Abrir menu principal

Desciclopédia β

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Galinhacaipira.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!


Cquote1.png Você quis dizer: Universidade Federal do Rio de Janeiro? Cquote2.png
Google sobre Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Cquote1.png Não entendi. Cquote2.png
Idiota que não percebeu a falta do "Rural" na frase acima.
Cquote1.png Eu estudei Lá! Cquote2.png
Bob Marley sobre Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.
Cquote1.png Eu também! Cquote2.png
Raul Seixas sobre citação acima.
Cquote1.png O que é Seropédica? Cquote2.png
Seu pai sobre a cidade onde a Rural fica.
Cquote1.png O infeeeerno! Cquote2.png
Morador de Seropédica sobre citação acima.
Cquote1.png Peeeeitinhooo! Cquote2.png
O que se ouve quando acaba a luz no alojamento.
Cquote1.png Lá lá ta cheio de mulher e só tem mulher tarada! Cquote2.png
MC Duduzinho sobre alojamento da Rural.
Cquote1.png Hoje, faremos Física no inferno! Cquote2.png
Leônidas levando seu exército para o curso de física.
Cquote1.png Que festas tem essa semana? Cquote2.png
Aluno numa segunda-feira após chegar na Rural.
Cquote1.png Gente, que berros são esses? Cquote2.png
Alunos no corredor do alojamento masculino ouvindo sons do M4-415.
Cquote1.png O que eles aprendem nesse curso? Cquote2.png Cquote1.png Você conhece alguém que faça isso? Cquote2.png
Qualquer um sobre o curso de economia doméstica.
Cquote1.png Onde é o P1? Cquote2.png
Calouro dentro do P1 numa segunda após chegar na Rural.
Cquote1.png Química analítica? Putz, não acredito que tem química nesse curso! Cquote2.png
Calouro de Agronomia, Floresta ou Zootecnia depois de confirmar a matrícula e sem saber se ia desistir do curso.
Cquote1.png Quanto é o cuscuz? Cquote2.png
Bixo prestes a apanhar de um veterano de Veterinária.
Cquote1.png Amanhã eu tenho prova de peteca II. Cquote2.png
Aluno de Educação Física querendo aparecer neste artigo.
Cquote1.png Já vi o Bob por aqui... Cquote2.png
Aluno de Floresta sob efeito de alucinógenos confirmando a citação do Bob.
Cquote1.png Eu só descobri que existia porque uma mina do tinder fazia... Cquote2.png
Qualquer um sobre curso de hotelaria.
Cquote1.png Quanto é o acarajé? Cquote2.png
Outro bixo prestes a apanhar do mesmo aluno de Veterinária.
Cquote1.png Vai ter prova de anatomia da panela II hoje... Cquote2.png
Aluno de Economia Doméstica sobre o que ele faz no curso, respondendo umas citações acima perdidas.
Cquote1.png Onde é o P1? Cquote2.png
Outro bixo perdido, na frente do DG, todo suado e atrasado numa segunda após chegar na Rural.
Cquote1.png Eu conheci esse boi... Cquote2.png
Aluno de Veterinária ao olhar a carne de monstro do Bandejão.
Cquote1.png É bom porque dá massa corporal! Cquote2.png
Aluno de Educação Física sobre carne de monstro.
Cquote1.png Os escravos comiam merda melhor que essa! Cquote2.png
Aluno de História sobre o bandejão.
Cquote1.png Vaaaaaaaaaascooooooooo!! Cquote2.png
Alunos de Engenharia vendo jogo no campus.
Cquote1.png Meeeeeeeeeengooooooooo!! Cquote2.png
Alunos de Educação Física quando fazem o mesmo.
Cquote1.png Neeeeeeeeeenseeeeeeeee!! Cquote2.png
Alunos de Arquitetura e Urbanismo.
Cquote1.png Foooooooooogoooooooooo!! Cquote2.png
Aluno ao botar fogo na república cozinhando chapado.
Cquote1.png Quanto é a pipoca? Cquote2.png
Eu não sei quem eu mato, esses calouros tapados ou esse corno viado de Veterinária que dá piti quando perguntam os preços das merdas indigestas que ele vende.
Cquote1.png Onde é o P1? Cquote2.png
Mano, ninguém sabe onde é essa caralha?!
Cquote1.png Ele estudou mesmo na Rural?! Cquote2.png
Aluno sobre as opções acadêmicas do Raul Seixas.
Cquote1.png Essa festa é a melhor! Cquote2.png
Apnião dos veteranos sobre qualquer festa.
Cquote1.png Aqui que é o IA? Cquote2.png
Calouros de Agronomia na prefeitura após serem enganados pelos veteranos.
Cquote1.png A família das palmeiras é muito linda... Cquote2.png
Professora de organografia vegetal sobre as palmeiras
Cquote1.png O P2 fica onde? Cquote2.png
Bixo em primeiro dia de aula.
Cquote1.png Fudeu, agora tem P2... Cquote2.png
Você, desesperado, sobre citação acima.
Cquote1.png Vamo pra piscina? Cquote2.png
Moradores do alojamento tentando sobreviver em Seropédica.
Cquote1.png CADÊ A ÁGUA?! Cquote2.png
Seropédica não deixando os moradores sobreviverem.
Cquote1.png O que o amor constrói, a Rural destrói Cquote2.png
Lema da Rural.
Cquote1.png É aqui o ICHS? Cquote2.png
Aluno no IV
Cquote1.png Quero fazer Engenharia Cquote2.png
Aluno de Matemática.
Cquote1.png Quero fazer Agronomia Cquote2.png
Aluno de LICA.
Cquote1.png Quero fazer Veterinária Cquote2.png
Aluno de Zootecnia ou um provável microempresário psicopata.
Cquote1.png Sistemas de Informação é melhor que Ciência da Computação, pô! Cquote2.png
Aluno de Sistemas de Informação se iludindo ao passar pra Rural.
Cquote1.png A Rural tem campus em Nova Iguaçu, sabia? Cquote2.png
Aluno do IM que sofre de complexo do esquecimento sobre todas as citações deste artigo.

A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, abreviada de UFRRJ, usualmente chamada como Rural, ignorando completamente a existência da Universidade Federal Rural de Pernambuco, e também conhecida como o lugar onde seu pai conheceu sua mãe e créu, tem suas origens num decreto filho da puta de 1910, assinado por Nilo Peçanha, um campista viado quebra-louça lamparudo que na época era o Presidente da República e por Rodolfo Miranda "Paulista mulambento de bananal", o ministro da agricultura de Nilo. Eles estabeleceram as bases fundamentais do ensino agropecuário no Brasil (que conquista merda), criando a Escola Superior de Agronomia e Medicina Veterinária, cujo primeiro diretor foi o engenheiro agrônomo Gustavo Dutra, famooooso Gustavão. A sede foi instalada, em 1911, no palácio do Duque do Saxofone, onde hoje está o CEFET/MEC, no Maracanã, Rio de Janeiro, ou estava, vai que a reforma do estádio tirou a sede do lugar...

A universidade conta com quatro campi: Seropédica, a matriz, onde rolam altíssimas putarias, principalmente sexo com universitárias bêbadas, o Instituto Multidisciplinar em Nova Iguaçu, onde estuda o aluno inconformado que fez a última citação, o campus de Três Rios, a.k.a. o galinheiro oficial da instituição, e o campus de Campos dos Goytacazes, que ainda está em fase experimental.

Índice

Inauguração e históriaEditar

 
Este hotel do século XIX abandonado no meio do mato e rodeado por esgoto a céu aberto é o Jardim Interno do Prédio Principal.

Inaugurada oficialmente em 1913, com discurso maçante pra qualquer um, tesoura gigante e tudo mais que tinha direito (mas não necessidade), o lugar funcionou por dois anos com um campo de experimentação e prática agrícola em Deodoro. Fechada sob alegação de falta de verbas para manutenção, mas sabendo que era por preguiça e desvio de dinheiro pra gastar com puta de luxo, em março de 1916 houve a fusão com a Escola Agrícola da Bahia (tudo a ver né, a Bahia fica pertinho) e a Escola Média Teórico-Prática de Pinheiro, onde hoje estão instalados o campus de Pinheiral, que sequer foi citado na introdução do artigo, e a Escola Agrotécnica Nilo Peçanha (que humilde esse presidente). Nesse mesmo ano, depois de muito esforço, noites mal-dormidas e algumas tentativas de suicídio, a primeira turma de engenheiros agrônomos (vulgo: verdureiros) se formou: apenas dois alunos. O ano seguinte teve também a primeira turma de médicos veterinários, um pouco maior: quatro capa-gatos prontinhos pra brincar de médico com a cachorrada e tratar a sarna da tua avó.

