Abrir menu principal

Desciclopédia β

Universidade Federal do Pará

Htret.JPG Universidade Federal do Pará dá um tapa na pantera!

Por isso ninguém entende o que ele(a) diz!

Clique aqui se você quiser dar um tapa também.

NovoWikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Universidade Federal do Pará.

Cquote1.png Você quis dizer: Pocilga? Cquote2.png
Google sobre UFPA

Cquote1.png Experimente também: Casa da Mãe Joana. Cquote2.png
Google sobre UFPA

Cquote1.png 20 anos de curso, porra! Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre alunos da UFPA

Cquote1.png É uma cilada, Bino! Cquote2.png
Pedro sobre Bino prestar vestibular para a UFPA

Cquote1.png O curso de Medicina da universidade é de 13 por vaga, enquanto os das estaduais do sul do país variam entre 40 e 120 candidatos por vaga Cquote2.png
IBGE prestar vestibular para a UFPA

Cquote1.png O curso de Direito/Engenharia/Arquitetura/Zootecnia e outros Top. de Linha da universidade são de 5 por vaga, enquanto os das estaduais do sul do país variam entre 13 e 20 candidatos por vaga Cquote2.png
IBGE prestar vestibular para a UFPA

Cquote1.png Ih, foi mal a minha é FEDERAL! Cquote2.png
Calouro da UFPA se iludindo no dia do resultado do vestibular.

Cquote1.png Tá bom imbecil! quero ver neguinho passar nas ESTADUAIS das regiões centro-oeste, sudeste e sul do país! Cquote2.png
Aluno de particular do sul do país sobre aluno da UFPA.

Cquote1.png Pede pra sair! Pede pra sair! Cquote2.png
Capitão Nascimento dispensando o tratamento padrão aos calouros da UFPA

Cquote1.png 5 reais pra fazer caridade! Cquote2.png
Tiuzinho sobre as putas que entram de madrugada na UFPA.


A Universidade Federal do Pará (UFPA) é o principal estábulo universitário do Pará. Fundada em 1957, a pocilga conta com mais de 35.000 alunos que fingem que estudam e quase 2.400 professores que fingem que dão aula. Por pura falta de concorrência, a UFPA é também considerada uma das principais instituições do Trópico Úmido, categoria inventada pela própria instituição para sair bem na foto.

A universidade é vastamente conhecida pela ocorrência freqüente de greves, vista a grande concentração de comunistas no local, especialmente militantes do PSTU e do PSOL. Além disso, é comum o tráfico de drogas entre alunos quando a putaria rola solta, principalmente durante as aulas, as reuniões na beira do rio e os forrós no Complexo Vadião, ou seja, durante o tempo todo. Não à toa, assim como várias universidades públicas, a UFPA é um dos maiores maconhódromos do País.

O maior campus da UFPA é o Campus do Guamá. Localizado à beira do rio Guamá, é um dos lugares mais imundos e inóspitos da Terra. Virou uma rotina achar corpos, de pessoas e animais, em estágio avançado de decomposição flutuando naquelas águas de caldo de feijão, acredita-se que esta é a razão pela qual o lugar foi escolhido para sediar o campus, afinal, a área é uma fornecedora de corpos para estudos acadêmicos.

Uma vez ou outra os populares, provenientes das asquerosas invasões que circundam a "universidade", saem com enormes peixeiras e lanças dos matagais, que a UFPA insiste em preservar, e perseguem os estudantes, que ainda correm o risco de levar uma pirocada dos meliantes. Ainda existe o risco de ser atacado por feras carnívoras que se ocultam na mata que na verdade é um resquício da Floresta da Morte (vide anime Naruto), portanto é um ato de coragem se embrenhar em tais espaços já que nunca ninguém voltou com vida de lá. É conhecida tanto pelos prédios caindo aos pedaços, pela intensa desova de cadáveres em estágio de putrefação, maior índice de atentados violentos ao pudor do Norte, macumbas no meio do matinho, quanto pela alta freqüência de assaltos, visto que qualquer um pode entrar nesse antro. Assim, não raro, qualquer bandido do outro lado do rio pode nadar até a UFPA, entrar e fazer o seu trabalho sem qualquer perturbação, obviamente a segurança e os inspetores do campus já os conhecem e se habituaram com suas ações, portanto vivem vadiando em serviço e prestando auxílio à jovens calouras, sedentas por aventuras em meio a um ambiente tão hostil, assim como os professores que “lembram” que têm que dar aula na metade do segundo copo de Cantina da Serra.

Já é antiga a ideia de cercar o campus da UFPA, incursões fracassadas foram feitas ao local bem como uma tentativa de intervenção federal, o problema é que como nenhum dos agentes enviados voltou com vida do campus, as operações foram paradas. Porém não se iluda, tal atitude de tornar a universidade hermética, asseguraria que as cobras que lá se criam não passem para dentro da região metropolitana de Belém, que já é bastante calejada em termos de infratores. Infelizmente a verba para a colocação da cúpula, de ferro reforçada com concreto, foi totalmente desviada, portanto a universidade ficará lá mesmo desse mesmíssimo jeito, por muito e muito tempo.

