Abrir menu principal

Desciclopédia β

Turismo no Brasil

Turismo no Brasil é uma nova e moderna maneira que gringos do mundo inteiro encontraram de passar por emocionantes aventuras radicais, quase um Jogos Mortais da vida real, uma prática aonde turistas de todas partes chegam nas principais cidades brasileiras carregando seus valiosos celulares, máquinas fotográficas, óculos, pulseiras, anéis e rolex, caminhando nas ruas tão distraídos e teoricamente vislumbrados com umas supostas paisagens bonitas do Brasil despreocupados como se estivessem na Noruega, numa espécie de versão moderna live action da roleta russa onde a adrenalina de poder ser assaltado, assassinato e estuprado a qualquer momento da viagem é uma emoção indescritível para estes visitantes, o que dirá então se derem a sorte de acordarem numa banheira de gelo sem um rim ou coração a menos, afinal, em que lugar do mundo que não existe tráfico negro de órgãos?

Turismo urbanoEditar

 
Turista aproveitando as coisas boas que o Brasil tem a oferecer travestis baratas boas companhias pra se passar a noite.

O destino predileto dos turistas é a ensolarada, poluída e inacreditavelmente abarrotada de favelas cidade do Rio de Janeiro, onde os gringos caso não sejam estuprados podem ir supostamente visitar o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar. Francamente, ninguém entende direito a graça de ir a estes dois lugares para ficar suando bicas em filas intermináveis a troco de nada, mas lá é tão lotado porque estes turistas todos precisam de um álibi de que estão no Rio de Janeiro para ver essas coisas sem graça e não para frequentar o calçadão de Copacabana na madrugada para contratar prostitutas baratas, ou passar a manhã nas praias de Ipanema encarando os biquínis das gostosas, ou no Leblon tomando banho de um mar poluído lotado de stafilococus. Antes de ir embora, nada melhor que assistir uma das maiores peladas do mundo que é qualquer jogo de Campeonato Carioca no Maracanã onde a torcida de algum dos times grandes locais está em pavorosa enlouquecida pelas vitórias consecutivas de seu time devido ao nível desgraçadamente baixo da competição. Poderia-se citar todas maravilhas da visita às favelas e aos pancadões de funk cheios de AIDS, mas é melhor não dar essa ideia errada.

 
Turista alegre sendo muito bem recebido ao visitar Rio de Janeiro.

São Paulo é a versão noturna do Rio de Janeiro, porque de dia só tem gente trabalhando, mas de noite é uma festa em cada quarteirão, o problema é que o povo paulista parece que ao nascer levaram todos uma surra do médico, pois são todos malucos, estressados, deprimidos, raivosos, revoltados e portanto é melhor manter distância segura. Recomendam ir ao Museu de Arte de São Paulo dar esmolas a uns pobres coitados que lá vivem fazendo malabarismos e à Avenida Paulista testemunhar os famosos engarrafamentos de São Paulo. Um pouco mais distante está o Hopi Hari, a maior cópia fail do Waterworld da América Latina.

A capital Brasília chama atenção por sua arquitetura, mas não se deixe enganar pelos nomes "Palácio da Alvorada" ou "Palácio do Planalto", chegando lá esses monumentos são qualquer coisa, menos algum palácio. O monumento mais visitado todavia é a Catedral de Brasília de ninho de centopeias contorcidas.

Fazer turismo no sul do Brasil é perda de tempo, como lá só tem nazista eles tratam os visitantes como lixo, exceto no interior em cidades como Gramado que são muito visitadas por ser um pedaço poser de Europa no interior do Brasil.

Já no Nordeste do país, para quem procura calor, fedor, música ruim e gente feia, Salvador é a pedida, chamando atenção o seu centro histórico onde está o Pelourinho e lá habitando escravos até hoje. Enquanto outra opção válida seria a cidade de Natal onde tem dunas e a Fortaleza dos Reis Magos.

No norte só existem duas cidades na selva amazônica. Belém, que esta recomenda-se total distância porque seu único ponto turístico, aquele mercado Ver-o-Peso, é o maior crime contra a higiene que já se viu na face da Terra. E a outra cidade nortista é Manaus, onde fica o Teatro Amazonas que só serve para enfeitar já que o povo local não tem cultura para frequentar teatros, ou ir para o rio assistir o fenômeno do Encontro das águas onde a água barrenta do Rio Solimões encontra a água de esgoto do Rio Negro.

Turismo naturalEditar

O Brasil tem um montão de chapadas abertas para visitação como a Chapada dos Veadeiros a Chapada dos Guimarães e o Parque Nacional das Emas, estes locais são conhecidos por serem muito mal frequentados por uma turma de adolescentes pseudo-hippies que na prática não largam o celular pra curtir a sua suposta natureza.

No sul estão as Cataratas do Iguaçu que infelizmente é proibido descer suas corredeiras dentro de barris como na divertida Cataratas do Niágara.

No Centro-Oeste está o Pantanal brasileiro, muito visitado por pessoas, especialmente gaúchos, que desejam nunca mais serem encontrados, porque devido aos charcos e areia movediça que existe por lá, a passagem é só de ida para esse inferno de puro calor.

E não podemos esquecer de Fernando de Noronha, um protótipo mal feito de "Havaí brasileiro".

CulináriaEditar

O Brasil é um país de variada cultura gastronômica, geralmente tendendo para pratos extremamente açucarados ou extremamente salgadas. O prato típico mais brasileiro é aquele que combina arroz, feijão, bife e uma salada cretina, mas praticamente cada estado tem sua refeição, como os paulistas que só jantam pizza, os cariocas que só almoçam feijoada, os mineiros que comem aquele feijão extremamente estranho cheio de coisa misturado que chamam de tropeiro porque não estraga nunca, os baianos comem um pedaço de pimenta pura que chamam de acarajé, os gaúchos colocam um boi numa brasa e fazem o denominado churrasco por mais que os direitos dos animais condenem a prática, os cearenses comem vômito de bode e os paraenses tem coragem de comer tucupi, um caldo indígena feito a partir de urina de mico-leão-dourado. A diversidade é imensa!

  Brasil
HistóriaPolíticaSubdivisões
GeografiaEconomia
CulturaTurismo