Abrir menu principal

Desciclopédia β

Vila Isabel (Rio de Janeiro)

Cquote1.png Você quis dizer: "Botequim"? Cquote2.png
Google sobre Vila Isabel

Em Vila Isabel até as estátuas se embebedam.

Cquote1.png É a minha Disneylândia Cquote2.png
Hugo Chavez sobre Vila Isabel

Cquote1.png Sai pra lá... Sai pra lá... Cquote2.png
Silvio Santos sobre bafo de morador de Vila Isabel

Cquote1.png Lá qui butaro pra nois bebê! Cquote2.png
Jeremias sobre Vila Isabel

Cquote1.png São Paulo da café, Minas da leite e a Vila Isábel dá samba! Cquote2.png
Noel Rosa sobre Vila Isabel

Cquote1.png Moro quase quase lá Cquote2.png
Morador do Cachambi sobre Vila Isabel

Cquote1.png Moro quase lá Cquote2.png
Morador do Engenho Novo sobre Vila Isabel

Cquote1.png Moro quase lá Cquote2.png
Morador do Rocha sobre Vila Isabel

Cquote1.png Moro quase lá Cquote2.png
Morador do Riachuelo sobre Vila Isabel

Cquote1.png Moro lá Cquote2.png
Morador do Andaraí sobre Vila Isabel

Cquote1.png Moro lá Cquote2.png
Morador do Grajaú sobre Vila Isabel

Cquote1.png Moro lá Cquote2.png
Morador do Morro dos Macacos sobre Vila Isabel

Cquote1.png Nunca vi Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Vila Isabel

Cquote1.png Um lugar de puro luxo e glamour Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Vila Isabel

Vila Isabel é um bairro de classe-média encachaçada da cidade do Rio de Janeiro, cercado pelos bairros da Tijuca (reduto de pobres metidos a rico), Grajaú (?), Andaraí (conhecido por causa da novela) e Maracanã. Possui uma área de 321,71 hectares e uma população de 81.858 alcoólatras. Também é o bairro de Flor, a cega chata da novela "América". Vila Isabel tem uma variedade enorme de estabalecimentos: uma vila, depois um bar, depois outra vila, depois outro bar... e assim vai enquanto a cachaça deixar.

Índice

HistóriaEditar

O bairro surgiu do espírito de porco de um bocó que se dizia barão de Drummond, um empresário progressista do Setor Zoológico. Ele adquiriu a Imperial Quinta do Macaco, de propriedade da Imperatriz D. Jura.

Para urbanizá-la e loteá-la, Drummond organizou a Companhia Arquitetônica, contratando o arquiteto Stevie Wonder da Silva, discípulo de Ray Charles. O seu projeto contava com toda a infra-estrutura urbana disponível na época, ou seja, nenhuma, vindo a receber, inclusive, a novidade de um poste há algum anos atrás.

As terras da fazenda eram cortadas por duas antigas estradas, a do Macaco e a de Cabaço, que se tornaram respectivamente o boulevard 28 de Setembro e a rua Barão do Bom Retiro.

Idiota, mas amigo de figuras de destaque, Drummond deu às ruas e praças do empreendimento nomes e datas alusivos a seus baba-ovos. A própria denominação do bairro foi uma homenagem à Princesa Isabel, a princesa chegada num negão

O sistema de transporte - bondes a tração animal – seria provido pela Companhia Ferro-Carril de Vila Isabel, empreendimento também criado por Drummond para explorá-lo (1873). Foi implantado em 1875, ligando o bairro ao Centro. Dizem que muitos artistas foram lançados graças aos bondes de tração animal: Carla Perez, Luciana Gimenez etc.

Noel RosaEditar

 
Noel Rosa.

O bairro de Vila Isabel ficou famoso mundialmente por abrigar a versão gay de Papai Noel. Nos EUA o Papai Noel Gay é chamado de Santa. No Brasil, por achar o termo "Santa" pejorativo, o bom velhinho adotou a barba cor de rosa e passou a se chamar Noel Rosa. Noel Rosa nunca teve filhos, até porque seu saco é de brinquedo. Acredita-se que Papai Noel tenha assumido seu lado gay por influência dos veadinhos que puxam seu trenó. Como não tinha o que fazer durante o resto do ano, Noel Rosa passada a porra do resto do ano enchendo o cú de cachaça enquanto desfrutava de uma carreira de pseudo sambista. Fez inúmeras músicas, geralmente vindo de experiências promíscuas, como a música "com que roupa", em que ele saiu pelado pelas ruas. A fim de fazer ele ter o que fazer, sua mãe, dona Mamãe Noel, convenceu os moradores da Avenida 28 de setembro fazer a reforma nas calçadas de que tanto precisavam. Mas Noel era tão desocupado que colocou as partituras de suas pseudo-músicas na calçada. Nego do bairro ficou puto... mas como não tinha dinheiro pra contratar um pedreiro de verdade (no Morro dos Macacos não tem nenhum) acabaram tendo que ficar com aquilo mesmo. Deprimido com a baixa aprovação de sua calçada, Noel Rosa se entregou de vez à bebida. Bebia mais que um alemão do 3° Reich antes do suicídio... era muito mesmo. Mas nego do bairro tava pouco se fudendo pra ele, ainda mais depois da merda que ele fez na calçada, foi então, que numa bela e fria noite de junho (ou julho) que Noel Rosa, bebia num boteco pé sujo, e por ficar ao ar livre ele congelou e tomou no cú. Como seu peso em cachaça era de mais ou menos 300 quilos e Vila Isabel é um antro de vagabundos preguiçosos, acabaram deixando o corpo dele congelado lá mesmo, fingindo que era uma estátua. Após uns anos, um morador retardado ganhou no Toto Bola (antigo Rio de Prêmios) e comprou um garçom de bronze para colocar ao lado do corpo de Noel, dando mais veracidade àquela idiotice.

Centro dos PinguçosEditar

 
Moradores de Vila Isabel.

Vila Isabel é famosa pela presença de inúmeros poetas e compositores que nasceram no bairro, ou que nele foram revelados.

O mais famoso é Papai Noel Rosa, um cara sem queixo que nasceu no bairro em 11 de dezembro de 1910.

Também podemos destacar o Martinho da Vila, outro bêbado que adicionou o nome do Bairro ao seu quando criou seu nome artístico. Martinho da Vila teve uma filha: Mart´nália. A maior prova de que bêbado só faz merda.

Mantendo a tradição cachaceira, foram surgindo muitos bares nas ruas do bairro e muitos bares antigos ainda persistem atraindo uma enorme quantidade de pessoas. O mais tradicional é o Bar e Restaurante Testículo da Vila, estabelecimento que vende a famosa Batida de Leite de Minhápica.

Calçadas MusicaisEditar

 
Calçada Musical da 28 de Setembro.

Foram assim construídas, desde a Praça Maracanã, no início do boulevard 28 de Setembro, até à Praça Barão de Drummond, as famosas calçadas musicais de Vila Isabel, com as partituras das seguintes músicas:

Ver tambémEditar