Em 1927, a Rural foi transferida para a Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, para que os futuros veterinários saibam curar os dodóis de lagostas que os coronéis do Café com Leite possam querer comer com as verduras cultivadas pelos engenheiros agrônomos na base do ódio. Em fevereiro de 1934, outro decreto de merda transformou a universidade em ESCOLA NACIONAL DE BATATA E DE CAPA da Universidade do Brasil, fazendo parte da UFRJ (ou não).

Em 1943, por outro decreto, de número ah, sei lá, nascia a Universidade Rural, abrangendo a Escola Nacional de Agronomia, a Escola Nacional de Veterinária, Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização (para dominar a arte de plantar a mandioca), Cursos de Extensão (como cultivar maconha), Serviço Escolar (pra preparar as novinhas antes da faculdade) e Serviço de Desportos (vulgo: plantar bananeira).

Além de consolidar os novos cursos e serviços, a UFRRJ tomava providências para transferir o seu campus para a Suíça brasileira, atual Nova Friburgo, graças ao projeto genial de Apolônio Sales, outro ministro da agricultura, mas como toda desgraça é pouca, o projeto foi largado num esgoto por Daniel Castro, o cagão que sucedeu Apolônio. Em 1948, a Rural acabou indo parar às margens da Rodovia Rio-São Paulo, que hoje é a BR-465, no meio do nada com Lugar Nenhum, num pântano de Seropédica, na época um local visto com olhos mais tortos que a piroca do DJ Rogerinho por vários motivos: surtos de malária, febre amarela, predadores e vacas zumbis que cuspiam fogo, a presença inconveniente de um número absurdo de grileiros, pistoleiros e matadores, além das minhocas mutantes seropedicenses.

O ano de 1961 trouxe um novo decreto, que eu não sei o número e nem faz diferença a essa altura do campeonato, que alterou, pela mais-de-oito-milésima vez, anexou mais um órgão à universidade: a Escola Agrotécnica Ildefonso Simões Lopes (com esse nome, nem precisa de uma piada). Somente em 1963, depois que todos aqueles ministros estavam mortos e enterrados ou usando fraldão, veio o (quase) famigerado nome Universidade Federal Rural do Brasil.

AtualmenteEditar

A atual denominação, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, veio com uma lei perdida de 1965. Deve ter algo a ver com a Universidade do Brasil ter virado a federal do Rio de Janeiro, mas não dá pra provar isso, a lei tá perdida em algum canto. Em 1968, ela se refirmou em Seropédica, se mostrando perdida num estado que de agrícola não tinha mais nada havia muito tempo.

Devido à proteção natural proporcionada pelos buracos, quebra molas, insetos grotescos, mato e poeira, serviu de refúgio para muitas pessoas desde o fim da Segunda Guerra Mundial, como o ex-torturador Rovigatti e o ex-X9 do regime ditatorial, Henrique Escher.

Ao longo das décadas, o lago da universidade passou a ter histórias, olhos, ouvidos, boca e nariz câmeras e muitas camisinhas.

Vários alunos nerds dos cursos de engenharia química, matemática e física saíram de outras instituições de ensino superior para ingressar na Rural por acharem que é um bordel. Um aluno de Física que saiu da UFF passou em frente ao alojamento feminino e afirmou ter visto tantas calcinhas penduradas no varal que teve convulsões orgásticas e se arrependeu depois de ter passado dois anos estudando lá pra descobrir que as minas só se interessavam nos play "bois" de Veterinária e Economia.

