Abrir menu principal

Desciclopédia β

White Collar

Warner Channel Logotipo.png White Collar é um programa do(a) FOX, que está no Desportal Televisão. Se você for do portal, deve poderá editá-lo, caso contrário, se tornará nosso escravo e VAI editá-lo!

Skavurska! Assine a NET e ajude este canal melhorar!


NewBouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: White Collar.

Babel fish.gifTraduzindo: Colarinho Branco
Babel Fish sobre White Collar
Cquote1.png Você quis dizer: Pedido de desculpas da FOX por Glee Cquote2.png
Google sobre White Collar
Cquote1.png Você quis dizer: Apologia ao trabalho escravo Cquote2.png
Google sobre White Collar
Cquote1.png Prefiro Glee! Cquote2.png
Guria retardada sobre White Collar
Cquote1.png SOME DAQUI, SOME DAQUI! Cquote2.png
João Gordo sobre Neal Caffrey
Cquote1.png VAGABUNDOS, VAGABUNDOS (100X) Cquote2.png
Gilberto Kassab sobre os ladrões mocinhos da série
Cquote1.png Esse ladrão colarinho branco e seu parceiro da pesada vão se meter em altas confusões pra prender outros ladrões colarinho branco Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre White Collar
Cquote1.png Agente fodão no FBI, só na ficção mesmo Cquote2.png
Você sobre o duo Neal & Peter
Cquote1.png Aí sim, fomos surpreendidos novamente! Cquote2.png
Zagallo após ver o fim da 1ª temporada da série
Cquote1.png This Is Ridiculous! Cquote2.png
Fernando Alonso ao descobrir que a série passaria na Globo na TV Aberta
Cquote1.png Puta mundo injusto! E eu hétero sozinho aqui! Cquote2.png
Você após descobrir que Matt Bomer, que nessa série come Hilarie Burton, Gloria Votsis, Alexandra Daddario e Eliza Dushku (gostosas!), é gay(HA-HA ele não gosta da fruta)

Índice

Por Que:Editar

 
A série resumida com uma foto

De consciência pesada por ter feito uma grande merda (leia-se produzir Glee), os diretores da FOX quiseram arranjar um jeito de pedir desculpas aos fãs do canal, que achavam que esta estava em decadência por causa dessa pseudosérie: sequestrou 2 diretores: Frank Darabont, que foi forçado a fazer uma série de zumbis, mas não falaremos disso aqui, falaremos em um lugar mais adequado pra tal e Jeff Eastin, sendo obrigado a fazer mais uma série no FBI e que aborde criminalística, já que o FBI é parceiro da FOX na conspiração pra Dominação Mundial (Bones foi o começo da parceria), em outras palavras, fazer sucesso sem ser séries com personagens amarelos, ou com um exército de 1 homem só enfrentando terroristas, ou um fodão do FBI e uma nerd gostosa resolvendo crimes só com os ossos das vítimas, ou com zumbis (até porque Frank Darabont já estava nesse departamento), assim resultando em WHITE COLLAR, que, você pode assistir na FOX caso seja rico ou esperto fazendo um esquema quebra-galho, ou baixar ilegalemnte, que, convenhamos, dar audiência pra Globo é mais criminoso que fazer download.

Um fato curioso foi a seleção do protagonista dessa série: Jeff estava se achando o fodão supremo do universo, e achava que conseguiria trazer um cara do Lado Rosa pro Lado Azul, criando o personagem Neal Caffrey, que seria um comedor nato. Após uma longa seleção, o gay que ele queria converter foi selecionado: Matt Bomer, pra msotrar ao mundo que ele conseguiria transformá-lo em hétero, já que dois nerds tinham tentado isso sem sucesso.

  ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que Frank Tenpenny armou toda a revolta em Los Santos, ou que Pein mata uma porrada de gente, mas depois as resusscita e morre.

 

A Série em si:Editar

 
Cena corriqueira. Neal convidando uma mulher pra jantar

Neal Caffrey, um ladrão colarinho branco playboyzinho, ou seja, um pesadelo total pra sociedade, pois é uma mistura entre os piores tipos de gente existentes no Universo, estava fazendo seu trabalho desonestamente quando foi preso por Peter Burke, um cara que tinha renunciado a sua vida social e ao sexo com sua deliciosa esposa só pra predê-lo.

Preso, soube que sua Kate Moreau, sua esposa, o estava chifrando com um superior do FBI. Faltando 4 meses pra sair da prisão, numa crise emo, Neal foge, pois não aceitou o chifre. Peter, o cara que perdeu 4 anos de vida social e sexo só pra prendê-lo, começa a procurá-lo e, o prende de novo. Não querendo admitir ser corno, Neal negocia a liberdade: aceita fazer trabalho escravo pro FBI em troca da liberdade, pra procurar a mulher que o corneava. Como o FBI não dispõe de muito dinheiro, só deixavam com que ele se virasse com US$700 mensais pra arranjar um buraco pra morar e roupas pra vestir, ou seja, investem milhões em maneiras de erradicar o crime e pagam tão pouco aos seus empregados. Trabalhar no FBI, de fato, é trabalho escravo.

No brexó, conhece June, uma Maria Camburão que lhe oferece um quarto e roupas em troca de favores sexuais e os infames US$700, ou seja, a miséria que o FBI lhe dava.

A Perseguição Pela Caixinha de Música:Editar

 
Alexandra Daddario após descobrir que sua personagem morreria

A série começa em torno de uma perseguição a lendária Caixinha de Música do Castelo Rá-Tim-Bum, que o universo achava que Neal tinha roubado junto com a Alex (A mesmo. Lá "Alex" é um nome "hermafrodita"), sua peguete na época, já que a Kate estava naqueles dias quando recusou o convite de participar o golpe, mas, como foi Nelson Rubens que espalhou o boato, vamos deixar quieto...

Ainda curioso em saber qual música a Caixinha de Música tocaria, um velho amigo de Neal chamado Matthew Keller, um Neal Caffrey interpretado por um ator heterossexual, que também queria berrar um "TOCA RAUL" pra Caixinha, reaparece em sua vida, querendo se vingar de derrotas em jogos de tabuleiro e de cartas valendo o toba, e chega oferecendo uma garrafa de Sidra Cereser ao, no momento, ex-ladrão, que se sente ofendido, vai contar tudo pro FBI e o prende pela 1ª vez. O mundo nem imaginaria que aquele era o embrião do personagem mais filho da puta da história das séries...

No meio dessa série, o corneador do Neal, Garreth Fowler, aparece querendo a Caixinha de Música, que sabia que era a do Castelo Rá-Tim-Bum, pois Fowler gostava do programa, e queria uma lembrança dele, achava que Neal, outro do programa estava com ela, mas, depois que descobriu a verdade, fez com que ele a roubasse, ou seja, outro trabalho escravo: a caixa em troca da namorada e da confirmação dos boatos. Mesmo com Neal traçando meio elenco feminino da série (incluindo aí June e Alex Hunter, mais uma trambiqueira nesse mundo estranho de ladrões do bem) ainda gostava dela.

Fez o trambique, conseguiu confirmar os boatos, mas, algumas piadinhas sobre o Fowler na cama custaram caro a Kate, que explodiu com um Boeing enquanto. Peter se declarava pedia pro Neal ficar. Mas não foi o Fowler que explodiu o avião. Ou seja, abriu uma oportunidade pra qualquer um no mundo ter explodido o avião, mas, arquivaram o caso com Fowler como suspeito #1 porque a temporada já estava acabando e todo mundo queria voltar ao normal.

2ª Temporada:Editar

 
Mozzie negociando com a Morte uma 2ª chance na Terra
 
  Já tirei! Agora tira você!  
Neal seduzindo Sara, que fica fazendo doce a temporada toda. E só fica pronto no final num cofre abandonado

Neal, querendo saber o que houve, usa Sara Ellis, uma inocente caçadora de colarinho branco pra receber um pacote com informações. Desconfiam que Kate se ofereceu pra ser Homem Mulher Bomba pra matar o ladrão, afinal, se já diziam que ladrão que rouba ladrão, tem 100 anos de perdão, imagine uma ladra que mata um ladrão.

Ao longo da série, enquanto obras de arte são roubadas e gente não matando gente por falta de pontaria, descobrem que Fowler era só o Sock Puppet de quem comandou tudo isso, Vincent Adler, o cara que seria a 1ª vítima de Neal, se ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão, qual o tempo de perdão pra Colarinhos Brancos? Neal, que esqueceu de vez a Kate e voltou a ser pegador, traçando as personagens mais gostosas da série, vai pra vingança à la Jack Bauer na 8ª temporada de 24 Horas, mas, nem sabe que ela só gostava dele porque ele era bom no que fazia. E se descobre que a Caixinha seria doada pra Rússia. Na URSS, a Caixinha de Música rouba você, a música toca a Caixinha e o submarino repleto de tesouros nazistas ajudava a encontrar o fractal da Caixinha.

Quando Neal alguém que conseguiu copiar os trejeitos do Neal conseguiu incriminar o Peter, ele perdeu o cargo no FBI, mas voltou com um grupo de mercenários chamado "Os Sete do Burke", liderada por ele e com vários traidores do movimento FBI. Originalmente, o grupo era formado apenas por 6, mas, precisava de um 7º integrante, alguém que soubesse dar tocos com categoria em pessoas que, sem saber, não estavam cooperando, Elizabeth ganhou a vaga. Após Peter voltar ao FBI e o Neal querendo capitaniar o grupo, querendo transformá-lo em "Os Sete do Neal", o grupo se dissolve (isso parece muito história de banda...).

Quando a humanidade achava que Keller não mais apareceria na história, Eastin os surpreende, na sua cruzada de sucesso para criar o personagem de série mais filho da puta da história, fazendo com que o ladrão que, ao contrário de Neal, não traiu a causa, voltasse a série: após aulas de como dominar o mundo em uma cadeia com Fernandinho Beira-Mar, Keller sequestra Peter enquanto estava sendo transferido pra Alcatraz, já que Auschwitz não estava funcionando. Resolve dar uma fugida para comprar camisinha para tentar algo com a Elizabeth, enquanto o maridão estava desaparecido. Mas, como peter tinha conseguido escapar e a camisinha estava em falta, ele se contentou só em fugir mesmo.

Enquanto bolava sua vingança, Neal resolve esquecer Kate da maneira mais prazerosa possível: Resolveu traçar a Sara e a Alex em 2 episódios, mas decidiu pela Sara (acho que todos fariam essa escolha...). Vale ressaltar o delicioso doce que a Sara fez nessa temporada, indo até a Argentina pra aperfeiçoar a receita.

A vingança aconteceu, mas, ao contrário do agente contra-terrorista, ele destruiu obras de arte e não saiu fazendo chacina. Após matar matarem Vincent, o quadro que ele fez do Chrysler Building resolve trollá-lo e não queima na explosão do galpão, e é acusado por Peter de ter roubado as obras Nazistas, mas, na falta de provas... Mas ele não tinha roubado, foi alguém que foi generoso demais pra dar tudo pra ele.

Mas, quem poderia ter dado as obras pro Neal?Editar

Peter:Editar

Achou uma puta falta de sacanagem ter incriminado sem provas o Neal, e deu pra ele como um pedido de desculpas. Mas não foi ele! O cara está até fazendo uma investigação secreta sobre isso, já que se o FBI assumisse o caso, ele seria tachado de incompetente por não conseguir domar um colarinho branco. Como seria ele assim?

Sara:Editar

Comida de Neal enquanto as obras misteriosamente sumiram, deu as obras pra ele na esperança de ter de volta tudo o que ele roubou dela, e também seria um presente do Dia dos Namorados. Mas não foi ela! Se fosse, o nome da Sterling Bosch ficaria sujo e ela perderia seu ganha-pão e iria em cana com o namorado.

Alex:Editar

Todo mundo tem um tesão em baixinhas mercadoras negras netas de nazistas, o Neal também. E era a única em quem ele podia confiar em um tempo. Mas não foi ela! Ela devia estar tentando roubar algum museu em Petrópolis no momento, já que ela acabara de ser chutada pelo Neal

Jones:Editar

Foi o principal ajudante do Neal enquanto Sara e Alex fofocavam sobre ele. Talvez ali começa uma grande amizade que vai pra 3ª temporada. Mas não foi ele! Se fosse, o Peter o demitiria na hora!

Bryce Larkin:Editar

Apesar de ser de outra série, tinham alguém importante em comum, e, através desse alguém, o agente da CIA se solidarizou com a situação, catando as peças do Adler e dando a ele. Mas não foi ele! Ele nem dessa série é e inclusive já morreu!

PORRA, NÃO FOI NINGUÉM! Peraí, esqueci de um:

Mozzie:Editar

Juntos pro que der e vier. FOI ELE!

  Suspeitei desde o princípio!  
Chapolin Colorado após saber disso
  EVERYOONNEE!  
Sargento Cross dizendo quem achava que foi a Alex que roubou as obras

3ª Temporada:Editar

 
Não foi dessa vez
 
Ninguém manda errar tiro com arco e flecha com mira a laser. Chupa essa manga...

Peter arranjou um polígrafo danificado pra interrogar Neal sobre as obras, já que não acreditava que ele não tinha nada a ver com o roubo. Ele só tinha a chave do galpão e as obras lá.

Depois descobre que foi tudo presente do Mozzie, ele arranja um teco-teco e resolvem fugir com a Lolana, personagem que entra nessa 3ª temporada. Mas como Neal estava muito ocupado prendendo bandido, não deu pra fugir.

Após umas falsificações, conseguiu provar sua inicência. Bem, pelo menos se não tivesse um Chrysler Building no meio das obras...

De um jeito ou de outro, Neal queria plantar um Chrysler Building no acervo nazista dele. Pelo menos, oficialmente falando, já que ele poderia muito bem pintar um e colocar lá nas obras dele. Hoje o manifesto está em Washington só esperando a confirmação da ausência de um Chrysler Building nele, e o Neal se lascar, a não ser se ele tiver algum truque ninja do Japão Feudal pra ajudá-lo.

Nesse meio tempo entre a cagada começar indo até ela terminar, Neal descobre que Mozzie já foi dentista e, que, ao vender um plano de saúde falsificado a um mafioso, arrecadou uns 500 mil dólares. Aos 12 anos. E você aqui com muito mais que 12 anos de idade... E Peter teve que se casar de novo, já que, ao pular a cerca por uma causa nobre, descobriu que só tinha feito merda no seu casamento "oficial". Mozzie, com um certificado falsificado (ah vá, é memo?) casou os 2.

Após mais uma vez o dia ser salvo, graças a Neal, Peter e Mozzie, quando prenderam uma espécie de Neal Caffrey do século XXI e interpretado por um heterossexual (ou não), Sara mexe nas coisas do Neal, e descobre a Lolana no cofre. Ela começa achar que ele está a traíndo com a boneca do Mozzie, mas, ignorou isso, achando que ela o tinha colocado nos eixos, mas, depois descobre um outro passaporte falsificado dele, feito junto com o Mozzie, que também queria fugir. E, descobre o plano dele de fugir para se casar em segredo com a Lolana, mas ainda não sabe do Mozzie, que falsificou o dele para casar o ex-colarinho branco e a boneca. Ela nem sabe a verdade completa (ou sim)...

Dpois de descobrir o passaporte, foi a vez de descobrir o tesouro nazista dele, e sabia que ele tinha roubado, pois nem todos (talvez quase ninguém) tem um acervo de obras de arte nazista que vale bilhões escondido, e vai embora, pois sabia que o plano do Neal era usar esse tesouro para bancar sua nova vida com a Lolana.

Enquanto o casal mais estranho da série se separava, Jones, o único personagem que nunca foi visto com uma mulher na série, sendo que até o protagonista interpretado por um gay já apareceu em companhia feminina, a mulher do FBI já apareceu com uma e o Mozzie, que não é absurdo discutir sua sexualidade, também já apareceu com alguém, finalmente pega alguém, e ajudou a prender um bandido ue conseguiu a proeza de errar tiros com arco e flecha à mira laser. Clichês da TV...

Para se consolidar como o personagem mais filho da puta das séries no século XXI, Keller deu uma passadinha no Egito querendo areia e algumas obras, lembrando que ele não traiu a causa, ao contrário do protagonista da série. Mostrou ser um fã incontestável de Degas e saiu fazendo a chacina em busca do quadro. Mozzie, querendo se vingar da morte de um dos "últimos cavalheiros" (aí quando falo que não é absurdo discutir sua sexualidade, vem gente no meu ouvido...), vai se confessar na Universal Church of God's Kingdom, oferecendo um dízimo de US$6 milhões, dízimo recorde, pra quem matasse Keller, o que bastou para que a igreja colocasse todos os crentes dos EUA e vários outros que resolveram se converter e até ex-ateus que, do nada, resolveram acreditar em Deus atrás dele. Uma egiptóloga, evangélica devota, atirou em Keller, mas não matou. Vendo que não conseguiria, atirou só na mão dele, após saber que o ladrão tinha planos de "homenagear" Eliza Dushku, uma pessoa muito importante pra ela, quando chegasse em casa.

A fila anda. Após ser chutado por Sara, Neal pega essa egiptóloga...

Logo após isso, Neal tenta reaver o quadro, já que ninguém podia saber que os US$6 milhões do dízimo do Mozzie era do dinheiro desse quadro (a IURD até poderia saber. O Edir Macedo é da família...), senão Peter faria com que Neal saísse de White Collar, indo pra Prison Break, onde não daria certo, devido a sexualidade do ator que o interpreta. Se achando um Rat Pack, consegue falsificar (olha, um colarinho branco que falsifica!) o quadro, faz Degas se orgulhar de seu trabalho e se revirar no túmulo e consegue fazer com que nada tivesse acontecido. Tudo isso enquanto o cara que treinou o Burke e lhe pôs pilha pra tentar algo com a Elizabeth tentando semear a discórdia entre eles. Após a 11855ª derrota pra Neal, Keller, pra ser coroado oficialmente o filho da puta supremo das séries, sequestra Elizabeth, numa tentativa de fazê-la participar de um menage com o ladrão e com Tiffani Thiessen, fazendo Peter ficar preocupado com isso. Ah, vá! E ele não ficaria?

Quem é Quem?Editar

 
A dupla dinâmica da série. Jeff Eastin aprendeu com o Vasco a ser um bom vice, pois é a 2ª dupla dinâmica mais foderosa das séries. A única dupla que bate essa é Booth e Brennan. A FOX gasta milhões nessa série e nem pra comprar cadeiras pra eles sentarem
  • Neal Caffrey: O super mega hiper master international superstar soccer da série: Criado pra ser o maior cabra-macho da FOX (o que era impossível, pois Jack Bauer e Seeley Booth já existiam quando ele foi criado) e o maior pegador do canal, mesmo com as crises emo por causa da sua mulher, o fazendo aceitar fazer trabalho escravo pr’aqueles que o prenderam. Um cara que mistura as piores espécies de seres humanos em um só, mas, aparentemente, está disposto a trair o movimento;
  • Engravatado Peter Burke: Outra tentativa FAIL de Jeff Eastin de criar o maior cabra-macho da FOX (Jack Bauer, Seeley Booth e Neal Caffrey lhe mandam lembranças). O agente que renunciou a vida pra prender Neal 2 vezes e conseguiu fazer com que ele aceitasse o trabalho escravo. A dupla com Neal foi uma tentativa FAIL de criar a dupla dinâmica mais foderosa das séries (não conseguiram, B&B existem). Atualmente, é a babá e o cego de estimação do Neal;
  • Kate Moreau: A namorada (ou ex) gostosa do Neal. O largou pra traí-lo com o corrupto do FBI o cara em quem tentou passar a perna na adolescência, que também a traiu, explodindo um Boeing na cara dela;
  • Garrett Fowler: O corrupto do FBI e Sock Puppet do Adler que traçava a Kate, mostrando que é corajoso, os covardes têm medo de furar o olho de um bandido, enquanto Neal estava preso. Após broxar com ela e seus comentários posteriores, todos acham que ele a explode num avião;
  • Vincent Adler: O verdadeiro vilão dessa corrida maluca pela Caixa de Música, usando Sock Puppets pra conseguir catar umas obras Nazistas, ferrando rivais potenciais e mandando gente não matar gente que saiba demais;
  • Senhora Engravatado Elizabeth Burke: A esposa gostosa de Peter, conseguiu aguentar na boa 4 anos de seca enquanto o maridão brincava de gato e rato com o Neal;
  • Mozzie: O comparsa de Neal, talvez o personagem mais bizarro da série e o mais bizarro das séries da FOX. Ponto pro Eastin. Começou cedo na vida de colarinho branco, falsificando um diploma e criando um consulório dentário fantasma. Conseguiu uma boa grana com isso. Aos 12 anos de idade, enquanto muita criança de 12 anos por aí acha que o mais produtivo que fez para a humanidade foi bater uma vendo anime...;
  • June: Uma velhinha Maria Camburão que ofereceu um teto pra Neal em troca de US$700 mensais, ajudas em casa e favores sexuais;
  • Lauren Cruz: Agente que, assim como 99% do elenco feminino da série, é gostosa, do FBI que se formou as custas do Neal, pois fez uma tese reconhecendo seu trabalho;
  • Reese Hughes: O chefe do chefe do chefe [...] do chefe do Peter, e o cara que viabilizou o trabalho escrevo de Neal pro FBI;
  • Matthew Keller: Vamos dizer que é um Neal Caffrey interpretado por um heterossexual: se conheceram jogando damas no Gabão Gamão em Mônaco, com o Neal vencendo e Keller falando que ele comprou a arbitragem da competição, nascendo ali uma rivalidade. Após o fracasso de fazer Neal ou Peter se tornarem os amiores cabras-macho das séries, Eastin consegue criar o personagem mais filho da puta de séries da história. Pelo menos uma, né Eastin?;
  • Diana Berrigan: Após Lauren sair do FBI pra seguir carreira de modelo, Jeff viu que, em toda série com FBI tem uma agente negra, já que essas impõem tanto respeito a ponto dos negros as trocarem por loiras inofensivas, ele segue o protocolo. Tinmha tudo pra ser mais uma patricinha na vida, filha de embaixadores, podre de rica, mas, que bom que ela não se tornou, resolvendo ser algo útil pra sociedade ao invés disso. A cuecada chora, já que ela "joga no o utro time";
  • Sara Ellis: Dona da Sterling Bosch, o pesadelo dos colarinhos brano. Ex-pedra no sapato e atual comida do Neal, que, todo mundo achava que só seria útil na história pra ser a laranja dele na corrida pela Kate, mas que foi pra Argentina tocar o terror em todos que tinham algo a ver com Nazistas. A princípio, não voltaria pro fim da temporada pra caça ao Adler (e pra ser traçada pelo Neal), mas, se tocou de que a vida dela seria muito mais fácil lá se ela fosse pra um Super Clássico na Bombonera. Se destacou por ser a personagem mais gostosa da série (a crítica diz que, quem discorda é clubista). Cai em contradição por namorar um colarinho branco, enquanto toca o terror de outros.

Versões:Editar

A série ganhou versões mundo afora. Sempre com Colarinho Branco: