Abrir menu principal

Desciclopédia β

Universidade Federal da Grande Dourados

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) é a hoje mais gloriosa faculdade federal daquele matagal conhecido como Mato Grosso do Sul. É conhecida nacionalmente (ou não) por ser a que teve o curso de medicina que quase fechou e que foi, por isso, tema de globo repórter. Erguida no meio do cerrado e de tucanos e feita inteiramente de barro socado, madeira, cacos de vidro, papel mache, gado, milho e soja. Onde só se bebe tereré, come chipa e diz "DOOO SULLLL" e acha que está no Brasil, mas na verdade é um Paraguai disfarçado... até o fuso horário é o mesmo!

Índice

HistóriaEditar

 
Uma foto de crianças atravessando o portal infernal... oh perai, é só a entrada da universidade mesmo.

A UFGD é uma universidade criada como desmembramento da UFMS campus de Dourados, com atuação dos chorões de medicina que não queriam que seu curso acabasse. Hoje superou sua "matriz" ao ter se apropriado dos mestrados e cursos implantados pela antiga patrona, sendo a melhor universidade de Mato Grosso do Sul! O que não significa grande coisa, pois tem como concorrentes a UEMS e UFMS...

Realidade AtualEditar

A biblioteca compartilha livros com a UEMS e os livros quase todos, ainda vêm escrito "Biblioteca Central - UFMS campus Dourados"... O RU é tão pequeno que na hora do almoço a fila chega na porta da UEMS (detalhe: esta fica do outro lado da avenida). A piscina da unidade II é tão funda que precisa contratar salva vidas para liberar para os acadêmicos; a moradia estudantil é um condominiozinho até com direito a portaria, dizem que é a melhor moradia estudantil de uma universidade federal. HU de Dourados agora é da UFGD, mas o diretor é da faculdade de ciências biológicas e por algum acaso, vice-reitor... O prefeito preso diz que os universitários só sugam a cidade... oh beleza! ainda por cima diz que não vai dar residência médica porque os médicos ganham bem! É verdade que pelo menos hoje existe uma cidade universitária em Dourados, mas pelo amor de Deus, aquilo é cidade universitária? Um amontoado de prédios iguais aos da UEMS, e o pior, iguais aos da UFMS... O curso de medicina da UFGD cresceu e se tornou um dos melhores do estado, os professores têm medo dos acadêmicos desse curso pois sabem que eles são loucos (lutaram e conseguiram o desmembramento da UFMS com muito suor e sangue e lágrimas e mimimi). Pelo bem da verdade, esse é um grande exemplo da filial que superou a matriz e que vai agradecer por não estar mais ligada a UFMS, mas que vai continuar a estar mais no mato, do lado do Paraguai contrabandeando eletrônicos e anfetaminas, tomando seu tereré e comendo sua chipa. Vai se consolidar como a melhor de Mato Grosso do Sul, influenciando e impulsionando outras revoltas e separações da UFMS! Mas sempre continuando como a FILIAL.

