Abrir menu principal

Desciclopédia β

Universidade de Brasília

(Redirecionado de UnB)
264939.jpg ATENÇÃO:
Simplesmente estamos cagando e andando para quem não gostar do conteúdo deste artigo e, por conseguinte, das opiniões e sugestões dos mesmos. We just couldn't care less.


Cquote1.png Uma cataa-cata-aaa-aas-troo-cata-aas-tro-tro, um grande pobrema, né? Cquote2.png
Joaquim Roriz, sobre UnB
Cquote1.png Soooooooooooooohhh Cquote2.png
Maconheiro, sobre UnB
Cquote1.png Os alunos de Estilismo são uma graxinha Cquote2.png
Hebe sobre UnB
Cquote1.png Pedi um Big Mac no Restaurante Universitário e fui atendido Cquote2.png
Chuck Norris sobre UnB
Cquote1.png Se não fosse por ela, não seria assim hoje Cquote2.png
Clodovil sobre UnB
Cquote1.png Foi uu cão que buto pá nois estudá Cquote2.png
Jeremias sobre UnB
Cquote1.png Puta que pariu to grávida dessa merda! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre UnB
Cquote1.png Na União Soviética a UnB estuda VOCÊ! Cquote2.png
Reversal Russa sobre UnB
Cquote1.png Se tivesse luz, talvez as explicações estivessem mais claras Cquote2.png
Professor sobre as modernas instalações da UnB

A famosa Universidade de Baitola Brasília (UNoiaB), localizada na asa esquerda do grande caralho de Brasília, é uma universidade federal gay onde se produz muita maconha, piadas de mau gosto, pornografia e futuros políticos para habitar infernizar Brasília, tudo parte de uma grande conspiração de dominação mundial, lavagem de dinheiro público e tráfico internacional, de maconha principalmente.

A bandeira da UnB retrata seu mascote, o famoso Minhocão, também conhecido nas rodas de samba como Caralho de Asa

A instituição é conhecida pelas constantes greves e também por ser uma espécie de "PUC pública", cheia filhinhos de papais que preferem fazer greve estudantil ao som do tio Bob ao invés de pagar uma uniesquina qualquer, tudo isso, claro, com direito a repúblicas gratuitas em frente a universidade, onde rolam pequenos bacanais regados a muita maconha barata, narguilé e cerveja importada, compradas com o que seria usado no custeio de pesquisas e compra de material acadêmico.

Índice

História

Em meados dos anos 50, o casal Dercy “Ribeiro” Gonçalves e "Chico Anísio" Teixeira invadiram uma propriedade federal no meio do cerrado com intuito de plantar maconha, como forma de levantar fundos para seu plano de dominação mundial. Logo pessoas de todo o país começaram a imigrar para a região para aprender os segredos do cultivo da maconha, inaugurando assim o primeiro curso da UnB: Agraynomia. Por mais organizado que fosse essa pequena sociedade, mais tarde apelidade de UnB (Universidade Baitola), por causa do grande número de bibas e bambis que imigraram para a região; a construção de Brasília em toda região ao redor da plantação de maconha fez com que a economia entrasse em colapso com a ilegalidade do cultivo do pó.

Foi ai que Dercy teve a ideia de contratar o famoso arquiteto gay Oscar Niemayer para construir um prédio que retratasse a alma daquela pequena comunidade, assim podendo seguir o estilo da cidade de ter um prédio sério que escondesse toda mutretagem. Baseado nisso, Oscar construiu o que chamou de “O congresso deitado”, um par de prédios que se estendia por 800m. Mais tarde foi descoberto que a real intenção do arquiteto era fazer um grande pênis flácido.

Animados pela grande viadagem do projeto de Niemayer, Moisés foi contratado por vários boiólogos para construir o Canal do Panamá e permitir que a maior parada gay da história pudesse atravessar o Mar Vermelho, para assim chegarem à terra prometida.

Chegando à UnB, os boiólogos se instalaram na ponta sul do prédio que apelidarem de minhocão, orgulhosos de poderem dizer que “sentam na ponta no minhocão”.

