Mudanças entre as edições de "Desmanuais:Como sobreviver em Portugal sendo brasileiro"

m
sem sumário de edição
m
 
 
Antes de começar, é necessário conhecer algumas informações sobre o país a se <s>conquistar</s> visitar.
 
=== Idioma ===
 
O português falado no Brasil é conhecido como ''brasileiro'' pelos habitantes locais, e a principal diferença em relação ao português europeu é que os portugueses substituem pelo menos dez porcento das palavras por expressões em inglês. As expressões encontradas nas piadas contadas pelos comediantes brasileiros não existem, sendo substituídas por modismos encontrados no seriado mais popular do momento, seja qual ele for.
 
{{c|''Bruh'', este artigo está bué de ''cringe'', nem tem uma imagem de uma ''bitch'' com um ganda ''ass''|A verdadeira reação de um português|este artigo até o momento}}
 
=== Economia ===
[[Arquivo:Torneira de banheira.jpeg|thumb|Gire a alavanca para a esquerda para aquecer a água, para a direita para esfriá-la e totalmente para a esquerda caso você deseje ser cozido vivo durante o verão ou para a direita caso queira virar picolé durante o inverno. Aperte o pino para que a água caia na banheira, puxe-o para que ela caia no chuveiro. Fácil, né?]]
 
Ao final do dia, você deve ter uma hora para ver a TV antes de dormir. A maioria dos lares portugueses tem TV a cabo, mas aqueles que não o têm possuem apenas quatro alternativas: dois canais da RTP, mantidos com uma pequena taxa na conta de luz, a SIC, que seria como a Globo, mas só que com um pouco menos de baixaria, e a TVI, que durante o dia é como a Globo, incluindo o [[Big Brother]], e durante a noite, é como a RedeTV, incluindo o [[João Kléber]]. Tome cuidado com uma [[Cristina Ferreira|certa senhora histérica que grita como a Sindel do Mortal Kombat]]. Esqueça o futebol na televisão, os jogos transmitidos nos canais abertos são tão raros quanto uma medalha portuguesa numa Olimpíada. Os seriados estão todos legendados porque a profissão de dublador é tão mal vista quanto a prostituição, só que sem anúncios de dubladoras se oferecendo na seção de classificados do [[Correio da Manhã]] com fotos roubadas de alguma [[gostosa do Instagram]] aleatória. De qualquer modo, esqueça a televisão aberta portuguesa, ninguém com menos de 50 anos de idade assiste a esses canais. As rádios portuguesas são poucas, e você só vai escutá-las uma ou duas vezes na vida. Nenhuma delas passa futebol ou qualquer evento que não seja uma entrevista com um político ou uma personalidade especialista em um assunto do qual só ela se importa no mundo ou todos os portugueses sabem mais que ela.
 
Se o contrato da sua casa permitir, você pode ir à varanda da casa ou do apartamento para fumar um cigarro, mas é provável que já exista alguém a fazer isto. Os cigarros são obtidos com certa facilidade em máquinas iguais àquelas máquinas de refrigerante comuns no Brasil, com a exceção de que quando você vai comprar a lata de [[Pepsi]], não tem que morrer em 1% do seu salário mensal e receber uma mensagem "FUMAR MATA" ocupando mais da metade da lata. Pelo menos em Portugal não existem as caixas de cigarro com imagens aterrorizantes de tumores, vísceras e tripas saindo de feridas necrosadas, já que os portugueses têm de conviver com imagens ainda mais nojentas e horripilantes na forma das campanhas europeias do Benfica, e além disso, fumar cigarros convencionais é ''démodé'', já que outros tipos de drogas estão disponíveis com mais facilidade.
 
Sim, isso mesmo, coisas como a maconha, cocaína, heroína e a discografia da [[Maria Leal]] são legalizadas aqui. Se você for pego fumando um cigarro de maconha, é capaz do policial te perguntar onde você comprou e ainda dizer um lugar onde vende mais barato. Existem lojas de maconha em praticamente todas as cidades, e as pedras de crack, Sinnoh e Unova podem ser obtidas vencendo batalhas no [[Pokémon Go]] contra os chefes da [[Equipe Rocket]]. As bebidas alcoólicas são encontradas facilmente, mas o seu orçamento só vai permitir que você compre as cervejas de marca branca. Por sorte, os vinhos que custam os olhos da cara no Brasil só custarão um cílio ou dois.
 
