Abrir menu principal

Desciclopédia β

Volkswagen Santana

Este artigo é relacionado à história.

Artigo tombado - Patrimônio histórico.

40967074 nikita.jpg
Carrinho spmercado.jpg Este artigo é sobre um carro.

♫ Não é homem, não é nada, mulher gosta é de carro... ♫

Ele queima óleo, suja sua garagem, solta fumaça e sempre lhe deixa na mão no meio da estrada!

Cquote1.png Você quis dizer: Ford Crown Victoria Cquote2.png
Google sobre Volkswagen Santana
Cquote1.png Você quis dizer: Ford Versailles Cquote2.png
Google sobre Volkswagen Santana
Cquote1.png Pode acabar o mundo que estará rodando! Cquote2.png
Qualquer taxista sobre Santana Redondo
Cquote1.png Na época que os ladrões só tinham fusca para roubar, até que o Santana agüentava o trabalho. Cquote2.png
policial sobre Santana
Cquote1.png Tem ou não tem carburador nessa porra?! Cquote2.png
Neto sobre Santana


NovoWikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Volkswagen Santana.
Feirões do modelo possibilitaram o surgimento da cidade de Feira de Santana, na Bahia.

O VW Santana representa para os brasileiros a mesma coisa que o Ford Crown Victoria para os americanos: já teve seus dias de glória, mas hoje é apenas mais uma porcaria grande e desatualizada que só serve mesmo para táxi, viatura de polícia e carro de gente velha.

O lançamento foi em 1984, quando a VW pegou o chassi do Passat (um dos melhores carros da Volks), lançado para arrasar nas pistas, alongou a carroceria em mais 30 cm e o entre-eixos em 12 cm. Chegou nas versões CS (Carro Sapatão), CG (Carro Gay) e CD (Carro Demente) e o motor de estreia foi o MD 270 (Merda Dita 270 vezes) 1.8 de 86 éguas com gasolina e 92 pangarés com álcool. Foi também a estreia do câmbio automático burro.

Prestes a voltar ao mercado, a Desciclopédia viu com exclusividade o novo e moderníssimo painel do Santana.

Índice

História do SantanaEditar

 
A primeira versão, com 1 cavalo de potência.

Em 1985 chega a preferida das funerárias: a Quantum nas mesmas versões de acabamento e motor do Santana e de câmbio também. Em outubro do mesmo ano chega o AP (Alta porcaria) 1.8 com 92 pangarés na versão à gasolina e 99 na versão á álcool (mas na verdade tinha 105) para não pagar tributos ao governo.

Em outubro de 1986 eles ganham nova grade dianteira e as versões viram CL(Carro lixxo), GL(Gay luxo) e GLS,esta destinada a gays,lésbicas e simpatizantes.Em maio de 1987 chega o AP 2000 que muita gente adora turbinar embora a versão original gere 99 éguas com gasolina (na verdade 105) e 112 éguas na versão á álcool. Um ano depois chega a versão EX e o AP 2000 ganha injeção eletrônica e com isso passa a ter 125 jegues mas na verdade 11 desses não existem. Mais uma mentira da Volkswagen. passatera

Em março de 1991 chega a segunda geração do modelo só com carroceria duas portas e dois meses depois ganha um clone (Ford Versailles) e junto a injeção monoponto é trocado pela multiponto e segundo a VW mantém os 125 jegues mas todo mundo sabe só ganhou 2 jegues em relação ao EX no motor 2.0. Em agosto de 1991 chega o quatro portas e dois meses depois ganha catalisador só para entupir e exalar mal cheiro. O AP(Alta porcaria) passa a ter 86 pangarés na versão a gasolina, 95 na versão a álcool e o 2.0 mantém as 105 éguas na versão á gasolina e 112 éguas na versão á álcool, graças ao comando vitaminado do Gol GTS e o 2000i já tinha essa bosta do catalisador.

Em março de 1992 chega a Quantum de nova geração nas mesma versões de acabamento e motor do Santana, depois de mais dois anos sem mudanças o AP 1800 ganha injeção eletrônica monoponyo e vai a 93 pangarés na versão a gasolina em outubro de 1993 na linha 1994, em outubro de 1994 na linha 1995 a carroceria duas portas do Santana dá o seu adeus e estreia o AP 1800i á álcool com 97 pangarés e o AP 2000i á álcool com 117 jegues e o AP 2000i á gasolina perde 4 jegues (indo a 112CV), em outubro de 1995 na linha 1996 as versões CLi, GLi e GLSi dão adeus, em lugar vem as básicas e a Exclusiv: São os melhores Santana produzidos com bancos feito pelas organizações tabajara e algumas peças de acabamento compartilhada com o Gol. Em outubro de 1996 na linha 1997 o AP 1800 ganha injeção multiponto indo a 100 pangarés na versão á gasolina e 103 pangarés na versão á alcóol e a versão á gasolina AP 2000mi perde um jegue passando a 111CV.

