer o time dos Estados Unidos mesmo só sobrou um monte de bosta. Sua arena fica numa favela, no meio da torcida do Flamengo.
    • Heavy D! - Representando do boxe, já que o Street Fighter havia trago o Mike Bison para seu jogo o The King of Fighters trouxe o Evander Holyfield, no qual colocaram um moicano só para não haver problemas com direitos autorais como a Capcom teve com o Mike.
    • Lucky Glauber - Representante da NBA, provavelmente não foi escolhido por ninguém no Draft e acabou se revoltando, indo para a briga de rua.
    • Brian Battler - Representante da NFL, é só um valentão de escola.
  • Chefe
    • Rugal Bernstein - Filho da puta cretino que com certeza quem viveu na década de 1990 já xingou por ter feito perder todas as fichas no fliérama. Sua arena secreta fica no Acre.