Associação livre

Divã, onde Freud costumava praticar suas orgias com suas pacientes consultas com suas pacientes. Note como está desarrumado, implicando orgia consulta recente. Note como a poltroninha do Freud ficava atrás da cabeceira do divã...
Exemplo de associação livre...
Organização típica de um consultório psicanalitico, mais porco impossível...
Foto indispensável em qualquer consultório para conquistar a confiança do cliente na promoção da associação livre...


Associação livre consiste em um dos principais recursos terapêuticos adotados pelos psicanalistas, teoria desenvolvida pelo velho tarado Sigmund Freud, que consiste em deitar o cliente (de preferência mulher) em um divã e fazê-lo falar absolutamente tudo o que lhe vem à mente, sem que ele tenha tempo de pensar no que vai dizer, ou seja, o cliente deve simplesmente falar, seja o que for que esteja pensando.

Uma exigência para aplicabilidade desta técnica é que o terapeuta esteja sentado atrás da cabeceira do cliente, para que este último não veja o que o terapeuta esteja fazendo, que pode ser dormir, jogar game-boy, acessar a internet com um palm, fazer desenhos e rabiscos no bloco de anotações, masturbação com seu relato íntimo, olhar o decote das clientes boazudas, entre outras sandices que você nunca faria ideia...

Segundo os psicanalistas, este recurso permite acessar o inconsciente, possibilitando o terapeuta acessar os conflitos mentais do cliente para trabalhar essas dificuldades na sessão. Mas na verdade, os psicanalistas são profissionais pouco dispostos à trabalhar, por isso escolheram uma profissão para ganhar dinheiro fácil, tendo que apenas ouvir os clientes. Aí o Freud desenvolveu esta técnica para ocupar seus clientes e fiéis pagantes enquanto ele cochilava no decorrer dos entediantes relatos das suas clientes. Uma vez que os pensamentos não cessam até que o indivíduo esteja dormindo, Freud se aproveitou disso para enterter seus clientes, que ao se verem intensamente preocupados em relatar tudo o que pensavam, sequer se davam conta que seu terapeuta dormia, na qual este método é usado até os dias atuais.

Este recurso pode favorecer o cliente, que terá a oportunidade de xingar o terapeuta e até mesmo a mãe dele, por conta dos preços mercenários que o terapeuta cobra, desde que o cliente perceba esta malandragem, uma vez que terapeuta não poderá se ofender, pois supostamente é o "inconsciente" do paciente que está se manifestando, e não à sua ira por conta do desinteresse do psicanalistas e do custo dessa palhaçada. Embora ofender o terapeuta não resolva, pois se ele não estiver dormindo, estaráviajando nos pensamentos dele que nem se dará conta do que você fala. Sem contar que todos os psicanalistas são treinados para fazer "cara de paisagem", ou seja, mostrar total indiferença pelo que você fala, mesmo que ele queira te enforcar. Este é um segredo dos psicólogos para te deixar muito puto da vida, numa vã tentativa de tentar advinha o que ele está pensando sobre a sua fala.

Atuação ProfissionalEditar

Pesquisas do instituto DATA FODA-SE, indica os seguintes resultados;

  • 50% dos psicanalistas homens olham o decote das pacientes boazudas (a outra metade é composta por viados).
  • 90% dos psicanalistas usam o divã para outros fins.
  • 70% dos psicanalistas tiram ao menos um cochilo durante a sessão.
  • 20% dos psicanalistas não entendem metade do que os clientes falam.
  • 80% dos psicanalistas mentiram sobre o item acima.
  • 100% dos psicanalistas são preguiçosos e não trabalham.

Ver tambémEditar