Em maio de 1998 eles passam a ter a maior mudança da sua vida: o adeus do quebra-vento, o motor 1.8 a gasolina perde 1 pangaré e o 2.0 ganha mais 3 jegues, o 2.0 á alcóol dá o seu adeus, desde 1996 ele não contava mais com câmbio automático burro, o ABS foi sempre opcional na versões Top desde 1992, em junho de 1999 a versão Exclusive dá adeus assim como o ABS opcional. idiota voce deve ter uma fiat 147. hahahahahahahaha!!!!!!!!!

Informações técnicasEditar

Na verdade, uma gambiarra com chassi de Passat e motores de Passat 1.6 ampliado o MD (Merda dita) 270 (sei lá esse número) que com gasolina rendia 86 éguinhas e o alcóol 92 cavalinhos

Versões e evolução do ModeloEditar

Originalmente, o Santana vinha nas versões CS (carro simples), CG (Gol caro de forma invertida) e CD (carro demente) e seus rivais éram Chevrolet Monza e Ford Del Rey.

1985Editar

 
um santana de 1985

Em maio de 1985 estreia a Quantum e com as mesma versão de acabamento e motor de Santana além do câmbio automático burro desse.

Em outubro de 1985 tanto o Santana e a Quantum ganham o AP (Alto pré-histórico) 1.8 com gasolina gera 92CV e o alcóol segundo a Volkswagen gerava 99 éguas mas tinha mais 6 CV escondido que a Volkswagen não quis contar para não aumentar o imposto.

1988Editar

 
Novo Santana 2008.

Em março de 1988 ele ganha o AP 2000 mas um motor muito fraco pos era tão fraco que a VW fez uma parceria com a nasa e colocou uma apzão 2.0 nos foquetes que chegavam na lua

1989Editar

Em março de 1989 ele ganha a versão a gasolina e de acordo com as conivências Volkswagen ele inventou que o carro tinha 125 pangarés quando na realidade tinha 114 (Alguns especialistas afirmam que esses 11 cavalos adicionais são parte dos 12 cavalos que a Volkswagen ocultou nos outros 2 modelos).

1991Editar

Em março de 1991 chega a segunda geração,gambiarra feita em cima da primeira que por sua vez éra a do Passat 1974, o motor AP 2000 ganha injeção multiponto e de acordo com as conivênicas VW ele tinha 125 éguas mas na realidade tinha 116.

Em outubro de 1991 ele ganha o motor catalisador e a versão quatro portas da segunda geração. O AP 1800 gasolina perde 6CV com gasolina e o AP 1800 alcóol perde 10 pangarés. Já o AP 2000 carburador ganha comando de válvulas do Gol GTS

1993Editar

Para manter a potência com catalisador, em outubro de 1993 o AP 1800 a gasolina ganha injeção monoponto e vai a 93CV e o AP 2000 tem potência reduzida a 112 pangarés na versão á gasolina.


1994Editar

Em outubro de 1994 ganha a versão a injeção monoponto o 1.8 á alcóol indo a 97 CV e o alcóol ganha a injeção multiponto mantendo os 112 pangarés com gasolina e indo a 112CV no alcóol, lembrando que em 1992 éra lançada a segunda geração da Quantum.rrdrdddrd xD

1996Editar

Em outubro de 1996 na linha 97 o AP 2000Mi perde 1 jégue na versão á gasolina o AP 1800 ganha injeção multiponto com gasolina gerava 100CV e o alcóol ia 103CV.

1998Editar

 
Santana 2000

Em maio de 1998 ele ganha a reforma que perde o quebra-vento(coisa que Uno, Escort,Chevette e outras bixeiras deixaram há muito tempo) o motor AP 2000 mil á alcóol dá a sua despedida, o AP 1800 perde uma égua e o AP 1800 á alcóol continua na merda...

2001Editar

Em outubro de 2001 a versão Quantum dá adeus,não agüenta a concorrência da Fiat Marea Weekend, o Santana segue se arrastando até 2006 quando já não tinha mais o motor AP 2000 e os bancos eram feitos pela Organizações Tabajara.

A veterana Quantum não agüenta mais o tranco da concorrência nem sendo desovada a preço de Parati 1.6 em promoção, ameaçada pelas malditas minivans e a merda do Fiat Marea Weekend, e dá o seu adeus.

2006Editar

O Santana segue sem alterações até dar adeus em 2006, quando o último funcionário de sua linha de montagem teve um infarto ao receber a notícia de que a Renault estava prestes a lançar no Brasil o Logan no final de 2007 e ficou com medo de perder o emprego. A produção continua apenas na China, onde ainda se fabricam cópias do Santana.

  Este artigo é sobre um carro.

♫ Não é homem, não é nada, mulher gosta é de carro... ♫

Ele queima óleo, suja sua garagem, solta fumaça e sempre lhe deixa na mão no meio da estrada!