The King of Fighters '96

Virtualgame.jpg The King of Fighters '96 é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, um Gigante de gelo mata um ulfsark.


Cquote1.svg Têquinqui of Fainterss Novienta y Sieisss Cquote2.svg
Narrador Fanho sobre The King of Fighters' 96
Cquote1.svg Até que enfim uma personagem brasileira gostosa!! Cquote2.svg
Pivete dos fliperamas sobre a estreia de Leona em comparação com o Blanka, os grandes brasileiros dos jogos de luta
Cquote1.svg GEEEEEEEEEEEEEEEEEEEESE! Cquote2.svg
Terry Bogard após saber que Geese Esta no torneio com Krauser e Mr. Big
Cquote1.svg Fracotes Cquote2.svg
Goenitz sobre Você

Têquinqui 96
The King of Fighters 96 cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor SNK
Publicador SNK
Ano 1996 (ORLY?)
Gênero porradaria
Plataformas Arcades
Avaliação Ainda fez menos sucesso que Street Fighter
Idade para jogar 15 anos (Semi-nudez excessiva)

The King of Fighters' 96 é a versão realmente melhorada de The King of Fighters '94 (sendo The King of Fighters '95 apenas um rascunho mal feito) desenvolvido e distribuído pela SNK, firmou-se como um dos grandes jogos de luta da época de ouro dos arcades, ao lado de obras primas como o Campeonato Brasileiro 96, Street Fighter Turbo Alpha Ultra Mega Remix e Marvel vs. Tamsoft.

DesenvolvimentoEditar

A SNK, totalmente focada em copiar o sucesso da Capcom, teve uma ideia para disfarçar como sua franquia não era plágio de Street Fighter II. Ao invés de relançar o mesmo jogo todo novo ano como a Capcom fazia, a SNK decidiu realmente lançar um jogo novo por ano, lançando de propósito jogos ruins e cheios de defeitos em 1994 e 1995 para depois melhorar esses defeitos e dizer que em 1996 lançou um jogo totalmente melhorado e incrível.

Em The King if Fifghters '96 praticamente todos os personagens sofreram mudanças nas magias, golpes, animações e comandos, exceto Athena, Sie Kensou e Iori Yagami que continuaram altamente bugados e apelões. As magias agora ficavam nas mãos e não atravessavam mais a tela do jogo até o oponente, nem mesmo o Hepukken do Geese ia mais pelo chão. Kyo Kusanagi ganhou mais variações na magia aprendendo seus famosos golpes Bodi ga ame zee e o Kurae, porque os desenvolvedores viram que ele estava muito parecido com o Iori. Sem falar em Ryo Sakazaki que tinha a magia idêntica ao Hadouken do Ryu mas que agora para tentar disfarçar um pouco mais mudaram seu Ko Ou Ken, assim como os golpes copiados de Yuri e Robert também.

JogabilidadeEditar

 
Só os fanboys mesmo pra notar alguma diferença em relação ao 94 e 95.

Neste novo jogo as esquivas foram trocadas por roladas, sobrando apenas para os personagens lentos como Ralph e Goro a possibilidade de fazer esquiva, porque eles forem rolar no chão vão rasgar a cueca. Este versão decidiu beneficiar os jogadores ofensivos, criando vários problemas para quem só gosta de ficar na defesa, tanto que agora tem o Guard Crush, que quebra a defesa daquele retranqueiro desgraçado. A barrinha do POW que te deixa invencível foi substituída pela chance de soltar um super especial.

O jogo ficou mais fluido, parecendo mais um Street Fighter e se distanciando de Mortal Kombat. Agora vence o jogador que souber pular melhor, porque tem o pulo normal, pulo longo, pulo curto e pulo curto longo. A tática é sair pulando pela tela igual um retardado que bebeu Red Bull pela cavidade anal. E se você for acertado, não há mais aquelas quedas longas e chatas, nas quedas já é possível sair rolando. Por isso The King of Fighters ganhou essa fama de jogo de boiola, afinal os bonecos não param de pular, pois é melhor sair rolando e pulando igual um retardado do que defender, embora agora dê para defender enquanto pula.

Mas nada muda que o jogo continua desbalanceado, pois quem escolhe a Mature, por exemplo, pediu pra perder, pois ela não tem um combo de sequer dois golpes visto que qualquer pancadinha dela manda o oponente pra longe impedindo qualquer sequência. Enquanto quem escolheu o Chin automaticamente já ganhou, especialmente se souber soltar aquele maldito golpe onde ele deita no chão. Isso sem contar os combos infinitos e a imensa quantidade de bugs causados pelas magias da Athena e Goenitz que faz personagem sumir ou ficar imune.

EnredoEditar

Após a décima derrota de Rugal (e a 400° ficha gasta - ninguém vence o Rugal de primeira...) em The King of Fighters '95, a história desta sequência se passa durante um torneio de strip-tease organizado pelo COI e transmitido para o mundo inteiro pela televisão, assemelhando-se muito ao torneio mundial do Dragon Ball organizado pelo UFC.