O grande êxodo dos biólogos trouxe grande prosperidade econômica a universidade, chamando assim outros tipos de bichas e bichonas para a famosa terra prometida da viadagem. Assim a UnB ganhou novos cursos e o título de instituição mais gay da história.

Foi durante a ditadura do reitor Cristovão Colombo que a UnB ganhou o título de universidade federal, parte de um grande esquema de narcotráfico internacional e superfaturarão de obras públicas. Isso fez com que superfaturada obra no novo prédio da universidade fosse interrompido várias vezes. Houve um grande protesto que resultou na guerra dos 24 dias, em que os alunos sem-teto, devido a superpopulação do minhocão, reivindicavam por um novo local para suas práticas pederásticas. O reitor concordou em construir um prédio pra tal propósito e foi construído o prédio FT, em homenagem a prática comum que as bibas sem-teto faziam para se aquecer no frio, calor, líquido e sólido.

Hoje a UnB conta com mais de 69 cursos, 21mil estudantes e uma promissora administração do reitor Timão Martin Luther King II. A UnB está sempre em expansão para atender sempre mais masoquistas. Estima-se que a UnB em 2010 seja a primeira universidade brasileira a superar o ranking de viadagem estudantil, hoje liderado pelas principais universidades gaúchas.

Siglas

Um fato curioso é que os alunos da UnB tem um dialeto próprio com o uso de siglas para indicar lugares, pessoas, matérias e objetos. O dialeto é tão complexo que apenas alunos entendem o que dizem (ou fingem entender), sendo impossível um forasteiro decifrar. Afinal, quem realmente sabe o significado das siglas da unb que explique o que significa FA, SG, SAA, BT, AT...

Pontos Turísticos

A UnB conta com vários famosos pontos turísticos, freqüentados diariamente por todos os ocupantes da universidade, incluindo a horda de zumbis, os aspirantes a políticos corruptos e todos os outros seres não-humanos habitantes da região.

  • Minhocão: O maior prédio gay da galáxia conta com 800m de comprimento. Visto de cima ele tem a forma de um grande pênis mole. Apesar de ser reconhecidamente o maior órgão sexual do mundo, não há evidências de que algum dia tenha alcançado uma ereção. Uma estudante da UnB dos anos dourados (década de 60) reivindica para si a façanha de ter conseguido uma ereção do minhocão. Diz ela que certa noite, cansada após um dia inteiro de estudos, caminhava calmamente pelo minhocão e daí para o transminhocão, quando foi possuída pelo deus do sexo, Baco. Sua mente foi, então, iluminada pelas três perversões sexuais magnas, mais conhecidas como "Técnicas supremas": "dança da língua insana em pleno cio", "capei dez mil homens em uma noite só" e "estou mais apertadinha do que cabeça de agulha", com as quais conseguiu o enrijecimento do grande pênis. A ereção é confirmada por diversas tribos de maconheiros do ceubinho na época. Reza a lenda que o fruto da relação sexual entre o minhocão e a estudante fogosa é John Lennon, que foi petrificado na época da ditadura e hoje se encontra ao lado do "quiosque do meleca".
 
