Abrir menu principal

Desciclopédia β

We're Only in It for the Money

Medinho do escuro.jpg Este artigo se trata de um álbum

E com certeza tem uma cópia pirata no camelô da esquina.

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Cquote1.png Ele feriu meus sentimentos com esse disco, snif snif Cquote2.png
Paul McCartney sobre Frank Zappa
Cquote1.png Esse cara traz uma energia negativa, aí! Cquote2.png
Hippies sobre Frank Zappa

Chupem essa, Beatles!

We're Only in It for the Money é um disco de cacofonia lançado por Frank Zappa e sua banda As Filhas da Mãe em 1968, o ano do macaco. O álbum é considerado inovador por ter sido lançado com a intenção de ser totalmente incompreensível. Porém os 3 que conseguiram ouvi-lo até o fim sem ficarem loucos de pedra alegam que se trata de uma sátira à cultura hippie, embora eu discorde disso, pelo fato de a maconha deixar hippies retardados demais pra entenderem algo como críticas sociais.

Mas apesar disso tudo, We're Only in It for the Money acabou se tornando mais famoso pela sua capa nonsense, onde Zappa e seus amigos fazem uma carinhosa paródia ao Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, da banda de garagem Beatles. Mas diferentemente do original eles aparecem travestidos, mostrando a real intenção da banda inglesa com a capa, que era desabrochar o seu jardim.

História dessa coisaEditar

Enquando distribuía seu currículo de office-boy pra tentar entrar numa gravadora e juntar um trocado pra pagar a fralda de sua filha Moon Unit, Frank Zappa ouviu de um diretor que ninguém ia querer comprar aquela música de bosta profunda demais que ele escrevia. Ofendido, Zappa decidiu que ia escrever duas vezes mais sons como aquele, num projeto chamado de No Commercial Potential, que curiosamente não vendeu nada mesmo e deu origem aos discos Caldo de Carne da Maggi, Sentindo o Jato do Rubinho e Tio Carnudo.

Enquanto ele gravava o disco, os Bibas lançaram o disco do Sargento Pimenta e sua banda de corações emocores. Em resposta ao sucesso enormoso do disco, Zappa decidiu dar uma lição de moral nos ingleses viadões, dizendo que na verdade eles queriam mesmo era participar do Topa Tudo por Dinheiro do Silvio Santos. De coração partido, Paul McCartney ameaçou meter uma bofetada na cara dele, mas como ele era legal demais pra se importar, nada aconteceu e nenhuma importância foi dada, para o bem de todos e felicidade geral da nação.

RemixEditar

Em 1984, Zappa que já não estava contente com esse disco ser uma obra-prima e um dos trabalhos mais avançados dos anos 60, resolveu cagar no serviço todo colocando novas linhas de baixo e bateria para o que seria o relançamento em CD de We're Only in It for the Money. O problema é que as linhas de baixo pareciam peido, eram todas repetidas e não soavam nada como o baixo de Roy Estrada nos anos 60, deixando as músicas parecendo um Frankenstein bizonho. Só os noobs das zapparias gostam dessa versão remixada, enquanto os velhotes que viveram a época preferem o original em vinil mesmo, que é tão raro que nem a Gail Zappa deve ter.

MúsicasEditar

  1. Você está grilado por ter comprado esse disco? - 1:23
  2. Quem Precisa desses Hippies sujos? - 2:34
  3. Não consigo me concentrar - 2:22
     
    Agora a capa em sua versão bem menos pretensiosa.
  4. Papai e Mamãe - 2:16
  5. Fofoca no telefone - 0:48
  6. Papai é um burro amarrado - 0:33
  7. Harry, Você é uma Besta - 1:22
  8. Qual a parte mais feia do seu Corpo?(eu acho que são todas...) - 1:03
  9. Abra suas Asas, Solte Suas Feras (Frenéticas cover) - 3:24
  10. Flor que virou punk de tão doidona - 3:03
  11. Merda quente - 0:33
  12. Música sobre o ranho do Cyclops - 2:03
  13. Vamos poluir a água (música que foi repudiada pelo Greenpeace) - 2:01
  14. O filho da puta idiota - 3:18
  15. Guria retardada e solitária - 1:09
  16. Tire a Roupa Enquanto Você Dança (usada para conquistar Gail Zappa) - 1:35
  17. Qual a parte mais feia do seu Corpo? (de novo) - 0:57
  18. Mãe de todo mundo - 2:32
  19. Cacofonia pra encerrar o álbum, com um título confuso e grande sobre uma coisa sem noção como coisas cromadas e um megafone de vidente - 6:25