Wladimir Costa

Maluf tn.jpg Wladimir Costa é mais um dos
POLÍTICO$ DO BRA$IL

E tem cartão corporativo.

Bandeirapara.jpeg Égua, não, ulha, égua, ulha!!

Este artigo foi escrito por um cabôco nativo paraense que toma açaí na cuia! Aproveita pra tomar um tacacá enquanto estás lendo, sumano, agora, ai de ti se tu esculhambares ele, ou o pau te acha, meu preto!


Cquote1.svg Nóis semu lá dê Cametá nóis sumano Cquote2.svg
Caboco de Cametá sobre si mesmo
Cquote1.svg Parente criado com buxo cheio de açai com mapará Cquote2.svg
Caboco de Cametá sobre criação cametaense
Cquote1.svg Pra ficá cuns peito daquele tamanho, ela tomô muito pirão de açaí!! Cquote2.svg
Wlad, ilustre caboco, sobre Fafá de Belém, no Jô Soares

WIadão Costa
Wlad.jpg
Exemplo de caboco do Pará
DePUTAdo federal por link={{{3}}} Pará
Período 1 de janeiro de 2003 – até atualmente.
Partido Solidariedade com o próprio bolso
Nível de honestidade Icon 00 percent.png Inexistente, nem as sessões da quadrilha costumava frequentar
Perfil
Nascimento
Belém do link={{{3}}} Parááá! ♫♪
Escolaridade Ensino fundamental
Partido Solidariedade com o próprio bolso
Profissional
Profissão locutor
compositor
Quem é o cantor
Dados Pessoais
Sexo link={{{3}}} Gay
Nível de Inteligência Baixo, ruim, pobre... A plebe no senado federal

Wladimir Afonso de Costas oferecendo o Rabelo (Aquidaoanus, 16 de janeiro de 1964) é apresentador de rádio e TV, diretor de filmes pornôs, "cantor" paraense e ilustre caboco paraense, e que exercia a politicagem nas horas vagas de 2003 até 2016. Este personagem é inspirado no Zapp Brannigan do desenho Futurama, sendo considerado um dos homens mais honrados deste país pela revista da Verdade.

Apesar de se considerar um cantor, costuma gastar 99,9999% do tempo de seus "shows" se gabando magnificamente, sempre concluindo com a frase "vocês sabem que eu sou uma pessoa modesta". Na foto ao lado demonstra sua técnica particular de felação, no programa do Jo, acontecimento que motivou o ódio mortal, hoje unânime, entre os paraenses por este ser.

BiografiaEditar

Wladimir surgiu da digníssima senhora mãe dele numa daquelas embarcações do município de Belém, durante o verão de 1964, enquanto aquela senhora fazia a atravessia do Rio Amazonas rumo a Ilha de Marajó.

Filho de mãe solteira, com muito orgulho diz ele, Wladimir aprendeu a arte de seduzir eleitores ainda pequeno, aos 12 anos, quando decidiu que queria ser um radialista. Aos 17 recebe a primeira oportunidade de trabalhar numa rádio belenense, sendo contratado como estagiário daquela emissora. Wlad permaneceu como estagiário na emissora até completar 30 anos, reprovando o ginásio (equivalente ao 5º ano do ensino fundamental) repetidamente durante todo esse tempo. Até que a emissora resolve cortar custos e põe Wlad no lugar de um antigo radialista.

Como radialistaEditar

 
Você diria não para este homem?

Como funcionário da rádio belenense, Wladmir construiu sua reputação e fortuna chantageando políticos corruptos em seu programa de rádio, que logo foi transferido para TV por puxar o saco do grande cacique da emissora nortista RBA, o coronel Jardi Brabalho a quem lhe presta fidelidade canina. Era comum ouvi-lo esculachar figuras públicas num dia e tecer-lhe elogios dignos de santidade no dia seguinte.

Em agradecimento aos trabalhos prestados durante todos estes anos, Jader manda seus subordinados do PMDB-PA incluir o nome de Wladimir de Costas na lista de candidados a uma mamadinha federal na Câmara dos Deputados, em 2002. Na eleição daquele mesmo ano, Wladimir é eleito pelos paraenses, que via naquele homem a representação fiel do Estado do Pará. Quando se pergunta a um caboco por que ele vota no Wlad a resposta não será nada mais sofisticado que:   Wlad é do povão   ou   Wlad é fenômeno  .

Como daputado federal (2003-2018)Editar

Quando tomou posse na 52ª legislatura da Câmara dos Deputados, foi acordado entre os deputados federais a atuação de cada um dentro daquele grupo, sendo Wladimir carinhosamente apelidado de Wlad pelos Anais daquela casa e o responsável pela promoção de eventos populistas para os próprios colegas, com festas de aniversários e distribuição gratuita de milhares dos tradicionais espetos de churrasquinhos-de-gatos.

Na Câmara, Wlad sempre lutou em prol das festas com carros de som, normalmente frequentadas pelos amigos e colegas do deputado, e também causas de cunho nacional como a garantia dos direitos dos playboys brasileiros (cabocos ou não) com problemas de audição, para que possam ouvir tecnobrega no carro de madrugada a todo volume, principalmente em áreas residenciais e ao lado de hospitais.

Antes do impeachment, o deputado só tinha sido visto nos corredores da casa duas vezes, uma depois que foi eleito pela primeira vez e a segunda numa confraternização, quando foi servida uma enorme pizza ao povo brasileiro em comemoração ao resultado da CPI do Mensalão. Apesar da frequência inexistente na câmara, o Deputado era visto semanalmente fazendo ponta na Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília, adquirindo atestados para serem apresentados aos símios responsáveis por fiscalizar a frequência dos ilustríssimos deputados e fazerem o desconto na folha de ponto e no contra-cheque dos mesmos.

Uma das enfadonhas seções de discutiam o prosseguimento do processo de impedimento à votação da casa (a segunda aparição do deputado, ninguém o conhecia até então), Wladimir faz um comovente discurso ao seus colegas quadrilheiros que juntos desejavam o fim da atividade política no Brasil, com direito a marchinha paraense e dramatização em pleno púlpito.

 
Wlad, em uma das 5 aparições na casa desde que foi eleito pela primeira vez, dedicando seu voto a mãe, ao desconhecido pai, ao avô, avó, esposa, amante, [...], ao cachorro, ao papagaio, a sogra, [...], e a todo o povo paraense durante o impeachment de Dilma Rousseff.

Criador dos termos temerofóbico, o deputado foi peça chave da gang do Dudu, uma facção da alta periculosidade que funcionou na Câmara entre os anos de 2014 e 2016. O deputado aliás, foi um dos maiores aliados do chefe daquela facção enquanto ela esteve ativa, antes de ser desmontada pela Prato Feito.

No impeachment de Dilma do Chefe em 2015Editar

 Ver artigo principal: Impeachment de Dilma Rousseff

O deputado teve naquele espetáculo circense, seu ápice. Aquele show de comédia promovido por Wladmir e seus colegas que assim com ele, adentraram aquele recinto pela primeira vez, foi marcado como uma das mais memoráveis atuações de um deputado federal na história da república brasileira. No plenário, só não fez uma roda de samba e serviu feijoada aos colegas, fora isso, fez chover no plenário do Senado Federal.

Em discurso televisionado e transmitido ao vivo pela Globo para mais de 160 países através da Globo Internacional, Wladimir emocionou a nação com seu discurso onde declarou seu voto em homenagem a coitada da mãe, que não deve ter merecido tamanha humilhação, a um colega que queria sair do país, onde o deputado comprou as passagens e as exibiu em rede nacional, e ainda promoveu uma mini-balada de 5 segundos, quando pediu que os meretriciados ali presentes levantassem as mãos e começassem a cantar com ele.

Cassação pelo TRE-PA em 2016Editar

 
Wlad comemorando o impeachment em pintura de Jean-Baptiste Debret: O deputado mal sabia que o * dele também estava na reta.

Depois que passou a ser conhecido no restante do país, Wladmir entrou na lista de políticos a terem os bolsos minuciosamente examinados pelo scanner do TRE. Como sonegar informações financeiras é um dos dois crimes que dá cadeia no país (o outro é falta de pagamento de pensão), então Wladmir teve seu mandato cassado em primeira instância, ou seja, até sair o resultado definitivo deve durar uns anos. É bem capaz do indivíduo se aposentar e morrer de velhice antes da decisão sair.

Como exemplo de atuação na Câmara dos DeputadosEditar

Durante a enfadonha discussão que definia o futuro certo do vampirão que assombrava os corredores do Palácio do Planalto, Wlad, entediado como sempre, decidiu cantar algumas garotas que conheceu no mesmo fim de semana que tatuou naqueles braços cheios de ADE. Na mensagem, o deputado ordenava a garota de programa o seguinte:

  Mostra a tua bunda mostra afinal não são suas profissões que a destacam como mulher e sua bumba. Vai lá e põe aí garota.
Wladimir Costa sobre , membro do Conselho de Ética e Decoro daquela casa, enquanto desempanhava a função para qual foi eleito.

ControvérsiasEditar

A população paraense com nível de instrução equivalente, ou maior, ao jardim de infância, manifesta vergonha de tê-lo como representante. Ele pensa ser uma celebridade e costuma se irritar quando não recebe atenção de 100% das pessoas presentes, tendo chiliques que o desconcentram do seu constante e inútil esforço de disfarçar sua bichice enrustida. Num desses acessos de loucura, o ex-deputado processou o Google e mandou retirar algumas comunidades do falecido Orkut que faziam menção a seu famoso nome, como 'EU TENHO VERGONHA DO WLAD', 'ODIAMOS WLAD' e 'EU ODEIO O POPULISTA DO WLAD'.

Uma coisa muito interessante, foi quando Wladmir Costa, que ainda era apenas um locutor de rádio, vangloriava-se em dizer: "Política?? Tô fora!!!", é claro que indo em muitas festas de aparelhagens e ouvindo ao batidão do brega, teve amnésia e acabou esquecendo suas palavras, pois o certo seria: "Política?? OBA! Tô fora DA RÁDIO!!!".

Outra coisa inesquecível foi seu apoio a alguns gângsters da política nacional, como o eterno Senador Renan Encalheiros e mais recentemente ao eduardo cunha.

  Se há um político correto neste país o nome dele é Renan Calheiros!  
Wladmir Costa
  Wladimir Costa é mais um dos
POLÍTICO$ DO BRA$IL

E tem cartão corporativo.