Vista aérea do Minhocão
  • RU: O Restaurante Universitário é um dos poucos laboratórios de testes de armas químicas aberto ao público. Contando com modernos equipamentos que permitem diluir o suco em partes por trilhão, serve 170 mil cobaias alunos por turno. Diariamente toneladas das mais diversas armas são produzidas e testadas massivamente nos habitantes da região que ousam testar seu organismo. A gororoba produzida muda diariamente, sendo o elemento surpresa de cada prato classificado em três categorias: laxativo, veneno e uma mortal mistura dos dois. Cada prato vem acompanhado de molhos tais como shikiake ou creole, exemplos dos 150 nomes para o mesmo molho; invente um! O RU se destacou recentemente por sua grande invenção: um veneno de apelo publicitário para criancinhas, conhecido como Suco de Pirulito. Possui a fila mais dinâmica de universidades federais, composta de uma fila que não anda e 475 lugares onde as pessoas podem furar para receber sua gororoba mais cedo.
  • Reitoria: Conhecido popularmente como Castelo de Greyskull é onde secretamente habitam os piores vilões, que juntos tentam dominar o mundo, escondidos em seu covil secreto.
  • Biblioteca: Os alunos ainda não descobriram para que servem os livros estocados no prédio. O Curso de Biblioteconomia dedica toda sua atenção a pesquisa da real função da biblioteca, embora ainda não tenha atingido sucesso.
  • Alojamentos: Onde alguns alunos dormem, foi recentemente provado como o alojamento mais quente (e inflamável) das universidades brasileiras.
  • FT: Talvez o mais bem sucedido projeto de agregação de gays em um só lugar. O FT (prédio Fio-terra como é formalmente conhecido) reúne todos os tipos de bichas e bichinhas em um só lugar. Uma causa, ou possível conseqüência disso é a baixa população de mulheres no prédio, sendo as poucas remanescentes freqüentemente perseguidas.
  • FS: A Faculdade Sith Shit é um prédio dedicado ao treinamento de cavaleiros Shits versados na manipulação de sabres de purpurina rosa. Usam seus poderes Shits para realizar operações de troca de sexos neles mesmos. Obs: Será que eles têm sexo?
  • FA: Faça Amor é como foi chamado inicialmente o primeiro alojamento destinado aos hippies da UnB. Hoje a FA é mais que um alojamento, sendo o principal ponto de formação de futuros advogados e políticos especializados em lavagem de dinheiro e super-faturação de obras.
  • FE: A Faculdade Erma é o único prédio isolado de todo o complexo da universidade, localizado a quilômetros do epicentro da UnB. Fundado por Barbárvore, ela é apenas freqüentada por pessoas esquisitas que herdaram a didática de seu fundador e somente se comunicam quando o caso é de extrema importância.
  • CO: O Centro de Orientações Sexuais é um importante prédio sem utilidade definida. Sabe-se que começou como um quiosque de informações turísticas.
  • HUB: O Hospital Ultra Boiola é o único hospital brasileiro filantrópico dedicado as mais difíceis operações cirúrgicas, onde os cavaleiros Shit testam suas habilidades je-gays, dentre elas: troca de sexo e remoção de cérebro (que cérebro!?).
  • PJC: O Pavilhão Jesus Cristo foi um dos prédios inaugurados durante o projeto de expansão da universidade, com o intuito de aumentar a capacidade de treinamento do grande exército de zumbis da universidade. O prédio recebeu este nome como uma homenagem a um dos primeiros na história que chegaram perto de dominar o mundo.
  • Pat: Este prédio foi construído como depósito de lixo tóxico, onde todas as pat's da universidade são trancafiadas nos profundos calabouços do prédio para não danificarem as instalações da universidade, como geralmente fazem. A construção do prédio permitiu maior controle populacional de pat's na universidade, além de permitir que todas fossem reunidas em um mini-zoológico para classificação de suas diferentes espécies.Uma curiosidade sobre o assunto é que nunca foi encontrado um calouro na Unb que não tenha se confundido ao ouvir alguém dizendo "Vou almoçar no Pat." e tenha achado estranho o amigo ir até a plataforma de saltos ornamentais de emos enquanto podia saborer uma experiencia mal-sucedida do RU.
  • Ruínas: Parte do folclore popular da UnB, as ruínas ficam em localização desconhecida e não se sabe muito a respeito destas, exceto por um único vídeo feito por pederastas da região:

  • Futuras Instalações: A universidade está construindo novas instalações, dedicadas ao aumento de sua capacidade de produção de zumbis, maconha, pornografia e políticos. O mais aguardado prédio é o Instituto de Boiologia.

Ingresso

Existem três maneiras de entrar para a UnB como aluno:

  • Vestibular: Conhecido já tradicionalmente como forma de ingresso em outras instituições.
  • PAS: Esta inovação da universidade é uma maneira sádica de se dividir o vestibular em três prestações anuais.
  • Terceirização: A terceirização da entrada é a maneira menos difícil de se entrar na UnB. Ela pode ser feita como comprando o gabarito do vestibular, fingindo ser filho de militar, pedindo transferência sem vir de lugar algum, ou, de maneira mais sádica, vencendo Chuck Norris em um duelo.

Sistema de Cotas

A UnB também é conhecida por sua inovação, reservando 102% das vagas de ingresso ao sistema de cotas, como uma tentativa desesperada de inibir a entrada de orientais e goianos na universidade. Para poder entrar na universidade pelo sistema de cotas, o candidato deve ter um irmão gêmeo de etnia diferente a dele.

Administração

A UnB é uma monarquia, governada pelo Reitor. A cada 4 anos ocorrem fraudulentas eleições para a escolha de um novo reitor, que não só administra a universidade, mas também todo o conselho de super-vilões que almejam a dominação global. O reitor atual é Vossa Majestade Sr. Timão Martin Luther King, o primeiro reitor da história que administra uma universidade brasileira e não fala português. Seu inglês é tão ruim que nem mesmo Monika Pecegueiro do Amaral conseguiu colocar legendas em seus discursos.

Sistema Cíclico de Greves

A cada 2 anos, o funcionário responsável por colocar os números de Lost no sistema da UnB resolve sair para tomar café, deixando assim o sistema zerar e iniciar uma greve.

Outra teoria diz que as greves são uma medida de controle populacional, pois a taxa de natalidade diminui consideravelmente pela ausência de festas e farras com a inatividade da universidade. Por mais positivo que seja aos alunos ter férias extendidas, greves muito extensas abalam a economia que gira ao redor da universidade, como por exemplo, a grande queda no comércio de maconha, pães de queijo e cola para provas.

Economia

A UnB é uma das universidades federais mais sucedidas economicamentes, por sua grande competência nas diversas áreas de exploração econômica. As principais atividades econômicas são: cultivo e comércio interno de maconha, exportação de políticos corruptos (sendo a super-faturação de obras da universidade uma das principais formas de arrecadação de fundos), produção e exportação de filmes pornográficos (protagonizados pelos próprios nativos da região) e venda de armas químicas (produzidas no RU) a países como Irã e Coréia do Norte.

Demografia

Estima-se que existam hoje 5 mil gays para cada mulher em toda a área de UnB. A UnB é habitada por mais de 21 mil estudantes, sendo a maioria importada de Goiânia e outras regiões próximas.

A UnB se orgulha de ser a universidade gay com menos gaúchos de todo o país.

Personagens Notórios

 
Aluna que tirou SS

Dentre os variados habitantes da UnB, alguns se destacam por sua notoriedade e fama local:

  • Vendedora de Biscoitos: Conhecida por sua semelhança com a famosa Dercy Gonçalvez e seu intrépido carrinho de biscoitos vermelho, esta aborda os habitantes da UnB de uma maneira singela: QUER UM BISCOITO?
  • Moça do Pano de Prato: Esta super-vilã aposentada, insatisfeita com os péssimos rendimentos do INSS, tenta aumentar sua renda vendendo panos de prato de qualidade duvidável. É considerada extremamente inconveniente pelo seu super-poder de detectar moedas, e estar sempre perto de uma pessoa com moedas em mãos, pronta para dar o bote e vender mais um de seus panos de prato.
  • O Homem da bombinha: Também conhecido pelo seu recorde mundial de maior tempo sem respirar. Há mais de cinco anos ele procura desesperadamente uma caridosa pessoa que possa lhe dar uma moeda para comprar um refil para sua bombinha contra asma. No momento ele continua segurando a respiração em busca de mais moedas.
  • Declamador de poemas: Um dos poucos bardos sobreviventes no século XXI, esta notória figura vive de abordar, declamar e vender poemas de gosto duvidoso justamente na hora que as pessoas estão com pressa.
  • Serventes do RU: Conhecidas como pessoas sem coração, estas tem o difícil trabalho de separar os piores pedaços de carne veneno e catapultá-los nos pratos das cobaias.
  • Silvanete: Professora celebridade da UnB por nunca ter pego o Henry colando.
  • Pombos: Estes pobres animais que outrora embelezavam o céu da UnB foram extintos, junto com os ratos, flamingos, papagaios e ornitorrincos, todos usados em experiências no RU. Durante seu reinado de ouro, podiam ser encontrados aos montes perto da misteriosa e mal-assombrada estátua de John Lennon.
  • Denise: Bela dama que trabalha na xerox da FS, conhecida pela sua rapidez e habilidade com a copiadora, corpo escultural, e cabelos caprichosamente alisados.
  • Cabeça: Curioso sujeito que reside na xerox da FE, notório por suas habilidades em fazer o trabalho de todos ao mesmo tempo, em atingir o lendário "Nirvana Alcólico" e por sua milenar frase: " 'Cê é burroé? "