A organizadora do novo torneio é uma macumbeira chamada Chizuru Kagura, ela que sonha em acabar com um pseudo-Rugal chamado Goenitz que acredita ser a reencarnação de Orochi, o Rei dos Viados (que inclusive tem uma imagem de uma rola enorme tatuada no seu peitoral sarado). Chizuru teme que essa reencarnação transforme todos homens do mundo em viados assumidos, e observa que isso já está acontecendo ao reparar no comportamento de Kyo, Joe, Iori, Benimaru, Kim e tantos viados. O problema é que Chizuru vai precisar que Kyo e Iori trabalhem juntos, mas se eles simplesmente trabalharem juntos vão assumir sua homossexualidade e deixar Orochi despertar, então a ideia é criar esse novo torneio de luta para que ambos se odeiem bastante e não se apaixonem. Mas o plano dá muito errado.

Parece que Kyo e Iori finalmente vão abraçar a causa homossexual e sair do armário, mas antes que o romance desenrole, Iori adquire um tipo de tuberculose altamente contagiosa e começa a cuspir sangue, gritar de dor e pedir um beijo na boca. Todos os outros lutadores, com medo de contaminarem-se, afastam-se de Iori (mas já se sabe que no futuro da série todos os outros personagens ainda pegarão essa terrível doença).

No final, após muitíssimas fichas gastas, Goenitz é derrotado e nem precisava daquela palhaçada toda.

PersonagensEditar

Os personagens estão distribuídos nos mesmos times manjados de sempre, mas há algumas novidades.

  • Fatal Fury Team
    • Terry Bogard - Após ver que GEEEEEEEEEEEEEEESE estaria no torneio como competidor comum, Terry volta para defender o título de arremesso de Geese sem paraquedas
    • Andy Bogard - Ninja metrossexual que continua fugindo de buceta igual nazista foge do Exército Vermelho. Copiou os golpes de chutes parafuso da Cammy porque seu sonho é um dia vestir aquele biquíni verde atochado no cu.
    • Joe Higashi - Voltou bem apelão, mantém sua mania de não lavar as axilas, por isso com uma simples erguida de braço faz subir um futum azedo que mata qualquer um.
  • Art Of Fighting/Sakazaki Team
    • Ryo Sakazaki - A SNK bem que tenta forçar ele para ser o seu Ken, mas sua falta de carisma e os golpes copiados do Ryu fazem dele o personagem mis esquecível do time.
    • Yuri Sakazaki - Depois de dois anos jogando SIIIESSAS nos noobs de fliperama, Takuma Sakazaki se aposenta e chamada para substituir seu pai no time é a Yuri. Agora não temos mais os Adugões que ocupam a tela inteira, mas apenas os Aduguinhos da Yuri.
    • Robert Garcia - Acredita que a sorte finalmente sorriu para si pois a sua crush, Yuri, agora está em seu mesmo time. Apesar de ser talvez o único personagem não viado do jogo, é tímido demais e não consegue nada de sua amada.
  • Woman Fighters Team
    • King - Dona do famoso golpe "Me da uma sprite!", King ainda continua sendo um garoto que se considera mulher, mas não cortou o pinto.
    • Mai Shiranui - Mestra suprema do hentai, se nos dois jogos anteriores já era altamente sexualizada, a vadia consegue se superar ainda mais porque cada movimento e cada sprite da personagem é absolutamente focado em mostrar bunda e seios.
    • Kasumi Todoh - Chamada para substituir a Yuri, esta personagem serve para mostrar como a SNK se supera a cada novo lançamento, sendo capaz de plagiar a si mesma, pois essa Kasumi nada mais é que um plágio da própria Yuri, só que de cabelo azul. É uma filhinha do papai qualquer.
  • Ikari Warriors Team
    • Leona Heidern - Depois de ter tomado duas surras consecutivas de todo mundo nas duas edições anteriores, Heidern decide passar a liderança do time para sua filha Leona Heidern, aumentando a quantidade de mulheres do jogo e diminuindo a quantidade de golpes-helicópteros.
    • Ralf e Clark - Agora a dupla sertaneja obedece uma mulher e cresce a rivalidade entre eles sobre quem é mais escravoceta da nova chefa.
  • Japan Team
    • Kyo Kusanagi - Churrasqueiro que foi o campeão do torneio mais uma vez.
    • Benimaru Nikaido - Japa altamente gay e metrossexual pegador de garotinhas bissexuais.
    • Goro Daimon - O inventor da Havaiana de Pau.
  • Yagami/Rival Team
    • Iori Yagami - Após ter mandado Eiji Kisaragi e Billy Kane tomarem sopa de canudinho por não terem espancado o Kyo no jogo anterior, Iori decide recrutar as secretárias do Rugal numa tentativa de parecer mais macho ao se rodear de duas gostosas, e assim tentar derrotar o churrasqueiro arrogante.
    • Mature - Secretária sueca e gostosa que tenta, em vão, fazer de Iori alguém menos emo.
    • Vice - Torcedora assumida do Vasco, após não ser comida uma vez sequer durante todos os eventos do jogo anterior, decidiu virar uma lésbica bissexual ninfomaníaca.
  • Time dos Cabra-macho
    • GEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEESE! - Após ver que o Goenitz estava tentando roubar o seu título de supremo APELÃO da SNK, Geese decide subornar dois sub-bosses para trabalhar para ele e participar da porra do torneio lá.
    • Wolfgang Amadeus Krauser - Aquele personagem que você escolhe na hora de apelar. É só spamar aquele golpe dos dois pés no peito.
    • Mr. Big - Apesar de estar no time dos chefões e ser um bombado, na verdade é o pior personagem, parece apenas um obeso lento e fraco.