Abrir menu principal

Desciclopédia β

Visconde do Rio Branco

Bandeira do Brasil.jpg CRIME OCORE NADA ACOTECE FEIJOADA

Oxe, venha cá, este artigo da porra vem do Brasil! Só fala de futebol, come feijoada, exporta diplomatas, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela dificuldade de atendimento médico.

Este artigo é relacionado à história.

Se você vandalizar, o Cardeal Belarmino vai te pegar!

Tempos-modernos01.jpg
Visconde do Rio Branco

Cquote1.png Você quis dizer: Careca Cquote2.png
Google sobre Visconde do Rio Branco
Cquote1.png Experimente também: Barão do Rio Branco Cquote2.png
Sugestão do Google para Visconde do Rio Branco
Cquote1.png Experimente também: Espiridião Amin Cquote2.png
Sugestão do Google para Visconde do Rio Branco
Cquote1.png Meu Grande Pai! Cquote2.png
Barão do Rio Branco sobre Visconde do Rio Branco
Cquote1.png E cadê Dom Pedro II Cquote2.png
Visconde do Rio Branco sobre Dom Pedro II
Cquote1.png Que cara mais desgraçado! Vá a merda! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Visconde do Rio Branco
José Maria da Silva Paranhos (Visconde do Rio Branco), foi um militar, jornalista e senador do Império do Brasil pelo Mato Grosso, o amigo preferido de Dom Pedro II e Princesa Isabel, o Grande Pai de Barão do Rio Branco (Gordinho da Sapucaia), a primeira moeda de Duas Caras do Brasil e a atual presença nas moedas de 50 Centavos.

José Maria da Silva Paranhos era o cara mais odiado pelos argentinos e além de ser heróico e bravo que venceu a Guerra dos Farrapos, Balaiada, Sabinada, Revolução dos Estados Unidos do Sul (essa ele foi pelo lado Sulista).

José Maria da Silva Paranhos era um homem que adorava dinheiro, (Porém quem mais foi bem sucedido foi seu filho, pois ele era humilde).

Paranhos morreu de fome em 1 de Novembro de 1888, tanto que seu Grande Filho vendeu sua biblioteca para um nerd para poder pagar as contas de Paranhos.

Índice

BiografiaEditar

Visconde do Rio Branco era descendente de alemães e teve sua vida relacionada a dinheiro, grandes via(da)gens, luxo, mulheres, ser ladrão e encher o Senado de corrupção ou seja: Era o "Grande Filho" de José Sarney, e o homem de maior confiança de Dom Pedro II seu imperador preferido.

CarreiraEditar

Visconde do Rio Branco começou sua carreira como senador, e foi abençoado por Jesus Negão em 1888, em seu velório por ter assinado a Lei do Ventre Livre, que dava liberdade a negros filhos de escravas.

HomenagensEditar

 
Nota que seu filho Barão do Rio Branco pagou as dívidas do pai.

Em sua morte seu filho Barão do Rio Branco fez uma homenagem a seu pai um velório com o dinheiro do filho.

Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Visconde do Rio Branco.

FrescurasEditar

Visconde do Rio Branco era cheio de Frescuras e viadagem.

LeisEditar

Lista de leis de Visconde do Rio Branco:

  • Sempre coloquem avenidas com meu nome;
  • De manhã cedo me acordem e lavem meus pés;
  • Todos deverão adorar a mim;
  • O Dinheiro é meu;
  • O Brasil é meu;
  • Encham o Senado de corrupção;
  • Agora eu sou Dom Pedro III.

HinoEditar

Salve, o rei dos corruptos

Salve Visconde do Rio Branco

Pai dos ladrões senadores do Brasil

Salve nossos ladrões do Brasil.

Ver TambémEditar

  Visconde do Rio Branco já morreu!

E fizeram festa no velório!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno