Abadia dos Dourados

Ponte na BR-352 que liga Abadia dos Dourados à Davinópolis oferece uma oportunidade única de voar com o carro que nem em Need for Speed.

Abadia dos Dourados é uma cidadezinha com sete mil habitantes localizada no Triângulo Mineiro, considerada um puxadinho de Monte Carmelo. Enquanto na cidade vizinha estão todos os hotéis, restaurantes, museus e puteiros, em Abadia dos Dourados existem apenas residências e alguns poucos mercadinhos, por isso ninguém se preocupa muito em visitar esta cidade.

Apesar de não ser muito conhecida, Abadia dos Dourados se destaca quando o assunto é notícia ruim, especialmente pela MG-190 e a BR-352 passarem ali do lado. Graças aos buracos e falta de manutenção destas rodovias, volta e meia dá na televisão que aconteceu algum acidente automobilístico com mortes por ali.

HistóriaEditar

 
O confortável alojamento em Abadia dos Dourados oferecido aos trabalhadores da produção de carvão.

É a mesma que qualquer cidade mineira, tudo começa com o surgimento de boatos que caíram da vozinha do Seu Madruga, que diziam que no território onde hoje é Abadia dos Dourados existiam jazidas de diamantes e minas virgens de pedras preciosas, então os garimpeiros, sempre eles, chegaram, limparam a área metendo chumbo nos índios com a birola de fora e começaram a esmirilhar a flora e a fauna em sua busca por riquezas. Junto com eles, também vieram alguns lavradores, que começaram a lotar a terra de soja e construiram as primeiras casas da futura cidade.

É claro que não poderia faltar uma igreja na cidade, mas como no século XIX as igrejas evangélicas de esquina ainda não estavam na moda, os habitantes construíram uma capelinha dedicada a Nossa Senhora da Abadia, considerada a padroeira da cidade por ser a fundadora do Abadia Futebol Clube.

Depois que os garimpeiros acabaram com a vegetação, mataram todos os animais, tomaram posse das poucas riquezas das minas e vazaram, o vilarejo começou a estagnar economicamente, mas isso não impediu que os cerca de dois mil habitantes na época entrassem com o pedido para Abadia dos Dourados ser considerada uma cidade de facto, o que conseguiram, já que ninguém se importava muito com o que acontecia por lá.

EconomiaEditar

Abadia dos Dourados é considerada parte do circuito cult pela sua organização vintage, os empresários da cidade são tão ligados ao estilo retrô e tradicional que ainda mantém escravos para trabalhar na produção de carvão. Estes podem usufruir da verdadeira vida no século XIX, como os patrões não compram fogão, cama e nem construíram sanitários, os escravos precisam cozinhar no fogão a lenha, dormir em uma pilha de feno e cagar no meio do matinho como os seus antepassados.