Zileide Silva

TCPolitic Joranalistas.jpeg Atenção! Este artigo informa sobre um jornalista!

Zileide Silva é mais um(a) mala sem alça que sempre está por dentro das fofocas do momento.

Confira outros oportunistas pseudo-intelectuais clicando aqui.


Cquote1.svg Você quis dizer: Eu me perdi na pesquisa, desculpe... Cquote2.svg
Google sobre Zileide Silva
Cquote1.svg Maldito teleprompter! Cquote2.svg
Zileide Silva sobre sua dificuldade de ler o texto.

Zileide Francisca Sá da Silva (São Paulo, 26 de Outubro de 1958) é uma jornalista brasileira que trabalha cobrindo politicagem na Rede Globo, normalmente aparecendo apenas cobrindo notícias dos bons meninos de Brasília, fazendo cosplay de estepe no Jornal Nacional e no Jornal Hoje, esse último entretanto não lhe trouxe boas recordações. É conhecida por se meter em alguma gafe todo santo ano.

BiografiaEditar

 
Zileide tentando hipnotizar os telespectadores com seu olhar 43.

Zileide da Silva nasceu na área de serviço de algum sítio alugado, em 1958, filha de seu Sebastião Francisca Sá e Zuleide de Silva.

A então aspirante a jornalista conseguiu se tornar uma em 1989, aos 31 anos, após ingressar na Fundação Arryeiseu Pinto, cursando jornalismo naquela instituição. A instituição garantiu a ela uma vaga como estagiária na Rede Globo, sendo efetivada dois anos depois, como operadora de teleprompt.

A primeira oportunidade diante das câmeras veio como repórter, em 1997. Na ocasião, Zileide foi encumbida de cobrir as putarias de Brasília. Afim de vê-la ganhar experiência, ela foi emprestada ao SBT de 1998 a 2000, quando voltou a emissora de Roberto Malrinho em novembro de 2000.

Na volta, Roberto resolveu brincar com a jornalista a enviando para a sede da Globo em Nova Iorque, coincidentemente no mesmo edifício que viria a ser islamizado no ano seguinte, o World Trade Center. No dia do incidente, a equipe da Globo em Nova Iorque estava de folga e tomava café no Starbucks, por isso não houve vitimados por parte da emissora, se safando todo mundo, inclusive a jornalista.

No ano seguinte, Ali Kamel resolve chamar Zileide de volta ao Brasil, dessa vez para trabalhar na sede do poder paralelo, em Brasília, função que ela ocupa desde então.

Desde 2006, a jornalista tem ocupado as bancadas dos telejornais globais em dia que ninguém quer trabalhar na emissora.

Falhas globaisEditar

Zileide é protagonista da maior sequência de erros feitas em um telejornal da Globo em 2008 no Jornal Ontem, ops, Hoje. Acredita-se que por erros bizarros no teleprompter (e também alguns erros de edição - a.k.a. problemas técnicos, como aqueles que rolavam constantemente com a desgraça de televisão do satanás onde Alborghetti trabalhava). Talvez, dizem por aí, o tamanho absurdo dos olhos de Zileide atrapalhou a mesma na leitura do teleprompter, o que levou a falhas até mesmo na hora de dizer a hora, ou notícias completamente contraditórias:

  ...

Er... me perdi na escrita aqui, desculpe...


...

Tá... é... an... gente... não dá.

Bom, ficamos por aqui, outras informações leia a predefinição logo abaixo, uma boa tarde e até... até que eu não seja banido do site!
Zileide sobre no teleprompt video a direita.

De lá pra cá até hoje, Zileide quando vira âncora temporária é obrigada a usar um óculos que encolhe seus olhos, para não se perder mais nas matérias.

  PLIM! PLIM! Este artigo é uma coisa da Rede Globo de Manipulação! Esta página pode estar mencionando alguma novela clichê que sua mãe gosta, algum pseudo-ator rouaneteiro ou algum comunista de boteco que se diz jornalista. Para mais coisas relacionadas ao Projaquistão, clique aqui.