CursosEditar

  • Agronomia - O maior e mais tradicional curso da Rural. Frequentado por filhos de fazendeiros, bichos do mato, maconheiros e gente que apenas queria entrar na rural pra fazer farra (mas quem não quer?). Dizem por aí que os formandos, consagrados como heróis, têm emprego garantido. É óbvio que isso é um caô desgraçado, desde quando gente formada sai empregada? Inacreditavelmente, isso é realidade para 1% dos alunos, mas o resto, dá pra imaginar, é borra eterno nos alojamentos e chopadas da vida.
  • Ciências Boilógicas - O aluno de Biologia, em 100% dos casos, entra na faculdade achando que se tornará pesquisador fodástico e encontrar a cura da AIDS, da dengue ou alguma super-doença, como gonorreia corrosiva, tuberculose explosiva ou esquizofrenia telepática. Em 50% dos casos, vira professor de ciências. 49,99% dos graduandos se perde em alucinógenos no decorrer do curso e 0,01% se torna um pesquisador frustado, até porque vida de pesquisador é desse jeito mesmo. Os haribus desse curso disputam com o pessoal do curso de floresta o título de melhor Cannabis caseira do campus, que pode ser tanto a causa quanto o tratamento da tal esquizofrenia telepática, vulgo: alucinações nervosas.
  • Economia Doméstica - Um dos cursos mais avacalhados e zoados da faculdade, foi feito para formar governantas e donas de casa. Possui matérias de corte e costura, cozinhamento, arte em biscuit e passar na grade. Os alunos são compostos por meninas que querem ser prendadas pra conseguir um bom marido, marmanjos bunda-moles a ponto de serem obrigados a estudar como SER um bom marido e LGBTs fugidos de casa, onde não podiam cozinhar sem levar um especial de porrada dos pais.
  • Educação Física - O único curso em que se pode ficar reprovado em futebol. Jogar peteca é matéria básica. Os rapazes do curso não têm cérebro, mas têm músculos. As meninas não têm nem músculos, nem cérebro.
  • Sistemas de Informação - É o curso mais sem noção da Rural. Tecnologia e informação bem no meio do nada, troféu joinha pra quem teve essa ideia, achando que, se deu certo em Santa Rita do Sapucaí, ia dar certo em Seropédica... Os alunos do curso normalmente ficaram com quase 600 no ENEM, mas depois tiram onda porque passaram num curso de federal que é tão disputado quanto a buceta da Tigresa Vip.
  • Engenharia Agrícola e Ambiental - Normalmente confundidos com os cursos de agronomia e LICA, eles se orgulham de serem os mais sérios do campus. Na realidade, o curso é uma Agronomia com cálculo aprofundado, sendo considerado uma filha bastarda pelo resto da universidade e inclusive é xingado de bastardo quando morre um aluno sem motivo aparente enquanto estuda esse cálculo. Qualquer semelhança é mera coincidência.
  • Engenharia de Agrimensura e Cartográfica - Ninguém conhece, nem sabe o que faz, são só uns tontos aleatórios tirando foto da paisagem da Rural. Nome grande, curso inútil. Detém um recorde não registrado no Guiness de maior número de desistências de meninas com cabelo roxo, devido à confusão de "cartografia" com "cartomante" e o interesse do jovem místico em caralhisses metafísicas holísticas, como astrologia.
  • Engenharia de Alimentos - Os alunos desse curso o fazem apenas porque fazer gastronomia não dá dinheiro, é só ver aqueles samurais donos de temakeria, nenhum deles estudou porra nenhuma, e na verdade, gastronomia CUSTA dinheiro, nem odonto é tão curso de faculdade privada. Felizmente, como é uma engenharia e só tem equações, a comida não precisa de tomperro.
  • Engenharia Florestal - Bob Marley e Raul Seixas cursaram Floresta! O Instituto de Floresta fica isolado depois do lago para esconder o cheiro de erva do campo que exala. 99% dos alunos são neo-hippies que passam a vida testando um baseado atrás do outro. Orgulham-se de possuírem a única chopada da Rural que não toca funk, o que realmente é algo pra se orgulhar, mesmo.
  • Geologia - Curso lendário o suficiente para existir por 40 anos e poucos alunos da Rural saberem que realmente existe, ou seja, é uma lenda por definição. Os alunos também são conhecidos como andarilhos e se referem a sua morada apenas por um vago   Lá em cima...  , que fica no ponto mais longínquo em relação ao IF, ou a qualquer coisa, para evitar que o cheiro da erva de um ponto se concentre com o do outro e crie uma nuvem radioativa.
  • Licenciatura em Ciências Agrícolas - Depois de tanto tempo, agora você sabe o que significa LICA! Não é a mulher do LICO, mas assim como ele, o curso faz cair pinto. É zoado juntamente com Economia Doméstica e Educação física. 99% dos alunos de LICA tinham esse curso como segunda opção e não passaram em agronomia.
  • Medicina Veterinária - Curso de playboy (medicina, né?). Não só playboys, também tem Chads, Stacys, Barbies e gurias retardadas de classe média que beijam garrafa de Askov. Só se relacionam entre eles e nunca são vistos, exceto quando estão vendendo ingressos pra alguma festa e alimentando/pegando sarna dos cães e gatos do alojamento. Sempre com olhar superior, são pra UFRRJ o que a medicina é para a UFRJ, UFF e UNIRIO. Isso explica a arrogância do babaca que cobria os calouros de porrada nas citações acima. Quase nunca se lembram que o seu ofício é capar gatos e enfiar a mão no cu das vacas, exceto quando as vacas são eles próprios.
  • Zootecnia - Curso pra quem não passou em veterinária ou falhou em ser metido. Ninguém sabe o que um zootécnico faz, mas eles insistem que tem alguma utilidade na vida prática e amplo mercado. Pelo menos aqui dá pra chamar os alunos de gente...
  • Ciências Sociais - É a galera que fuma maconha (se bem que quase todos fumam) e faz protesto! São os mais avistados nas manifestações marcadas no rol dos alojamentos e os que seguram as pontas nos mesmos.

