Bloodstained

Virtualgame.jpg Bloodstained é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Mima tenta derrotar a sacerdotisa do templo em Touhou 2


Sangue Estanado
Bloodstained Not Castlevania.png
Logotipo da série
Gênero mais comum Castlevania sem Castlevania
Desenvolvedor atual Inri Games
Publicador atual Inri Games
Plataforma de origem Kickstarter
Primeiro lançamento Bloodstained: Curse of the Moon (2018)
Último lançamento Bloodstained: Curse of the Moon 2 (2020)

Bloodstained, ou Castlevania de Taubaté é uma série spin-off de jogos de Castlevania que não são Castlevania e não pertencem à Konami. O projeto foi idealizado por Koji Igarashi como forma de continuar trazendo jogos de Castlevania para um mundo onde a Konami se recusa a lançar novos Castlevanias.

DesenvolvimentoEditar

A série Bloodstained surge como resultado da insistência de Koji Igarashi em criar Castlevanias. Como seu único talento era criar jogos de plataforma com temática gótica e a Konami não queria mais saber de jogos artísticos de temática gótica que não possuíssem microtransação ou práticas extorsivas de sugar dinheiro continuamente de fãs, Koji foi ficando sem ter o que fazer da vida, quando em 2018 teve essa genial ideia de plagiar a si mesmo. Ao plagiar a si mesmo e criar um Castlevania totalmente novo, Koji podia agora fazer o que quiser sem precisar esperar qualquer aprovação da Konami.

JogabilidadeEditar

Os jogos de Bloodstained são todos do gênero Castlevania. Consiste em você controlar uma grande variedade de personagens que possuem gosto musical bastante convicto (metaleiros ou góticos) que devem partir numa cruzada incansável em exterminar pagodeiros, axezeiros, funkeiros, forrozeiros e bregueiros. Para concluir seu objetivo de extermínio é disponibilizado ao jogador um amplo arsenal de tacapes, peixeiras, socadeiras e diversos itens de espancamento e tudo isso num cenário 2D ao estilo Metroidvania (Super Mario com backtrack).

JogosEditar

 
Trevor Belmont fazendo uma participação especial na série. Ou vice-versa.
  • Bloodstained: Curse of the Moon - Joguinho que foi criado em 2018 como sendo um rascunho para o jogo principal que seria o Ritual of the Night. Curse of the Moon imita na cara dura Castlevania III: Dracula's Curse, mas a Konami nem pode processar o game por plágio porque o criador do game é o criador de Castlevania e nenhum juiz vai condenar um cidadão um cidadão por plagiar a si mesmo.
  • Bloodstained: Ritual of the Night - Ao contrário do Curse of Moon, é um jogo de visual extremamente mais competente e minimamente aceitável e o principal jogo da série. O jogo foi criado através de uma campanha de coleta solidária de dinheiro, vulgo vaquinha, e se tornou o primeiro jogo da história que precisou ser totalmente refeito depois que os doadores da vaquinha reclamaram do primeiro trailer do game onde as cores do jogo estavam opacas e foscas demais, mas Koji Igarashi não se acanhou e refez a arte gráfica do jogo inteiro, deixando-o todo cintilante, brilhoso, colorido, cheio de vagalumes e com os personagens todos com pele oleosa reluzindo.
  • Bloodstained: Curse of the Moon 2 - Como fazer um outro Ritual of the Night seria deveras desgastante, ainda mais com essa fanbase tão chata que fica exigindo gráficos cintilantes, Igarashi decidiu explorar o fato de que seus fãs também gostam de jogos com visual tosco e ultrapassado com a desculpa de ser "arte retrô". Então com 2 semanas de trabalho incessante no Paint, Igarashi trouxe essa bela sequência em 2020.
v d e h