Cursos OferecidosEditar

  • Medicina: É quase um curso, os professores fingem que existe e os alunos acreditam ainda na sua existência. Não difícil você encontrará uma das pragas do curso: os GOIANOS refugiados (dizem que é a Universidade Federal dos Goianos em Dourados). Foram mandados para Dourados para tentar ver se um dia Dourados consiga ter uma população do tamanho de Campo Grande.
  • Nutrição Curso onde rola grande concentração das gostosas da UFGD, embora o nível venha caindo ano a ano. Só elogios.
  • Direito: Basicamente, qualquer um que não sabe o que quer da vida, mas que não é tão burro para viver com o pessoal de História, vai para o curso de Direito. São tão fresquinhos que não querem se dar ao luxo de ir visitar a unidade 2 pois ainda acham que lá só existe a UEMS e a fazenda experimental da agronomia. Popularmente conhecidos como os cuzões da UFGD, sempre polemizam pra krlh, fazendo textões no Facebook defendendo qualquer minoria ou ideia de bosta. Pelo o menos o casaco deles ficou daora.
  • Relações Internacionais: são os guerreiros escolhidos para dividirem a unidade 1 com os cuzões do direito. Pouco se sabe sobre os acadêmicos desse curso, a não ser que são em sua maioria filhinhos de papai que viajam muito. Se ontem que polemizava com textões defendendo qualquer minoria ou ideia de bosta era o Direito, hoje, são dois irmão, DIRI.
  • História: a disciplina mais importante da sua grade se chama "A história do Cannabis". É o outro primo pobre do Direito, embora seja muito mais fedido.
  • Geografia: No primeiro semestre ja descobrem que o Brasil não é Brasil e o Lula tem um amigo de atiba ia.
  • Psicologia: aquela galera que sabe que não manja nada de exatas e vai ser de humanas, chegando lá, descobre que curte tanta maconha quanto a galera de filosofia/história/antropologia, porém, ainda deseja ter um status financeiro razoável quando terminar o curso. No fim, vão ser psicólogos da mulecada do ensino médio.
  • Artes Cênicas: Acham que vão ser atores, mas não passam de uma parada gay.
  • Letras: um curso para ensinar os índios da região a ler.
  • Pedagogia: geralmente composto por velhas reclamonas que decidiram se inserir novamente no mercado de trabalho, no geral, vão nos ônibus da Medianeira pra UFGD fofocando horrores sobre tudo que for possível.
  • Educação Física: Reúne o inútil (aquele que se presta a isso) ao agradável (jogar bola). Reparou como os professores de Educação Física estão sempre em forma? É lógico, eles morrem de fome. São gente boa na maioria das vezes, mas por que eles dizem "Hoje vamos praticar um pouco de voleibol" em vez de "E aí, vamos jogar bola?" Alguém tem ideia de como são as provas para um curso de educação física??? Pega DP quem for gordo? É isso???
  • Química: acham que vão produzir metanfetamina, mas na verdade, nem vão passar em cálculo 1 ou química orgânica 1.
  • Biotecnologia: diz que existe, mas ninguém nunca viu um laboratório. Possuem aquela camiseta escrota do Jurassic Park.
  • Biologia cadastro reserva para ativistas que sobem em árvores e vendem miçangas no RU.
  • Gestão Ambiental acham que o curso é só abraçar árvores e fumar maconha.
  • Zootecnia: curso de quem queria fazer veterinária mas não passou em outra pública ou não tem grana para pagar Unigran. As matérias de "contagem de ovos", "arrumação da cama de frango" e "fisting bovino" são as principais norteadoras do futuro desses profissionais.
  • Agronomia: eufemismo de "agricultura", onde mais se encontra os agro-boys da região metropolitana de Dourados, o que inclui Douradina, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Caarapó, Amambai, Rio Brilhante e demais cidades satélites. Esse curso oferece aos alunos apenas uma apostila intitulada: "Como ser inútil em dois passos" o qual ensina como passar o dia numa completa ociosidade. O curso também oferece o "kit bruto fi" que consiste em um cavalete para ser laçado, um fumo copenhagen (anteriormente era Juriti, mas com o aumento dos cowboy veado, mudanças foram necessárias) e uma erva para tereré. A grade do curso é uma grade de Itaipava gelada. Nota: Acham que podem ser considerados engenheiros. Ainda não aprenderam a diferença entre Agronomia e Engenharia Agronômica e querem extender o título.
  • Engenharia Agrícola: Não passa de uma Agronomia com alguns cálculos a mais, nem fazem parte da FAEN, simplesmente porque não são engenheiros. Entretanto vivem de rusga com a Agronomia, inclusive criaram uma camiseta escrita "Engenharia Agrícola: A verdadeira engenharia do campo".
  • Engenharia de Aquicultura: talvez o curso mais inútil da UFGD, ninguém sabe ao certo como foi criado ou qual sua finalidade, mas reza a lenda que o curso surgiu da necessidade de Dourados ter representantes fortes nos festivais de pesca da região.
  • Engenharia de Alimentos: Lê-se gastrônomos, querem construir uma torre de massas. Mas a real finalidade desse curso é de dar uma embelezada no ambiente da FAEN, já que das engenharias é a que mais apresenta "brotinhos".
  • Engenharia Mecânica: É pre-requisito ser feio ou rodada para se matricular em Mecânica. Além disso, as mulheres possuem um pré-requisito extra: ter bigode.
  • Engenharia de Energia: quem entra na verdade queria elétrica. Quem se forma (ninguém). É a Engenharia mais estruturada na UFGD tanto que a administração e as salas dos professores de todas as engenharias ficam no laboratório de engenharia de energia....
  • Engenharia da Computação: esses caras levam aquele papo de exatas muito a sério. Raramente são vistos no campus, sempre usam preto e todos possuem uma cara muito descarada de punheteiros e jogadores de Lol. Curso praticamente sem mulheres.
  • Engenharia de Produção: Galera de administração com a ilusão de que fazendo cálculo 1,2 e 3 vão conseguir algo diferente na vida. Seu bordão é "o engenheiro que manda em outros engenheiros" kkkkk sabem porra alguma sobre o curso que fazem
  • Engenharia Civil: Pedreiros que aprenderam (ou não) cálculo, mas que no fim vão ganhar menos que eles. Vivem para cima e para baixo com seus capacetinhos ridículos e tubos de projetos. Vale ressaltar que na civil só tem cuzão.