Diante de tudo isso, a reitoria se encontra mais ocupada cuidando do desvio das verbas repassadas pelo Governo Federal, fazendo parte do ciclo de corrupção que envolve todas as esferas do poder público. No máximo, a administração promove uma ou outra obra que faz parte do “Projeto Sucatas do Amanhã”, composto por obras que parecem grandes, mas que vão, em breve, ser os cacarecos do futuro.

Índice

DocentesEditar

 
Professor da UFPA após tratar mal seus alunos.

A UFPA conta com um dos corpos docentes mais qualificados da Região Norte, sendo constituído, sobretudo, por cavalos, comunistas e mendigos. O professorado da universidade é conhecido pelo péssimo tratamento dispensado aos alunos, cenas de sapatos e apagadores desferidos contra o rosto de alunos, cuspe na cara e frases como: "Então você veio aqui para estudar?" além é claro, pela vasta atuação em pesquisas científicas, especialmente nas áreas de: Grosseria, Palavrões, Má-Vontade, Desmotivação, Tortura, Malandragem, Arrogância e Estupidez.

A universidade já teve entre seus professores e palestrantes grandes personalidades, dentre as quais se destacam:

  • Amy Winehouse, convidada para ministrar uma única palestra para afastar os jovens alunos do álcool e das drogas.
  • Capitão Nascimento, responsável pela oficina na qual instruía professores no trato com os alunos.
  • Che Guevara, apesar de morto permanece vivo no imaginário dos alunos como a camisa mais usada dentro da UFPA por pseudo-comunistas.
  • Dercy Gonçalves, ministrou palestras motivacionais de cunho pedagógico, repassando palavras como "foda-se" e "porra" aos docentes.
  • Chuck Norris, implementou a política Tolerância Zero no campus, na qual abordava distraídos alunos e levava-os para a "salinha".
  • Fidel Castro, é professor de Direito pela UFPA.
  • Joseph Stalin, é professor de Sociologia pela UFPA.
  • Karl Marx, é professor cultuado por pseudo-hippies e pseudo-comunistas.
  • Lênin, é professor cultuado por pseudo-hippies e pseudo-comunistas.
  • Leon Trotsky, é professor de Física pela UFPA.
  • Maguila, é professor de Literatura e Língua Estrangeira pela UFPA.
  • Xuxa, é professora voluntária de catecismo, para alunos pagãos, no Projeto "MAissXXX Um Dia Com JesXXXXus na UFPA".
  • Carla Perez, professora mestranda pela UFPA em Física Quântica, Genética, Ufologia e Psicologia Dogmática.
  • Clodovil, desenvolveu uma politica de abordagem de alunas barangas e mal vestidas, 764 alunas foram levadas até a carceragem do Acre.
  • Maradona, é professor de pesca, de extração de látex e colheita de mandioca mestrando pela UFPA.
  • Chewbacca, é o quebra galho geral da universidade, pode ser visto desentupindo privadas com a mão e "auxiliando" calouras.

AlunadoEditar

O corpo indecente da UFPA é composto por uma vasta heterogeneidade de criaturas e de grupos sociais. Em termos de orientação ideológica, é visível entre o corpo discente o grande número de comunistas, nerds, maconheiros, putinhas, falsas gostosas, pseudo-intelectuais e interioranos. Hoje, já é possível perceber um crescimento vertiginoso do número de alunos indies, rockeiros, emos, pseudo-hippies, pseudo-comunistas, playboys e vagabundos que não querem nada com a vida.

No que tange às classes sociais, a composição socioeconômica da universidade varia de curso para curso. É visível a grande quantidade de cabocos e ribeirinhos em diversos cursos que exigem uma frequência de 1% por semestre. Já em cursos como Medicina e Direito, verifica-se um amplo número de playboys e filhos de políticos e coronéis de Bragança, derrubando a idéia de que só há playboys nas faculdades pagas de Belém.

Recentemente notou-se o aumento de alunos Bolsonaretes e Bolsominions, fanboys do Jair Bolsonaro que sempre dão piti e ficam de mimimi quando falam alguma coisa que seja contra ele nos grupos da universidade. Percebe-se também que este tipo de aluno possue limitações intelectuais uma vez que classificam todos os alunos que não concordam com eles de petralha. A faculdade de psicologia da UFPA e o departamento de psiquiatria já estudam a viabilidade de prestar auxílio a estes indivíduos, porém estudos recentes comprovam que o único tratamento que os acalma é bater panelas na varanda de seus apartamentos na doca sem ao menos saber o motivo.

