Deslistas:Jogos que tentaram desesperadamente criar seu próprio Sonic e fracassaram

Deslistas.gif

Este artigo é parte do Deslistas, o sumário livre de conteúdo.


Ah Sonic... aquele ouriço mutante de cor azul, que andava ereto... quer dizer, não andava, CORRIA mesmo, e CORRIA PRA CARALHO! Pois é, esse garotinho que fez altas confusões no Mega Drive e no Master System (e, pra alguns aí mais metidinhos, no Game Gear) e fez sucesso pra cacete nos anos 1990 (pelo menos até a metade daquela década, já que depois a Cega ficou cega demais pra aproveitar o sucesso do bichinho) acabou gerando um monte de tentativas estúpidas de fazerem clones ou coisas que supostamente seriam um sucessor ou alguém que poderia efetivamente derrotar o apressadinho de tênis, mas tudo que vinha das mãos dessas empresas tentando usar a técnica "personagem meio antropomórfico ou similar com cara de enfezado que pulava nos inimigos, pegava várias moedas, anéis ou similares e com carinha de enfezado" deu tudo errado nessa brincadeirinha. Só mesmo Crash Bandicoot conseguiria enfim dar uma vitória nessa luta, quando ela já tava vencida fácil na realidade, já que né, a essa altura o Sega Saturn nem tinha um jogo decente do azulão (e Sonic R não conta, primeiro por ser de corrida, segundo porque passa LONGE de ser decente essa porra), então aí foi uma luta contra um adversário já morto (e até hoje morto, porque com certeza nenhum jogo do Sonic da Nova Geração fez tanto sucesso como os da era 2D).

Enfim, nessa deslista vamos elencar uns baita maus exemplos de tentativas cagadas de vencer o Sonic no mundo das empresas de videogames.

ZoolEditar

 
O ninja que dizia que ia derrotar o Sonic hahaha, só se for o Sanic.

Ver Zool e Zool 2

Zool era um ninjinha da nona dimensão que tem quem confunde com o Zuul do filme d'Os Caça-Fantasmas sei lá porque xongas. Não ser um furry já é interessante, já que todo o resto abaixo é tudo animalzinho agindo como ser humano descolado. Enfim, o fato é que a empresa que criou essa budega, a Gremlin Graphics, criou esse troço pra verdadeiramente ser um rival do Sonic. Obviamente deu errado pra cacete, quase ninguém faz ideia de quem diabos é esse personagem, mesmo a empresa tendo forçado enfiar toda plataforma possível, desde os consoles do Amiga, onde ele iniciou sua jornada, passando por algumas mais famosas - mas que nunca promoveram o jogo - como o SNES e o Mega Drive -, até consoles bem bostais mesmo como o Atari Jaguar. Ou seja, só desgraça atrás de desgraça, mostrando porque o ninja caçador de frutas antes da era do Fruit Ninja nunca iria ser um novo Sonic.

James PondEditar

 
Com essa cara de cu, já era esperado o fracasso. Spoiler: essa mina da capa não aparece nunca no jogo.

Ver James Pond

O James Bond em forma de peixe, tentou desesperadamente com seu primeiro jogo fazer uma paródia com diversos filmes do agente secreto britânico (as empresas que criaram essa josta inclusive também são de lá do Reino Unido) e ao mesmo tempo criar um "Sonic Marinho", mas como a essa altura a Sega já tinha um quase "Sonic Marinho" pra chamar de seu, acabou que não deu pro "007 de escamas", que ficou na rabeira da desgraça, mesmo tendo sido distribuído até pela Electronic Arts (é, a EA já fazendo merda desde os anos 1990) pra uma dezena de consoles. O troço flopou tanto que já no segundo jogo mudaram a jogabilidade pra algo mais "diferentão", e assim a franquia seguiu até hoje. SIM, ATÉ HOJE! Só ver que tem um James Pond: Codename Robocod pra Nintendo Switch!