FestasEditar

Ocorrem todas as terças, quartas e quintas, e as vezes nas sextas-feiras. Normalmente são nos próprios institutos, no Clube Social, Hard Roça, no Atlético Clube ou em um terreno baldio qualquer.

Bar do MazinhoEditar

Não é bem uma festa, é um boteco sujo pra cacete típico de beira de estrada onde ocorrem celebrações, como fim de período, início de período e a 3ª reprovação naquela matéria do caralho do professor filho da puta. Lá também é palco de grandes eventos, como a disputa de qual Chevette velho toca o funk mais alto, incomodando a minhocada gente fina, que geralmente liga pra polícia pra acabar com a poluição sonora e voltar a ter sanidade mental. Eu disse que elas eram mutantes...

Barrados no BaileEditar

Uma das melhores festas para os homens no cio. As fêmeas entram às 22 h com bebida liberada e gogo boys dançando pra elas com garrafas de tequila. Depois que elas estão bem excitadas, bêbadas e nuas, os homens entram e fazem a festa.

Bixo-Bixo e BixopadaEditar

Organizadas pelos playboys de Veterinária com o intuito de recepcionar os bixos do curso. São festas abertas ao público, diferente do churrasco de integração do curso, que é fechado pra galerinha capa-gato para manter a soberba em forma.

ChoppalimEditar

Choppada de Engenharia de Alimentos. Apesar do curso ser feminino, é a choppada na qual mais comparecem homens, o que de certa forma faz sentido: é igual as hordas de héteros indo atrás de mulher em balada gay. Também é conhecida pela grande variedade de músicas que toca, com suas 6 h de funk sem parar durante toda a festa, obviamente sabendo da topzeirisse que acontece.

Choppada de Economia e de AdmEditar

Incapazes de criar um nome maneiro como a de Alimentos e pra não fazer um nome merda como a Veterinária, Economia e Administração criaram as mais famosas festas da rural, principalmente entre os minhocas. Como são cursos rivais, suas choppadas são sempre em datas muito próximas, acontecem no mesmo clube e apelam para "shows" de funk ao vivo, que é pra fuder mesmo. O nível das duas caiu com o passar do tempo, pois em uma estão economizando dinheiro demais e a outra está sendo mal administrada  .

A choppada de Economia é como se fosse a Via Show e a de Adm como o Olimpo, perfeito para os minhocas ou universitários que não se importam com a beleza exterior (e interior também). Você, por outro lado, pode ficar encucado sobre o que diabos é Via Show e se esse Olimpo é o mesmo dos deuses gregos.

Em 2011.1 a de Adm anunciou um muito esperado show dos Avassaladores, porém eles se acharam fodas demais para isso e deram o cano na choppada. Nos períodos seguintes ela foi melhorando, piorando, melhorando e piorando de novo... Parece a campanha do Avaí no Campeonato Brasileiro. Agora ela é uma choppada como qualquer outra: com um nome ruim, mas não pode ser julgada porque nenhuma organização repetiu até então.

Festas do Hard RoçaEditar

Festas geralmente de terça e quinta, quando ninguém tem nada pra fazer em Seropédica (incluindo estudar para provas), lotada de gente bebendo Éramos 4 como se não houvesse amanhã, maconheiros, minhocas e pocs que dão uma rapidinha no helicóptero destroçado usado na Segunda Guerra Mundial, encontrado no fundo dessa famosa casa noturna que você só ouviu falar agora, provavelmente porque a casa não tem banheiro e bicha sem banheirão fica um nojo. Quando chove, o lugar cria inúmeras piscinas de areia e um lamaçal sem fim.

Festa à fantasiaEditar

Acontece duas vezes por ano na boate com nome de biscoito, isto é, no Clube Social ba dum tss. Normalmente tem eleição da melhor fantasia e da mais sexy, mas mesmo assim 40% das pessoas não vão fantasiadas, ou os universitários que falam top e as gurias retardadas que beijam garrafa de askov sejam aceitos como fantasias, tamanho o estereótipo. Tem dois espaços, lá dentro, onde só toca funk, e lá fora, onde só toca eletrônica, o que não faz sentido nenhum, sem contar que é outro lugar que vira um lamaçal de merda depois de uma chuva, mas mesmo assim faz sucesso.

Festa da FlorestaEditar

A mais mística de todas: floresta, místico, a vibe de RPG medieval é mais clara que pele de vampiro. Acontece no meio do mato, tem difícil acesso e ninguém vê. O banheiro é a famosa moitinha. Normalmente toca maracatu, reggae e rock, sendo que, com a barulhada, ninguém escuta nada, daí eles resolvem botar um forró pra animar um pouco. O aroma doce de ervas é uma característica marcante dessa festa, além de possuir uma bebida mística bem característica dos adeptos de práticas alucinógenas: chá de cogumelo.

Festa HotEditar

É bem parecida com a Barrados no Baile. A diferença, para tristeza dos homens, é que a bebida não é liberada para as fêmeas antes da sua entrada, mas compensa após meia noite, quando o show é com strippers.

Me ImprensaEditar

Ok, esse é o melhor nome, disparado. É a choppada do curso de jornalismo. Sim, já falamos, tem Jornalismo na Rural. O único curso que vai ser ignorado é o de Hotelaria, mesmo. Cansados de fazer vergonha no Mazinho, agora eles têm a própria choppada. Conhecido como o curso que tem maior concentração de mulheres gatas (é só ver as jornalistas da Record) e que com certeza bebem mais que você, ainda conta com as atrações principais: Carol Ribeiro no microfone e Victor Viana roubando a cena. Quem são eles? Ninguém se importa.

Troca-TrocaEditar

Outra que acontece duas vezes no ano, é aquela na qual os homens vão vestidos de mulher, as mulheres de homem e vice-versa.

Festas em RepúblicasEditar

Cheio de veteranos reclamando   Aí, quem inventou a sirene da tequila fui eu!   e calouros que acham que arrasam fazendo churrasco com Komaroff e Guaracamp (cruz credo) em qualquer fundo de quintal zoado, tocando (num som chiado) Panamericano, Camaro Amarelo e algum funk do Naldo, fritando como se tivesse numa puta festa na piscina em Jurerê Internacional ou em Floripa, saindo na foto fumando maconha e/ou cigarro de menta, e segurando o copo do kit bixo cheio de pinga dentro! Espero que as mães dessa cambada de pau no cu não saibam disso. Vários exemplos poderiam ser dados: Éramos4, Optativa, Salve os Panda, Subaco de Cobra, Birigui, Mansão Insana... Entretanto, avisar da existência de festas infestadas de adolescentes bebendo ácido de bateria com um barulho de fundo usado para tortura em Guantânamo num lugar perto do cu da galáxia é perda de tempo.

