Abrir menu principal

Desciclopédia β

UNIBLAH

A UniBlah, situa-se no interior do Acre e também conhecida como UniEsquina - Campus Acre, UniPizza, FAPONE (Faculdade de Porra Nenhuma), UniCórnio, Uni-Duni-Tê ou UniPPP (Universidade Papai Pagou, Passei), é um faculdade genérica particular de qualidade duvidosa.

Índice

Principais vantagensEditar

  • Ao contrário de lugares onde é exigido vestibular, lá você encontra gostosas a rodo.
  • Não faltando mais de 25% das aulas (leia-se, pedindo pros manos assinar a lista pra você), você passa de ano.
  • Se não conseguir passar, você pode fazer o curso por carta pela FaFunQ (Faculdade Fundo de Quintal) pagando o carnê na lotérica mais próxima.

Principais desvantagensEditar

  • Você pode tornar-se mais idiota, já que ocorre uma espécie de difusão de conhecimento entre os alunos.

Para ser o melhor alunoEditar

 
Alunos aguardando ansiosamente o início da aula em uma Uniblah.

Para estar entre os melhores alunos, basta procurar uma Uniesquina em uma cidade que faça frio o ano todo (para que em toda prova você precise ir com uma camisa de manga comprida). Após encontrada a UniBlah ou Uniesquina, procure ser o melhor amigo do cara mais nerd da sala, chamando-o para baladas, festas do cabide, etc. Então, passe seu número de celular para ele e pronto.

A técnica aplica-se da seguinte forma: pega-se o fone de ouvido do celular e costura-se da manga da camisa (manga comprida). O nerd liga para o celular e o pseudo-melhor-aluno coloca a mão na cabeça, como se estivesse pensativo; mas na verdade está ouvindo as respostas da prova.

Atenção: essa técnica não pode vazar para nenhum professor da UniBlah/Uniesquina/FafunQ, pois o mesmo poderá usá-la em seus cursos de pós-graduação, assim tornando a técnica conhecida entre todos os não-alunos/funcionários/outros professores da UniBlah/Uniesquina/FafunQ.

Processo seletivoEditar

Basta deixar o seu RG na porta e comprovar que você tem condições de financiar seu diploma por alguns anos. Recentemente se admitem em algumas faculdades estudantes sem dinheiro também; basta o recém-formado trabalhar por 10 anos em olarias (do mesmo grupo comercial da faculdade) no interior do Brasil em regime de semi-escravidão como forma de pagamento.