Abrir menu principal

Desciclopédia β

The Top

O Topo
The Top Fita cassete.jpg
Lançado em fita
Lançado em 1984
Gênero indefinido
Gravadora Fiction Records


Cquote1.png Foi querer inovar, se deram mal! Cquote2.png
Oscar Wilde sobre The Top

The Top é o quinto álbum do The Cure e o primeiro da banda voltada para o público infanto-juvenil, repleto de musiquinhas cantadas nos jardins de infância do Reino Unido, como "Marcha Soldado", "Atirei o Pau no Gato" e "Ilarilariê". Em recente entrevista, Smith considera essa a fase mais vergonhosa de sua carreira, e não lembra como foi capaz de fazer um disco daqueles devido a uma amnésia alcoólica.

A banda havia passado por uma grande reformulação com a saída de Simon Gallup, e seu baixo depressivo. Robert Smith estava preocupado, grande parte dos seus fãs haviam se suicidado após o sucesso do álbum Pornography e a banda não estava mais vendendo bem, pensando em como resolver isso, Smith depois de cheirar muitos (mas muitos mesmo) gatinhos, teve a brilhante ideia que garantiria o futuro da banda se conquistasse a simpatia das criancinhas, então deu uma reformulada geral e completa no The Cure, fazendo todo mundo se vestir como palhaços e tocarem saltitantes e alegres musiquinhas. Essa mudança radical já era anunciada com os hits pastelões "Let's Go to Bed", "The Walk" e "Lovecats".

O álbum saiu ruim demais... Nossa, que lixo, o The Cure perdeu muitos fãs nessa época, a sorte foi que conseguiram lançar o mega-sucesso The Head On The Door 2 anos depois, que ofuscou o fiasco de The Top.

MúsicasEditar

 
The Cure de 1984 pulando de felicidades com o resultado do The Top.
  1. "Shake Dog Shake" – 4:55, Música dark que dá uma enganada no início do álbum e você pensa que vai escutar algo gótico, mas o The Top é uma cilada!
  2. "Birdmad Girl" – 4:05, Musiquinha feliz onde Robert Smith fica dando uns gritinhos e a primeira música do The Cure sem referências à dor de corno.
  3. "Wailing Wall" – 5:17, Música com um ritmo de batucadas indígenas.
  4. "Give Me It" – 3:42, Faixa que qualquer pessoa normal sempre pula, não passa de uma gritaria e barulheira sem harmonia.
  5. "Dressing Up" – 2:51, A primeira música gay do The Cure lançada em um álbum.
  6. "The Caterpillar" – 3:40, Sei lá, parece uma coisa mexicana misturada com toques de violino. É a prova do que o LSD não pode fazer.
  7. "Piggy in the Mirror" – 3:40
  8. "The Empty World" – 2:36, Uma marchinha de exército.
  9. "Bananafishbones" – 3:12, Música que durante muito tempo foi tema de fundo de diversos circos na Europa.
  10. "The Top" – 6:50, Última faixa do disco. Faltou criatividade, colocaram quase 7 minutos só de "Tum dum dam, tum dum dan, tum dum dan, tum dum dan, tum dum dan..."

The Top: Deluxe EditionEditar

Em 2006, com o intuito de ganhar uma grana extra, o The Cure relança o The Top como CD duplo repleto de raridades que ninguém se importa, mas o Robert Smith se importou muito com a fortuna que custava esse disco, mais de 100 pila.