Wilson Lima

Nota: Se procura pelo governador da Amazônia do Amazonas, veja Wilson Miranda Lima



Wilson Lima (Ceará de Goiás, 20 de junho de 1953) é uma das figuras do Distrito Federal que de tão irrelevante nem merecia ter um artigo por aqui. Foi um dos deputados distritais eleitos menos votados e ainda assim teve a sorte de se sagrar governador. Na verdade, este artigo só existe porque esse embusteiro já esteve no Palácio do Buriti, mesmo que por um pouco mais de um mês.

Wilson Lima
Wilson lima como governador do distrito federal.jpg
O governador do beiço-preto
ex-desgovernador do Distrito Federal Distrito Federal
Partido Prona
PR
Nível de honestidade Icon 00 percent.png ???
Perfil
Nascimento
Brasil
Partido Prona
PR
Profissional
Profissão Vendedor de paçocas
Dados Pessoais
Sexo link={{{3}}} Masculino

BiografiaEditar

Vendedor de mandiocas na feira da cidade goiana de Ceres quando di meno, Wilson Lima migrou para o distrito federal assim que completou a maioridade e assim pode dirigir pela BR-070 sem que a polícia Rodoviária Federal parasse a Rural Willys da família (hoje qualquer criança dirige numa BR).

Ao chegar no Distrito Federal, Wilson Lima abriu um mercadinho na região administrativa do Gama, para vender a muamba que trouxe consigo de Goiás. Como naquela época em Brasília só existiam aquelas lojas de departamento com produtos da época do Brasil-império, então ele conseguiu vender tudo sem problema.

Nos anos 80, Wilson Lima começa a distribuir santinhos, visando uma mamadinha na política na década seguinte. Só que seu mercadinho de bairro não garantia voto nem dos frequentadores, dirá da comunidade que não conhecia aquele muquifo. O mercadinho vendia pão de bolores por extorsíveis cruzados novos, era um absurdo.

Finalmente, chegado os anos 2000, o comerciante consegue se eleger para a zona de meretrício do Distrito Federal, onde desde então passa a maior parte do dia coçando o saco, sem fazer absolutamente porra nenhuma e uma pequena parte investindo toda a massa cinzenta para criar leis esdrúxulas e feriados distritais.

Em 2010, após os escândalos dos Panetones, Wilson Lima teve a oportunidade de ganhar o maior salario daquele detrito, exercendo o papel de governador da corruptolândia.

Como governador do Distrito FederalEditar

Depois que o Paulo Octário pediu penico do gabinete com a visão mais privilegiada no Palácio do Pequi (o nome é porque o local fede como um), Wilson Lima resolveu atravessar o Eixo Monumental para conhecer o novo local de trabalho. Sentiu o cheiro dos móveis, amaciou a cadeira do governador feita em couro curtido do boi da raça Nelore, ligou o ar condicionado e arregou. Wilson Lima peidou na farofa e pediu pra sair assim que conheceu a pobre livraria do Buriti.

ActualmenteEditar

Actuacmencte o ex-governador do DF aproveita a vida fora da política e também a gorda aposentadoria como ex-homem público. Em seu mercadinho no Gama, Wilson vende bodes virgens e condimentos alimentares criados a mão por ele mesmo.

 
Turista no Palácio do Buriti
23 de fevereiro de 201011 de abril de 2010
Paulo Octávio
11 de fevereiro de 201023 de fevereiro de 2010
Rogério Grosso
19 de abril de 201031 de dezembro de 2010