Abrir menu principal

Desciclopédia β

Transporte em Brasília

Poluicaoatmosferica01.jpg Este artigo está poluído!

Pegue uma máscara de oxigênio e uma garrafa vazia
para carregar ar. COF! COF! COF!


Como qualquer 'sistema', o sistema de transporte em Brasília também tem o objetivo ferrar com algo ou alguém, neste caso o dia do brasiliense, que vive travado em uma das mil Estradas Parque (EPs) espalhadas por todo o Distrito Federal, dentro de um "Novo" Uno, HB20, Jeep Renegade ou num coletivo mesmo, aqueles novos e apertados e com os botões indicadores de próxima parada quebrados. Mas o candango só pega o transporte coletivo se ele não tiver uma carroça qualquer na garagem [1] ou se tiver o veículo apreendido pelo DETRAN [2], tem que pegar um coletivo, já que em Brasília é impossível se locomover a pé[3].


O vandalismo passa dos pais pros filhos

O transporte coletivo em Brasília é como aquele pagode de pobre realizada toda sexta-feira, só que diferente daquela zona, num coletivo você (pelo menos finge[4]) não conhece ninguém. Além da fisionomia das pessoas que frequentam, ambos os recintos compartilham toda a sorte de trabalhadores desempregados, jovens de família e outros tipos de desocupados, que adoram vandalizar os bancos do coletivo com uma singela homenagem ao último assento que sentaram, ou uma mensagem idiota, como aquelas encontradas facilmente em qualquer blog ou página popular do caralivro. O transporte público de Brasília é cheio de gente mau cheirosa e que as 06:30 da manhã já estão suando, o que te convence a ir coberto por uma sacola preta reforçada de lixo, pra poder não pegar cheiro de gente sebosa. É em um ônibus de Brasília que podemos encontrar o maior número de gente esquisita por m², desde góticos á anarquistas que têm a UNB como habitat, andam com um forte odor de maconha e tem como principal desocupação pichar os corredores das passagens subterrâneas das asas sul e norte. Estes também ajudam a compor alguns grupos de vagais que tenham como intenção fechar o Eixo Monumental com alguma manifestação estúpida, e invadir prédios particulares abandonados..., coisa que costumam fazer diariamente.

Onibus circulando em brasilia

Índice

HistóriaEditar

 
Primeiro caveirão zebrinha de brasólia.

A história do transporte em Brasília remonta aos anos de 1960 e mil quando os primeiros candangos que moravam na cidade livre, uma invasão que deu origem ao Centro do cú Bandeirante, precisavam fazer algumas comprinhas, já que invasões não costumam ter um mercadinho sequer, por razões burocraticamente obvias. Foi ai que o antigo prefeito de Brasília[5] pensou que seria economicamente mais vantajoso criar um transporte público onde um otário qualquer pagasse a passagem mais cara do país (afinal, esse cidadão aí deve ser mais um funcionário público mesmo...) e pudesse andar em uma das carcaças que chamavam de ônibus, geralmente da Viadão Planalto (a Viplan[6]) uma empresa do dono da VASP (não aquele seu, era a empresa de avuação). Se permite me fazer uma pequena observação, a Viplan desde a inauguração do feudo federal foi a irrespossável pela execução deste tipo de serviço.

Com o crescimento das invasões, o governo foi obrigado a usar a Rodoviária do Plano Piloto (que não era tão suja na época) pra abrigar as Mercede$-Ben$$ que faziam o transporte entre o nada[7] e os puxadinhos como eram conhecidos o Cruzeiro, Centro Bandeirante e outras "extensões" que mais tarde foram crescendo por causa das "invasões". Com o aumento de brasileiros por m², que são naturalmente porcos, a rodoviária do plano piloto com o tempo se tornou sinônimo de mal cheiro, feiura e mendingância, fazendo disso a imagem da capital para o mundo, fora a maior pizzaria da América Latrina, o poder e seus desmandos.

 
Um ônibus da viplan. Na imagem o motorista queria fazer Drift.

Na época também foram postos uns ônibus vermelho com listras brancas ou uns ônibus brancos com listras vermelhas. Em razão dessa besteira que ninguém soube responder, esses microônibus foram chamados de zebrinhas, muito também porque deve ter custado uma fortuna mas ninguém os usam (ou seja, deu zebra).

Depois de 2012, o então desgovernador da zona distrital Agnulo Queroz promoveu o que ele mesmo chamou de "ampla reforma no transporte público". Seu , o único feito dele mesmo foi tirar a Viplan e seus enlatados moveis, empresa que não queria largar o osso há mais de 50 anos[8], feito que não deve ser ignorado se considerar que nem o dono desse feudo federal e amigo pessoal do dono daquela empresa, Joaquim Roriz, conseguiu realizá-lo. Continuou o mesmo cartel e hoje a empresa que substituiu a falida Viplan na qualidade do serviço prestado (ou a falta dela) foi a Viação Pioneira, outro lixo.


Principais viasEditar

 
Um racha entre um ônibus e um caminhão no Eixo Monumental
  • Eixo Monumental — Aquela via tão odiada pelos brasileiros em geral, ao decorrer dela estão dentre outros monumentos ao desperdício de dinheiro a Esplanada dos Ministérios, o Palácio do Planalto e o principal centro gastronômico da capital, a Pizzaria Dom Bosco, bastante apreciada pelos brasileiros em geral.
  • EPTG — Estrada Parque Taguatinga
  • EPNB — Estrada Parque Núcleo Bandeirante
  • EPAR — Estrada Parque Aeroporto
  • EPDB — Estrada Parque Dom Bosco


Rodoviária do Plano PilotoEditar

 
Note esse encoxador feliz em pegar seu ônibus de cada dia na rodoviária.

Na rodoviária do plano piloto é onde podemos encontrar de tudo, desde supostos estudantes de humanas vendendo miçangas (e outros baratos), crentes enchendo o saco as 23:00 de uma segunda-feira, etc. O local parece muito com a sua casa: fede, por mais que você limpe continuará fedendo e está sempre em obras, por mais que resolva uma rachadura aqui vão aparecer duas acolá porque foi tudo mal feito, igual a cara do seu pai ou do engenheiro que projetou essa pocilga.


Tipos de ColetivosEditar

No centro há a predominância no uso do carro, até pra tomar um café na padaria no comércio ao lado de casa o candango tem que usar o carro. Em regiões de crasse médiaocre como Tabatinga e Águas "Claras", o tipo de transporte mais usando ainda continua sendo o carro, mesmo com um metrô a disposição, os moradores dessas regiões sentem prazer ao travar na Estrada Parque Taguatinga por duas horas todos os dias da semana. E por fim, nas demais regiões o tipo de transporte coletivo mais usado é o ônibus. Até porque para as demais regiões só tem o ônibus mesmo. Nem carro podem ter.


MetrôEditar

 
Mapa do Metrô de Brasília com as estações

O metropolitano de Brasília é uma das seletas obras que fazem parte do pacote de obras com o selo Roriz de qualidade. Como toda obra pública feita no brasil, esta também foi uma obra superfaturada criada pra atender apenas interesses políticos, visto que a região sul de Brasília tem um gado maior, e gado é igual a voto, pelo menos pro Joaquim Roriz, já que ele entende melhor desse negócio que é cuidar de bezerras. O metrô de Brasília tem algumas estações que estão em obras há décadas, e já virou promessa política de eleição[9], que igual a copa e as olimpíadas, é repetida de quatro em quatro anos.


ÔnibusEditar

Em Brás ilha transportam o rebanho naquelas Mercedes-Benz que cabem todos os habitantes de uma Vila da Vagem ou Calangolandia. Normalmente são usados os menores ônibus em partes mais populosas, normalmente em favelas comunidades faveladas, e ônibus com ar-condicionado, Wi-Fi ilimitado, TV a Cabo com todos os canais abertos e outras mordomias, no centro ou em locais mais nobres como o sudoeste, o norte, o sul, o noroeste e outras direções da rosa-dos-ventos. Essa disparidade tem uma justificativa, reduzir a taxa de natalidade em localidades mais carentes onde impera a seguinte sequência:

baile funk →‎ transar →‎ teste de DNA no ratinho →‎ reconciliação →‎ outros filhos →‎ repete sequência ↵

.

Empresas de ÔnibusEditar
 
Limpeza dos veículos somente na parte externa, porque o que vale é a impressão.

Depois que o ex-governador do Detrito federal resolveu mudar o cartel pro jeito dele, estas são as empresas que estão atuando na máfia dos transportes na ilha de Brás:

  • Viadão Marechal — Uma viação que atende a região da favelândia, taguapark.
  • Viadão Pioneira — A Viplan do séc. XXI, uma merda de empresa que vive de greve. Nesta empresa foram parar os piores vagabundos do cartel que vigorava antes e como não podiam deixar de trabalhar antigamente, aproveitam agora pra sair de greve toda semana. Os motivos são os mais inusitados, desde a amante do presidente do sindicato a mãe do cobrador de ficou um dia sem poder sentar. É a organização com o maior número de ônibus quebrados no DF, e isso depois de completar apenas um ano com os "coletivos novos". Esta organização criminosa também é responsável pelo BRT de brasilia, mais uma obra superfaturada pra lista das não concluídas pra Copa do 7x1 de 2014.
  • Viadão Piracicabana — A empresa com os ônibus mais estreitos possíveis, e normalmente atende locais com muitos estudantes que não estudam, como a Universidade de Brasília e universidades particulares também. A idéia é fazer um purê de gente e apesar dos estudantes parecerem aqueles drogados da cracolândia de tão magros, os coletivos da empresa também acabam coletando muita gente gorda, a ponto de uma curva fazer um ônibus tombar[10]. A empresa também finge atender masmorras como Planaltina e pequenas vilas como o Cuzeiro
  • Café Expresso São José: A única viação antiga a continuar rodando depois que o Agnulo Quiroz refez o cartel do transporte público em brasília. Dentre todas, foi a primeira a receber os novos velhos ônibus e a primeira a ter um veículo quebrado no caminho também.
  • Urbi iMobilidade Urbana — Uma empresa qualquer que serve a região do Cú do Bandeirante, Diacho Fundo e outros currais bem distantes do centro.
 
O "coletivo dos excelentíssimos".
  • Transportes Coletivos de Brasília (TCB) — Assim como qualquer estatal brasileira, a TCB é uma empresa pública de transporte que está ali apenas para servir pessoas como funcionários públicos, deputados e senadores, e outras personalidades comumente odiadas, que nada agregam a não ser a folha de custos pra manter todo aquele luxo. São os únicos ônibus inquebráveis (porquê né?), sempre atuais e com uma suspensão robusta até para aguentar os pequenos buracos que possuem na avenida W3 Sul. Não sabemos se eles pode aguentar aqueles buracos comuns de se ver numa Vicente Pires da vida pois a chance dele passar por lá é nula, assim como vê-los circular em qualquer favelão da vida. Atende ao Sudoeste e Octogonal, quase todo o Eixo Monumental e qualquer repartição que tenha "Federal", "Nacional" ou "União" no nome, como o Tribunal de CU.

Transporte PirataEditar

Se não for o tipo de transporte oficial do Distrito, é um dos oficiais porque nessa modalidade o "bagulho" é de fato "frenético". Odiado pelos taxistas e pelos motoristas de ônibus, em razão de ser mais eficiente que os dois juntos, este é o transporte do verdadeiro pião brasiliense, contrapondo ao ônibus que é tomado por almofadinha pobres e folgados, no transporte pirata o cidadão entra antes de perguntar o preço, porque ele sabe que vai se foder do mesmo jeito, seja no caminho com as blitz, o motorista se ele for um molestador ou estelionatário (a mesma coisa), ou pelo patrão que vai querer saber porque o cara chegou 10 minutos antes e não 20. É a melhor forma de aproveitar a vida caso o cidadão não tenha tempo pra nada.