Fatos Recentes

Guerra pela REI-to-RIA

Ultimamente, o PH da universidade se tornou mais ácido. PH é conhecido como Pessoal das Humanas, seres que transitam a universidade sem ter nada o que fazer. Para achar o que fazer, eles brincaram de invadir a reitoria, dizendo que o REItor tinha pegado um pequeno dinheirinho para embelezar sua casa, e pensava que não iria pagar nada, mas por causa desse povo, está pagando caro.

Esse povo que só sabe usar os livros para fazer baseados de maconha, estavam tão cansados de estudarem suas filosofias, que então começaram a fazer aulas práticas para ver se tais filosofias, ultra antigas, funcionavam. E o resultado disso? Uma verdadeira zona, de tão sem uso que são essas matérias, que eles tiveram que berrar para que outros cursos extremamente inúteis, como as exatas, dessem alguma atenção, inclusive a mídia, senão só ganhariam atenção quando fossem presos por traficarem drogas, ou em documentários sobre pobreza.

Então, após de um bando de dias lá na reitoria, só coçando o saco, e fazendo o que fazem de melhor (nada), conseguiram que o reitor saisse da UnB, sendo que este voltou para seu prédio decorado, pois por que ele continuaria naquele lugar. Os PHs ficaram tão feliz pois viram algo prático dos seus estudos, mas como isso é tão raro, eles não vão mais querer parar de encher o saco do reitor.

Melhoria na moradia dos estudantes

A invasão da reitoria pelos PH trouxe coisas boas aos estudantes, pois eles ganharam melhores moradias estando na reitoria. Mesmo que não tivessem água, luz, higiene, cama para dormir e poderiam sair na base da porrada, essas condições eram imensamente melhores que as encontradas no CEU (Centro de Estudos Utópicos).

De fato, na reitoria, ninguém iriam tacar fogo nos negros (se isso acontecesse iria queimar os brancos, ja pensou que dó), ninguém iriam rouba-los ou usar ilegalmente o lugar para dormir (ele ja era usado ilegalmente mesmo). Eles também tinham direito a televisão ao vivo, e sem a necessidade do próprio aparelho de televisão, além que ficavam mais perto do conhecimento encontrado no minhocão ou a biblioteca. Infelizmente, como era de se esperar, eles não usaram, pois afinal eles ja não estudam mesmo.


v d e h
Universidades do   Distrito Federal
 
v d e h
Universidades federais do Brasil

Acre: UFAC · UNIBLAH · UFTSMURF | Alagoas: UFAL | Amapá: UNIFAP | Amazonas: UFAM | Bahia: UFBA · UFRB | Ceará: UFC | Distrito Federal: UnB | Espírito Santo: UFES | Goiás: UFG | Maranhão: UFMA | Mato Grosso: UFMT | Mato Grosso do Sul: UFGD · UFB · UFMS · UFPAN | Minas Gerais: UNIFAL · UNIFEI · UFJF · UFLA · UFMG · UFOP · UFSJ · UFU · UFV · UFTM · UFVJM | Pará: UFPA · UFRA · UFOPA | Paraíba: UFPB · UFCG | Paraná: UFPR · UTFPR | Pernambuco: UFPE · UNIVASF · UFRPE | Piauí: UFPI | Rio de Janeiro: UNIRIO · UFRJ · UFF · UFRRJ · IME | Rio Grande do Norte: UFRN · UFERSA | Rio Grande do Sul: · UFCSPA ·UFRGS · FURG · UNIPAMPA · UFPel · UFSM | Rondônia: UNIR | Roraima: UFRR | Santa Catarina: UFSC | São Paulo: UFSCar · UNIFESP · UFABC · ITA | Sergipe: UFS | Tocantins: UFT