Clostridium tetani

Causador do tétano
Uma colônia de clostridium tetani pronta para humilhar mais um humano
Uma colônia de clostridium tetani pronta para humilhar mais um humano
Classificação científica
Reino: Bactéria
Filo: Cuticutis
Classe: Clorofila
Ordem: Crostadiales
Família: Cloroplastos
Gênero: Cocozinhus
Espécie: Bichinho do tétano
cocozinhus tetinha

Clostridium tetani são pequenas bactérias malignas e caóticas que foram criadas pelo Satanás para possuir o espírito das pessoas que infecta, a ciência desde os egípcios antigos tenta decifrar o que seria e como age essa bactéria, mas não há método científico que possa explicar como é possível uma bactéria se apoderar do espírito de uma pessoa, uma grave doença sem cura denominada de possessão demoníaca, mas também de tétano em outros lugares, uma doença na qual o seu portador tem sua mente, alma e livre arbítrio totalmente suprimidos, passando a ser completamente controlado pela vontade dessas bactérias perversas.

CaracterísticasEditar

Ironicamente, o clostridium tetani tem pequeno formatos de prego enferrujado, muito antes sequer dos pregos terem sido inventados, acredita-se, mas sem provas cabais, que foi no Egito do século X a.C. que o primeiro infectado por tétano, com a sua alma possuída por essas bactérias, achando erroneamente que Anubis é quem o possuía, inventou os primeiros pregos da humanidade sob os comandos do clostridium tetani que circulava em sua corrente sanguínea, afinal eles queriam uma casa para morar.

 
Um clostridium tetani visto bem de perto. Até no formato (de pica) ele está ali só pra te foder.

Em sua infância, porém, o clostridium tetani tem um formato de grão de arroz e são inofensivos como engolir amoeba, sendo na verdade esse parte de um plano, serem confundidos com lactobacilos sabor uva, para quando ficarem adultos então desenvolvem um cabeção gordo e inchado onde está de fato toda a sua toxina que expele para controlar os animais que eventualmente possui. Embora se disfarcem de espermatozoides nesse seu formato cabeçudinho com o rabinho atrás, os clostridium tetani são facilmente reconhecidos como impostores por terem uma coloração grená.

São ainda anaeróbicos, o que quer dizer que não respiram, então ,matá-los sufocados não é uma opção, aliás, matar um clostridium tetani é tarefa bem complicada, especialmente porque a ciência ainda sequer determinou se eles são realmente um tipo de ser vivo, ou se só são mesmo agentes sobrenaturaia do diabo, afinal você pode por no álcool, no óleo de cozinha, no formol, no sangue humano e no fenol que eles não morrem, nem com tiro de metralhadora você consegue matar um clostridium tetani para ter ideia de como o bicho é forte. A melhor saída é mesmo frequentar uma boa igreja e fazer boas orações afim de evitar ser possuído por essa criatura.

HabitatEditar

O clostridium tetani habita principalmente ferro enferrujado, de longe a sua moradia predileta onde raramente alguém vai incomodá-los, afinal quem mais precisa de ferro enferrujado? Assim o clostridium tetani garante para si uma vida bem sossegada. Mas sempre surge um humano burro que se corta nesse ferro enferrujado, e o clostridium tetani não vê problema nenhum em habitar a corrente sanguínea desse estúpido, fazendo assim mais uma vítima no mundo.

ToxicidadeEditar

Estas bactérias clostridium tetani são as responsáveis por produzir a denominada tetanospasmina, um veneno que ao ter contato com os neurônios do cérebro humano é capaz de desligar seus neurotransmissores e assumir o controle da alma daquele ser afetado, geralmente ordenando o ser afetado a assumir posições extremamente constrangedoras (como ficar de ladinho bem empinado), porque aparentemente as bactérias de clostridium tetani são bem sádicas e gostam de humilhar seus hospedeiros com tétano (ou possessão demoníaca, como preferir).

A doença obviamente não tem cura, a bactéria é forte demais para que humanos possam compreendê-la, sabemos que a vacina antitetânica não passa de um plano do governo em conjunto com a NOM e os Iluminattis para reduzir a população mundial e evitar o colapso da superpopulação.