TaxiEditar

  Experimente também: Über  
Sugestão do Google para táxis de Brasília

Pegar um táxi em Brasília é de duas uma, ou tem que estar muito bêbado, ou ser doido da cabeça. Ande alguns metros e os taxistas vão te cobrar tudo o que tem, desde seu salário (isso se tiver) a esposas (se bonitas), filhos (se tiverem alguma utilidade no futuro), etc. Só não é problema pra alguns, porque que usa esse serviço paga com o seu dinheiro. É o assalto legalizado na cidade da falcatrua legalizada.

EntornoEditar

 
Um coletivo do entorno.

O Entorno do DF, ou transtorno (alcunha carinhosa dada pelos moradores do detrito federal), são os maiores responsáveis pelo engarrafamento nas vias do sul (que na verdade ficam à oeste) de Brasília, por causa de seus ônibus velhos e encarroçados que vivem quebrando ao longo da BR-040. O povo lá vive pior que aqueles imigrantes sírios na europa porque moram num barraco, tem que andar mais do que seu patrão faz na maratona de São Silvestre só pra pegar um ônibus (do DF ainda por cima) e por causa disso ainda tem de ouvir reclamação dos moradores do Gama, Planaltina ou Santa Maria.

GaleriaEditar

Nota: A galeria aqui se refere a imagens e não aquele chiqueiro que tem no centro!

Segue abaixo algumas algumas acrobacias e números circenses que acontecem na capital:


  1. Ver um candango sem carro é algo muito raro de se ver. A cada meio milhão de habitantes com dois carros sempre tem um probretão sem nenhum. Normalmente esse último deve morar no "condomínio" sol nascente em sei landia, na papuda sem cerca e arredores ou no lixão de brasília.
  2. O DETRAN de Brasília só apreende veículos de pessoas que não podem dar carteirada. É uma forma do órgão gerar receita já que ele não produz nada além daquelas agentes gostosas fardadas e que só andam de óculos escuros. Mas tudo isso tem um preço.
  3. Juscelino e seus amiguinhos só andavam de carro, então fizeram uma cidade só pra eles. A cidade não tem calçada, não tem porra nenhuma pros pobres dos pedestres poderem andar. E não dá pra eles usar o acostamento porque motorista lá tem uma lógica própria de direção: o acostamento é a primeira faixa útil, a última faixa da esquerda é para veículos muito lentos e as faixas centrais sobram para ultrapassagens.
  4. Ninguém merece rever aquele chato que a muito tempo não enchia teu saco.
  5. Manter o Detrito Federal não era tão caro na época porque funcionava como uma prefeitura qualquer. Depois da desconstituição de 88, que inventaram um recinto igual a sua Assembléia Legislativa + Câmara Estadual, ficou caro bagarai.
  6. Enquanto existiu a Viadão Planalto foi um primor em ineficiência em transporte, como pode ser observado nessa notinha aqui
  7. Até 1990 Brasília se resumia a Esplanada dos Ministérios/Praça dos Três Poderes e a W3 Sul, uma via da Asa Sul e as invasões que depois passaram a ser cidades assaltélites.
  8. A Viação Planalto tem mais tempo de operação do que a sua mãe tem de cama, digasse di passage...
  9. Este chorão que assumiu o governo prometeu ampliar a extensão do metrô, o ladrão anterior também já tinha prometido ampliar a extensão do metrô, o bunda-mole que governou antes do ladrão e que tinha assumido depois do vice do panetone renunciar também prometeu ampliar a extensão do metrô, o dono de uma empreiteira que assumiu o governo antes e que era vice do propineiro DEMocrata e tinha assumido após o propineiro perder o mandato também prometeu ampliar a extensão do metrô, o governador panetone também prometeu ampliar a extensão do metrô, a Vadia anterior ao panetone também havia prometido, Roriz prometeu primeiro aquela porra e não o fez.
  10. Há relatos que este acidente foi causado pela quantidade de gente obesa no ônibus.
  11. A linha 0.111 é a linha que faz o trajeto da rodoviária até o presídio da papuda, mas não se engane, que usa esta linha é mula, isto é, marmita de bandido que vai entregar droga pra um traficante preso, e não um mensaleiro do DEM, PT ou do PSDB.