Aero the Acro-BatEditar

Nem sei se dá pra chamar isso de tentativa válida de virar um Sonic (já que a jogabilidade incluía uns puzzles marotos), mas é fato que o Aero the Acro-Bat tentou surfar na onda do ouriço, sendo um morcego acrobata de circo (WTF?) e criado pela Iguana Entertainment (que deu tão certo essa empreitada que a empresa faliu já faz é tempo) e distribuído pela Sunsoft, virando literalmente o mascote dessa última, e jogado em uma pá de consoles, como de praxe. O jogo é tão bom que um lugar fácil de encontrar ele são naqueles cartucho compilação pirata do Polystation com "1000000000000 jogos em 1" que na verdade só tem uns 20 jogos no máximo, e cada "jogo" é um estágio de cada um dos vinte fatiados e jogados a esmo de maneira totalmente randômica e você que se vire pra achar. Enfim, mais um joguinho que ficou na memória só de saudosistas chatolas que sempre trazem essas tranqueiras de volta por jurarem que "isso sim era jogo!", sendo que na época de lançamento eles nem davam um puto pro jogo.

Zero the Kamikaze SquirrelEditar

 
Miraram num ninja e acertaram no Rambo com cara de cu.

Ver Zero the Kamikaze Squirrel

Outro joguinho da Sunsoft que com certeza se você tinha um Super Nintendo ou um Mega Drive. É bem bostal, porque supostamente o jogo mostra um esquilo que vai virar um ninja kamikaze (?) lançando shurikens e com cara de puto o tempo todo. Por ser mais uma versão tosca do Sonic, inclusive uma com uma cara de putaço mesmo igual ao Sonic, já dá pra perceber que é um jogo demasiadamente nulo, que ninguém deu um puto. Ou um putaço. Dá na mesma né?

Esse jogo é tão bostal que até achar informações dele foi foda ou seja, não tem na Wikipédia porra nenhuma sobre ele, então se vira aí com essa descrição e se cê curtir esse jogo você é maluco, bom proveito!

Awesome PossumEditar

Puta que o pariu, olha o nome da porra do jogo: Awesome Possum... Kicks Dr. Machino's Butt. Só por aí você já vê que esse jogo, de um gambá ninja criado pela Tengen (especialista em fazer um monte de jogo de qualidade duvidosa). Esse é tão podre quando a bunda desse gambá, e como se já não bastasse os gráficos totalmente fodidos e a cara de ratazana com cãibra, ainda tem um enredo com um vilão Dr. Machino (que é basicamente o Dr. Robotnik de quinta) que quer transformar todos os animais em robôs (QUE CRIATIVO NÉ!), enfim... ridículo é pouco, se quiser copiar, copia, mas não faz igual né!

(OBS: Se já não bastasse, a porra do jogo ainda é um daqueles jogos educativos horrorosos que vem pagar de "defensor da natureza", com um monte de pergunta perfeita pra aqueles vegans chatolas de internet encherem o saco de geral).

Rocky RodentEditar

 
Eu nem vou falar nada nessa legenda, só olha essa capa.

Ver Rocky Rodent

Eu nem sei o que dizer desse jogo. Na moralzinha.

Olha a cara dessa atrocidade criada pela empresa Irem com exclusividade pro Super Nintendo. Eu nem sei que porra de bicho é esse. E a história do jogo não ajuda em nada, o Rocky Rodent vai salvar a tia de um amigo dele que foi sequestrada, e esse amigo dele se chama... Cara de Torta Balboa. Isso aí. Fizeram um trocadilho ridículo com o Rocky Balboa, só que dividindo entre dois personagens altamente desmiolados. O Rocky ao menos tem uma mecânica curiosa (ainda que bizarra) usando seu penteado (que consegue sei lá como diabos se modificar sozinho de acordo com a necessidade do sujeito) com arma ou como ajuda pra vencer obstáculos. É, ao menos esse topete horroroso parece servir pra alguma coisa além de deixar essa aberração da natureza ainda mais horrenda do que já é.

BlinxEditar

O jogo Blinx: The Time Sweeper foi o que chegou mais tarde nessa disputa bizarra pra tentar ser o novo Sonic. Poderíamos dizer que, por ter saído em 2002 pro Xbox original, provavelmente a meta dele agora era ser o novo Crash Bandicoot. Se vendendo como o "primeiro jogo em 4D (oi?) da história", o jogo desse gato com cara de psicopata ou do Gato de Cheshire descoladão faz um monte de viagens no tempo e meio que quer vender que daria uma experiência real pro jogador de uma viagem dessas - como se alguém nesse mundo já tivesse feito isso (que a gente saiba pelo menos né) pra realmente dizer como faz isso -, sendo entretanto menos realista que a viagem temporal de Time Commando. Enfim, esse gato de botas com desconto e usando um aspirador de pó pra avançar ou reverter o tempo (vou inclusive ficar longe do daqui de casa depois disso, vai que do nada ele suga todo tempo da minha vida e eu morro?) ficou tão famoso que certeza que você acabou de conhecer ele lendo essa deslista.

GexEditar

 
O carisma em pessoa. Nem deve ser nojento imaginar jogar com um réptil desses.

O mascote número um do 3DO, Gex, o geco a lagartixa com cãibra, foi sem dúvidas uma experiência malsucedida demais. Tanto que, mesmo tendo sido criado pra promover o console que iria transformar os outros em "reles brinquedinhos de criança" - mas que com o preço absurdo nem brinquedo de milionário dava pra ser -, acabou sendo convertido pela Crystal Dynamics pra uma caralhada de outros consoles, já começando inclusive com o Sega de Saturno e que seu objetivo é comer um monte de baratas de ouro num mundo chamado Dimensão Mídia. O jogo é provavelmente o melhor dessa lista, com umas mecânicas diferentonas como subir paredes e usas sua língua pra pegar coisas mais distantes, mas só em pensar de jogar com uma lagartixa tá agonia. Mas sendo o único que foi mais ou menos bem sucedido, teve três jogos, todos até relativamente conhecidinhos por aí afora, ainda que nojentos pacas.

BubsyEditar

A única coisa que posso dizer sobre Bubsy é: Por que caralhos criaram isso?

Literalmente a mais desesperada tentativa de criar um mascote descoladão e engraçadalho desde o Cheetahmen, miraram no Conker the Squirrel e acertaram nesse esquilo voador com cara de doente mental e que fica irritando pra caralho o jogador com piadinhas e comentários aleatórios de muito mau gosto.

Após um monte de jogos de plataforma 2D até aceitáveis, decidiram criar uma versão bosta em 3D que desgraçou de vez uma porra que já não era boa mesmo.

Chester CheetahEditar

Sim, o guepardo do salgadinho com cheiro de cu também teve seus jogos, o Too Cool to Fool de 1992 e o Wild Wild Quest, ambos tão aleatórios e tão aquela cara de jogo só pra vender produtos de outras empresas, nesse caso da Elma Chips, que só retardado deve ter realmente gostado dessas bombas.

Kang FuEditar

Esse jogo do Amiga CD32 é tão creepy que parece mentira. Você controla o Kang Fu, que pelo trocadilho infame você já imagina ser um canguru que invés de lutar boxe luta kung fu, certo? ERRADO! Você é um canguru sim, mas não luta porra nenhuma, já que anda por aí com uma fodendo metralhadora. É, bem louco né? Além do jogo ser desgraçadamente mal desenhado e com inimigos bem aleatórios e sem sentido, além da nulidade de continues e ser justamente um jogo de um dos mais fodidos consoles de todos, que se vendia como de 32 bits, mas se pá rodava menos bit que o que rodava no Atari 2600, tem uma das telas de game over mais inacreditáveis da história:

 
A PORRA DA FOTO DE UM CANGURU DE VERDADE MORTO!

Melhor nem falar mais nada...