Festa Help!Editar

Primeiro evento da Rural voltado exclusivamente para o Rock... e o MPB (um pedido de socorro para a boa música). Os estudantes são movidos pela esperança de NÃÃÃO tocar Tribalistas, mas assim que suas esperanças são mortas Ikki full pistola, começa a acontecer isso:

  Vendo ingresso da Help por R$ 15,00!  
Aluno que desistiu da festa.

  Troco ingresso da Help por cartela de tickets do bandejão, R$ 13,05!  
Aluno ao ver que ninguém mais quer ir na Help e aceita perder dinheiro para se livrar do ingresso.

  Help, R$ 10,00!  
Concorrência fazendo efeito.

  Ingresso da Help por R$ 7,00, divido em 3 vezes em qualquer cartão de crédito!  
Outro aluno tentando se livrar do ingresso.

  Achei ingresso da Help no chão em frente ao IT, quem me livrar deste fardo ganha R$ 5,00!  
Outro aluno desesperado.

FahrenheitEditar

Projeto de festa eletrônica pra pseudo-ravers que acham que estão na maior, quando na verdade é só mais uma festa universitária na roça regada a balinha e David Guetta. Deprimente...

PiscinaEditar

A UFRRJ possui uma piscina olímpica de 50 m e outra muito funda com um trampolim muito alto em seu campus. Nunca foi muito frequentada durante o dia, seu horário de pico era de madrugada, quando era invadida pelos alunos após alguma(s) festa(s) na cidade, principalmente após alguma choppada de Economia ou ADM no Atlético clube, onde faz um calor desgraçado. Consequentemente, a época preferida para sua invasão é durante o verão, quando a água está apenas a 52 °C (outro motivo pra festa Fahrenheit ser um fracasso). Seu ápice foi no dia do grande apagão de 2010, que coincidiu com uma choppada de ADM. Como o apagão paralisou a choppada antes da hora necessária para a bebedeira geral (administrando a hora do porre, que orgulho...), dezenas de estudantes partiram para a piscina da Rural, que "por acaso" estava aberta e assim permaneceu durante toda a noite. Foi uma grande festa!

MitologiaEditar

Um druida eremita sábio afirmou sem ninguém ter perguntado que, num fatídico dia, um ministro iria mandar criar uma universidade sem futuro no local, então amaldiçoou a currutela de Vila de São Francisco Xavier (Itaguaí) caso isso ocorresse, só de sacanagem. A maldição fez com que dois monstros de três cabeças comessem alguns funcionários que inciaram as obras do prédio principal, o P1 (aquele que volta e meia tinha um zé ruela procurando).

Felizmente, graças a uma magia misteriosa inventada pelos atlantis, o Padre Quevedo fez com que eles ficassem aprisionados dentro das paredes do prédio com as cabeças transformadas em bronze e com um caninho enfiado na boca, pingando água do Guandu. Pra que o selo de aprisionamento viesse a dar pau algum dia e desse pra fazer um anime com isso, eles ficariam assim para sempre se, e somente se nenhuma aluna formada na universidade saísse de lá virgem.

Décadas depois, os nativos quiseram testar a veracidade da lenda: como as fêmeas que entravam lá já deveriam ser maior de idade, ficou subentendido que estavam em fase de procriação e seria muuuuito dificil saírem de lá com o cabaço, então, criou-se o CTUR, Colégio Técnico da Universidade Rural, acreditando que as fêmeas ainda jovens que estudariam no campus da Rural, teriam grandes chances de se formarem puras no ensino médio. Os monstrões continuam tomando sol e chuva em frente ao P1 até hoje sem mexer um músculo sequer.

  Importante! A Igreja Universal quer sua atenção!

Deus quer que este artigo seja ampliado.
Aqueles que o fizerem, serão ajudados pelos seus tentáculos. Os que ignorarem, irão para o inferno pra sempre.
Não seja herege e obedeça a verdade única e divina!