Seu apartamento, com toda a certeza, irá ter uma máquina de lavar roupa, que, na maioria das vezes, se encontra na cozinha porque os apartamentos portugueses projetados na década de 80 previam uma explosão demográfica que nunca aconteceu, deixando o cenário suburbano das cidades portuguesas parecido com o de um país comunista, mas com prédios prefabricados de no máximo cinco andares, pois os portugueses têm medo de altura e não faz o mínimo sentido construir um arranha-céu de trinta andares em [[Fafe]]. Haverá um espaço para deixar as roupas secarem que será disputado a tapas. A lavagem manual de roupas é considerada um barbarismo desde que Portugal entrou na UE.
 
É possível transferir sua carteira de motorista para Portugal, o que implica em uma viagem até Lisboa, um dia inteiro na fila do consulado, sua carteira de motorista sendo confiscada e semanas de agonia esperando que a sua carteira portuguesa chegue. Caso isto não seja possível, você terá que gastar 400 euros para tirar a carteira de motorista portuguesa, o que implica em um processo teórico e prático parecido com o encontrado no Brasil, mas com a diferença de que se você falhar no teste prático (o que pode acontecer por qualquer coisa), é necessário recomeçar o processo do zero e pagar tudo de novo. Depois do obter a carta e esperar o período de provação (mais ou menos como no Brasil, mas com muito menos tolerância), você recebe a carta definitiva em casa e já está livre para explorar as estradas portuguesas.
 
 
=== Comprando um carro ===
[[Arquivo:Jornal de Leiria Edição 1708.jpeg|thumb|A saúde pública portuguesa é muito avançada. Se não conseguirem resolver o seu problema, vão até as últimas consequências]]
 
O sistema de saúde português não é muito desorganizado, não existem muitas filas, mas a menos que você esteja quase morto ao chegar ao hospital ou posto de saúde, você terá que fazer um pré-cadastro e enfrentar uma burocracia enorme como no Brasil. Se você tiver sorte, pode marcar uma consulta pelo telemóvel, mas não espere ter sorte suficiente para ser atendido em menos de sete dias a menos que esteja em situação de real risco. Se tua sorte ainda não tiver acabado, é possível que a consulta ainda saia de graça, caso seja uma emergência, mas terás que arcar com a medicação por conta própria. A burocracia cai significantemente (cerca de 2%) caso você consiga um número de utente, o que exige que você vá até a junta de freguesia pedir para que te deem uma prova de que você mora em tal buraco de fim do mundo com uma conta em seu nome ou um pedaço de papel assinado por duas testemunhas que OBRIGATORIAMENTE têm que morar e votar na mesma freguesia que você. Os hospitais portugueses são famosos por suas infraestruturas suntuosas que são deixadas às moscas pela falta de médicos que queiram trabalhar, pois já emigraram ou já mudaram para um hospital particular.
 
Se você realmente ter muita sorte, tipo, sorte pra caralho, poderá ser introduzido ao conceito de ''médico de família''. Isto consiste em que todas as suas consultas, do berço ao caixão, são feitas com um único médico associado à sua família, sendo impossível mudar em caso de ter caído com um médico incompetente, à beira da aposentadoria, já falecido ou você precisar de algo completamente fora da especialidade de tal médico.
== Obtendo a cidadania ==
 
O objetivo final é sobreviver até que se consiga passar sete anos contribuindo ao estado português de alguma forma, ou seja, por meio do seu trabalho, tempo que pode ser reduzido para um mês e meio se você for podre de rico e comprar um imóvel, ou imediatamente caso você seja realmente endinheirado ou estúpido a ponto de abrir uma empresa em Portugal. Após isto, é possível obter a nacionalidade portuguesa, o que tecnicamente te permite ficar para sempre no país sem ter que ouvir algum eleitor do [[André Ventura]]<ref>Uma mistura de Bolsonaro com Craque Neto, mas sem o analfabetismo de ambos</ref> te mandar ''voltar pra tua terra e parar de roubar o emprego dos portugueses'' <s>que de qualquer forma não iriam querer esse emprego miserável no qual você se encontra</s>, além de permitir que você vote <s>mal</s> e usufrua de todas as <s>poucas</s> regalias que o passaporte português te proporciona, como não ser necessário para viajar para toda a Europa ou ter acesso livre a pelo menos 80% do globo terrestre.
 
{{ref-section|Notas importantes (ou não)}}
rollback
14 626

edições