Crash Bandicoot: On the Run!

Virtualgame.jpg Crash Bandicoot: On the Run! é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Max Paynefodendo Mona Sax.


Crash Bandicoot: On The Run! é um jogo da série Crash Bandicoot que quer ser considerado ao menos bom, ao contrário de vários jogos do marsupial drogado que foram feitos de uma forma cagada para plataformas portáteis e celulares. Sabendo que esse jogo foi feito pela mesma empresa que produziu Candy Crush, o jogo pode atrair gurias retardadas ser considerado viciante, com um certo preço...

Crash Temple Run
Crash Mobile capa.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Burger King
Publicador Burger King
Ano 2021
Gênero Plataforma
Plataformas Qualquer celular decente
Avaliação 8,1
Idade para jogar 3

JogabilidadeEditar

Por ser um jogo totalmente inovador sem se basear em outros jogos já existentes, Crash irá correr sem motivos para frente e os comandos são simples, deslizar para cima para pular, deslizar para baixo para dar rasteiras, deslizar para o lado para fugir de armadilhas e apertar o celular para dar aqueles giros e também apertar na hora certa para derrotar bosses. Na fase, Crash irá se mover para frente e o objetivo das fases é desviar de tudo que aparece nela, e principalmente dar giros ou rasteiras em caixas que não são nitro, coletar frutas que não servem para nada a não ser comprar coisas enquanto ouve a mesma música de fundo em toda santa fase, se tornando insuportável.

Depois de passar da fase, aparece finalmente os bosses ou sub-bosses e o simples, desvie de qualquer coisa que o boss lhe taque e derrote-o usando poções para vencer ele, ou taque bolas roxas até que o boss seja derrotado e novamente jogue poções nele para mandar de volta para a casa do caralho. Os três bosses principais desse jogo que foram escolhidos no uni-duni-tê são Scorporilla, que irá usar toda sua força bruta para destruir coisas e jogar pedras achando que é o Koala Kong do Crash Bandicoot 1, Nitrus Brio, que não teve criatividade é a mesma porcaria da batalha de chefe de Scorporilla, e enfim o boss mais criativo do jogo, Dingodile, que fica lhe tacando chamas pra queimar sua rosca.

Ficou entediado de apenas enfrentar três bosses? Por que os outros chefes são nada mais, nada menos que...os mesmos três bosses, só que em cores diferentes que deve ser para plagiar aquelas skins toscas iniciais do Crash Team Racing Nitro Fueled, dizendo que possuem poderes gelados, porém não muda nada a não ser a cor do chefe. O jogo em si poderia ser terminado em umas duas horas, porém como é um jogo de celular, é claro que teremos nossa amada "frescurinha de energia", o que faz que metade dos jogadores dessa joça desistam desse jogo antes de terminar-o. Na saga Titans, as caixas de Wumpa Fruits estavam de greve, dessa vez são as caixas de TNT, que estão completamente em escassez desse jogo.

EnredoEditar

 
  You're breathtaking!  
Crash achando que é o Keanu Reeves

O Dr. Neo Cortex, após ver aqueles filmes clichês de espaço sideral e viagens por várias galáxias, usou todo o poder de sua cabeça de martelo para criar uma máquina que viajasse para várias dimensões, e assim poder dominar todas elas, sem saber que esse plano tosco já foi usado em Crash Twinsanity e agora em Crash Bandicoot 4: It's About Time, acabou fugindo por ai para não ser derrotado mais uma vez por um marsupial com problemas mentais. Cortex descobre que em um planeta, o nitro não vem mais em caixas e sim em líquido e o usa para deixar alguns puxa-sacos de Cortex invulneráveis.

Coco, com seu novo poder da mente inexplicável, usa para ler a mente de Cortex e sabe de seus planos de dominar as galáxias e por isso cria poções para mandar os chefes para a puta que pariu e também para ativar portais. Cortex então usa esses outros planetas para roubar cristais e enfim criar mais portais e mandar seus puxa-sacos para planetas alternativos, embora esse jogo não tem dinheiro para fazer algum cenário decente, então nenhum outro planeta ou universo é explorado.

Para justificar o fato do jogo só durar umas 2 horas (isso sem contar as energias), o jogo completo será relançado em 2021 para todos os celulares e com mais bosses nem tão criativos.

Personagens da demo inicialEditar

 
Seus personagens preferidos estão de volta...no caso, apenas a Coco, já que ninguém irá reconhecer esse Dingodile, e Scorporilla não é favorito de ninguém.
  • Crash Bandicoot: Protagonista e que faz tudo nesse jogo, seu design é um que menos muda, justamente para enganar o consumidor.
  • Coco Bandicoot: Ajudante de Crash Bandicoot que apenas possui a missão de lhe cobrar dinheiro, e também fingir que trabalha na criação de poções de Nitro de outro mundo. Também quase muda nada em relação aos designs antigos.
  • Aku-Aku: Um que aparece raramente no jogo, só em algumas caixas para proteger Crash.
  • Nitrus Brio: Nesse jogo faz a mesma coisa que o Crash Bandicoot 1, toma uma poção e fica musculoso e pega uma das regatas do Koala Kong emprestado. Como ele não poderia correr tão rápido quanto Crash, se movimenta em um disco voador plagiado do Dr. Robotnik enquanto quebra pedras e árvores por ai.
  • Dingodile: Nesse jogo, Dingodile resolve emagrecer um pouco, e por causa disso, resolve usar uma nova calça assim como em todos os jogos que ele aparece na série. Dingodile por ser gordo, também usa o mesmo disco voador e fica tacando fogo para acertar Crash.
  • Scorporilla: Essa é a verdadeira definição de "vamos pegar um inimigo aleatório do Crash" e tacar nesse jogo, o que fez fãs ficarem meio a meio pelo jogo se lembrar da Saga Titans e outros bravos por não usarem inimigos melhores como N. Gin, N. Tropy ou Tiny Tiger. No jogo, possui um design mais tosco do que em Crash of the Titans e Mind over Mutant e faz a mesma coisa que N. Brio, sendo um chefe inútil.

Personagens do jogo completoEditar

  • Dr. Neo Cortex: Criador do plano para tentar dominar o mundo, Cortex antigamente estava nesse jogo de enfeite mesmo, já que ele não aparece (ainda). Dizem que também terá uma versão robótica aleatória dele no jogo.
  • Nina Cortex: Também irá aparecer nesse jogo, mas não se sabe o que ela irá fazer.
  • Fake Crash: Aquele personagem que não se sabe se é do bem, ou do mal nos jogos.
  • Lo-Lo, Wa-Wa, Py-Ro e Rok-Ko: Não se sabem como foram libertados novamente de suas tumbas, não se sabe se irão aparecer apenas eles mesmos ou se tentarão usar o Crunch Bandicoot de escravo de novo.
  • N. Trance: Mais uma vez, o alien pinto ambulante tentará hipnotizar (e falhar) o marsupial laranja.
  • Uka-Uka: Também não se sabe em que forma ele aparecerá neste jogo.
  • N. Gin: Aparecerá nesse jogo com mais uma engenhoca que irá explodir.
  • Mr. Crumb: Se você já achava o Scorporilla uma escolha aleatória, é por que não viu esse ainda.
  • The Noid: Um coelho demoníaco encapetado que ninguém além dos americanos conhecem que esta aí apenas para fazer propaganda para a empresa de pizzas Domino's.

RecepçãoEditar

No começo, todos os jogadores de console fãs da franquia que queriam um remake de Crash Bash ou de Crash Twinsanity ou quem queria um jogo novo do marsupial feito do zero ficaram putassos com a revelação de um jogo mobile, achando que seria mais um jogo de celular horrível ou que iria abusar das microtransações mais que a Activision em Crash Team Racing Nitro-Fueled.

A recepção desse jogo foi melhor que o normal no dia da estreia, já que os gráficos eram muito melhores que os jogos fracassados da franquia que tentaram ir para os celulares que pareciam que aqueles rodavam em uma batata, além da empresa responsável pelo jogo não ser tão abusiva com microtransações, como todos fãs de jogos de consoles de Crash no caso todo mundo achariam, e é um jogo atualmente jogável.