EstruturaEditar

  • RU: O "Restaurante Universitário "PROVISÓRIO", que está eternamente marcado por servir comida cara e imprópria para o consumo humano. O definitivo não vai abrir mesmo pois o LULA já inaugurou! É característico desse RU o delicioso steak de frango comprado no mercado por 50 centavos, beeem mal passado e bastante oleoso. Essas características fazem desse prato um símbolo, um ícone, uma iguaria do RU da UFGD e mostra toda a perícias das tias no momento de fritar um simples steak. Além disso, o restaurante investe em ousadia nos sucos, apostando em uma fórmula que nem a galera da química ainda conseguiu entender quanto de água é colocado por grama de pó de suco. Uma outra inovação consiste na sobremesa, as gelatinas oferecem estado não gelatinoso, mas por vezes líquido. Tudo isso sai pela bagatela de R$ 3;60 (ou R$ 3,00 para perfil 1 na avaliação sócio-econômica). Barato demais. Vale lembrar que a carne moída vem dos gatos (pragas nativas).
  • HU: O "Hospital Universitário", é tão ruim quanto qualquer hospital da cidade (já que tudo que as autoridades fazem é dizer que repassam verba mesmo não repassando), com a diferença que os erros médicos podem ser facilmente justificados pelos fatos dos médicos serem formados nessa faculdade. Dentro do HU ainda existem os ambulatórios (ainda porque os administradores querem fechar por dar somente prejuízo ao hospital):
    • Ambulatório de Psiquiatria: lugar onde os estudantes do curso de medicina conhecem os aidéticos, os que a família não quer, e que em breve será mais uma lenda da universidade.
  • Banco de sangue: A universidade não tem, e não vai ter, e o único da cidade fecha para o almoço, só abrindo no dia seguinte...
  • Reitoria e Pró-Reitorias: também provisório, de onde o dono do slogan da "UFGD Livre" prepara de onde vai tirar liberdades dos estudantes, se da biblioteca (colocando tiazinhas chatas pra apitar em sala de estudo em grupo), ou fechando salas.
  • Segurança: Os seguranças da UFGD são seres sociáveis, vivem tomando tereré com os alunos ou fazendo um churrasco junto com eles. Existem boatos de que eles vigiam todo o campus, mas os comuns furtos de rádios de carros e dos próprios carros desmentem essas histórias. A única vez em que os seguranças agiram foi para tentar desativar uma bomba solta pelos alunos revoltados da UEMS e UFMS, indignados que a UFGD é a melhor do estado pelos últimos 2 anos seguidos.