Em termos gerais, é interessante notar a trajetória que esses alunos seguem na universidade. Ao passarem no vestibular, muitos se acham o máximo, chegam a comer fezes e urinar em seus familiares e enchem o cú de cerveja e maconha, mas logo veem que fizeram papel de otários ao comemorarem tanto a aprovação. Ao chegarem lá, ao invés de depararem-se com a professora Francisquinha do Carrossel Encantado, ficam com o queixo no chão com a luxuosas instalações da universidade, bem como, com a capacitação de seus professores, que de tão capacitados só almejam saber mais e mais para eles mesmos as custas do governo. Começam a escutar a grosseria, desabafos amargurados, palavrões e ataques de estrelismo, chegando ainda a sofrer a tortura de diversos "atores sociais" veteranos na UFPA.

Agora, como sempre existe algum ser humano abaixo de nós, os alunos da UFPA rapidamente recuperam suas auto-estimas, ao continuarem se achando perante os alunos de outras faculdades pagas (que os invejam justamente por estarem estudando na “famosa” e “ostentosa” “FEDERAL”). Não obstante, os fracos ainda pedem pra sair e buscando tratamento psicológico junto aos formandos de psicologia que resistem na universidade.

Estrutura Física e LaboratóriosEditar

 
Parada do OVNI circular da UFPa

A Federal Paraense dispõe de uma vasta gama no que tange a infra-estrutura e aulas práticas de seus cursos. As cadeiras foram queimadas na última manifestação, portanto, hoje cada estudante trás de casa a sua esteira para assistir aula com a barriga grudada no chão.

Os laboratórios são um capítulo a parte, situados em pontos longínquos do campus, os alunos tem de caminhar rápido até eles para assegurar que cheguem vivos, desviando de balas, trombadinhas e crateras. Nestes são oferecidas experiencias nova aos estudantes, a UFPA é pioneira nas culturas de microorganismos que podem ser observadas nas paredes do laboratório, nas cadeiras, na pele de alguns alunos, no jaleco e na barba do professor, não obstante, os cabelos dos hippies da universidade são objeto de estudo e análise de fungos e bactérias. Lá os estudantes ainda são expostos ao dia-a-dia com todas as adversidades de um grande laboratório, não usam luvas, copo de Becker nem mesmo bico de Bunsen. Os equipamentos foram roubados ou doados e as vidrarias foram quebradas ou servem de copos de pinga, um saco de pão é a luva, as substâncias são colocadas em potes de maionese Hellmans e de doce da Tia Anastácia e como aquecedor, quando não dispõem de uma boa lamparina, utilizam o forno à lenha.

O único material que não está em falta para realização das práticas é justamente o biológico, o mais fácil de ser obtido, seja com os retos de esperma encontrados em camisinhas ao redor das salas ou com os restos mortais de algum indivíduo abatido por acerto de contas nas imediações, os professores recomendam que sempre deve ser usado o pregador de madeira reflorestada (entende-se como pinça) no manuseio dos materiais que rapidamente devem ser colocados e "tapados" em uma vasilha da Decoplast. Atualmente os professores sempre pedem para que os alunos tragam de casa o material que irão usar em suas práticas. Os mais pedidos são: algodão, canudinho, palito de churrasco, tesoura sem ponta e cola.

DCEEditar

Formado pelo pessoal de Humanas, maconheiros, cachaceiros e rockeiros. Um pré-requisito para entrar para o DCE é estar cursando a universidade há mais de 10 anos no mesmo semestre. Existe para fazer arruaças, atrapalhar aulas (quando tem), invadir a reitoria (só pra não ficar atrás do pessoal do Sul), fazer discursos que ninguém ouve e colocar uma caixa amplificada tocando rock pesado no RU na hora do almoço.

ForrósEditar

Os forrós são conhecidos momentos de putaria na universidade, quando a bebida, o sexo e a maconha rolam soltos. Tal fato fica patente nos nomes dos forrós, como é o caso do SÓCRATESNOMEUREGO (Forró de filosofia), FODEOCE (Forró de Oceanografia), FODESS (Forró de Serviço Social), FODEDIREITO (Forró de Direito), FODEM (Forró de Medicina) e FODECOMPUTA (Forró de Ciência da Computação), FODEST (Forró de Estatística), FODETUR (Forró de Turismo), FODAELÉTRICA (Forró da Engenharia Elétrica) e FODECOMPRESSÃO (Engenharia Civil). A última orgia contou com a participação de cinco atrizes pornôs, uma perna manca, dois cavalos e mais 2.000 pessoas entre estudantes e outras formas de vida que habitam a universidade, pouco foi documentado logo não poderia parar no Guiness Book. Esclarecimento: Apesar do nome, não têm nada de forró, as festas são regadas a techno-brega.

Além da putaria, pode-se encontrar putas, traficantes e ladrões das favelas adjacentes (Terra Firme). Uma das atrações do forró é o assalto nos banheiros, além de estupros, brigas e o famoso arrastão na saída, os quais, os guardas (totalmente alcolizados) não conseguem conter.

Criaturas e grupos sociais que integram a UFPAEditar