Sólido

(Redirecionado de Estado sólido)
Assistente.jpg Este artigo é relacionado à química.

Releve o fato de se usar o condensador como alambique. Gambiarra, é isso aí...

Sólido é tudo aquilo que atinge o fundo do vaso sanitário quando um sistema digestivo está saudável, mas isso em biologia, porque em química e física é um dos clássicos estados físicos da matéria, caracterizado por possuir átomos preguiçosos que ficam grudados um do lado do outro, vibrando o mínimo possível para evitar a fadiga. Dentre todos os estados físicos da matéria, o sólido costuma ser o queridinho da humanidade, já que é o estado físico das principais coisas que o ser humano não vive sem, como o computador usado para acessar o XVideos, o videogame usado para destruir sua vida social, a garrafa usada para armazenar cachaça, as armas usadas para cometer assassinatos, o fast food usado para te causar câncer no estômago e os alimentos processados usados para te matar de AVC e ataque cardíaco antes dos 50 anos.

Características microscópicasEditar

Os átomos de uma substância sólida em geral encontram-se fora de forma e ficam ofegantes rapidamente ao menor esforço. Por serem sedentários e não fazerem exercícios físicos diariamente, a energia cinética deles é simplesmente medíocre, e sua movimentação é tão desprezível que podemos dizer que eles vivem parados, como se sofressem com alguma forma mórbida de obesidade daquelas em que a pessoa praticamente não anda, apenas se mexe de um lado para o outro sem sair do lugar.

Como são vagabundos demais para se mover, os átomos dos sólidos vivem amontoados como se fosse naqueles barracos de periferia onde mendigos e outros pobres miseráveis que vivem às margens da sociedade dormem uns sobre os outros. Como resultado disso, naturalmente as forças intermoleculares deles são maiores, o que os torna incompressíveis, fazendo com que os sólidos sejam verdadeiros tanques de RPG com imunidade a dano dos tipos pressão, redução de volume e veneno.

Estrutura cristalinaEditar

 
Dois bravos cientistas enfrentando a fúria da natureza para coletar amostras de sólidos cristalinos para uma pesquisa de campo.

Sólidos cristalinos são aqueles sólidos certinhos e bem organizados, conhecidos por formarem arranjos bem-definidos e mais apresentáveis aos olhos, além é claro de limpar devidamente os seus quartos. Em geral muitas coisas bonitas, brilhantes e capazes de formar pontas afiadas com grande potencial para matar o próximo são sólidos cristalinos, como vários minerais encontrados na natureza, por exemplo.

Cada sólido possui sua própria ordenação de átomos, e a forma e aparência dessa ordenação dependerá única e exclusivamente da boa vontade dos átomos e de sua capacidade coletiva de organização. Ou seja, podemos encarar que os sólidos cristalinos são constituídos principalmente por comunidades anarquistas de átomos, que conseguem se organizar sem a necessidade de um estado e formar um perfeito exemplo de governo auto-gestionário.

Os arranjos de um sólido definem sua rede cristalina por meio de um complexo processo que dificilmente você, ignorante, será capaz de entender direito. Depois que um pequeno grupo de átomos com grandes qualidades de lideranças se aconchega em algum canto, diversos outros átomos invejosos formam outros arranjos idênticos e se amontoam perto deles, plagiando descaradamente todas as suas características, desde a sua aparência estética até a posição em que eles dormem.

Cada um desses pequenos arranjos chama-se célula unitária, e após todo mundo se amontoar um em cima do outro, elas finalmente formam, por meio de um maçante processo de repetição, a rede que caracterizará a forma final do sólido. Ou seja, aquele mineral precioso para o qual tua esposa fica babando quando passa por alguma vitrine de joalheria (e que você provavelmente não terá dinheiro para comprar) é resultado de um intenso processo científico de Maria Vai com as Outras.

Estrutura amorfaEditar

 
Vidro, exemplo de um importante sólido amorfo utilizado para armazenar bebidas essenciais ao consumo humano.

Sólidos amorfos são anomalias da natureza que não se decidiram se são sólidos ou se são líquidos. Na real, um sólido amorfo não passa de um sólido cristalino que não deu certo,geralmente porque durante o seu processo de resfriamento ele não teve culhões para se impôr e exigir que sua viscosidade ou o seu volume parassem de variar continuamente. Dessa forma, o sólido amorfo nada mais é do que aquele infeliz que não conseguiu passar no vestibular de fisioterapia e acabou se tornando um quiropraxista.

De maneira geral, os sólidos amorfos são uma verdadeira Casa da Mãe Joana, o exato oposto dos sólidos cristalinos. Enquanto esses últimos são mais chiques e possuem alguma etiqueta, os sólidos amorfos são sólidos grosseiros, cujos átomos, sem qualquer tipo de cultura e educação, são incapazes de se organizar. Pelo contrário, os átomos dos sólidos amorfos são um bando de barraqueiros que vivem se pegando no soco, e por conta disso acabam formando sólidos sem estrutura definida.

Esse tipo de bagunça costuma ser também comum em gases e líquidos, sendo que o principal exemplo entre os sólidos é o vidro. Podemos considerar que a estrutura amorfa é caracterizada por total incompetência de seus átomos em formar arranjos padronizados, por completa ausência de simetria e por total falta de organização. Devido a tamanha incapacidade dos átomos de se entenderem, ao invés de sua estrutura resultar em um paraíso anarquista auto-gestionário, ela acabou resultando numa Somália depois do início da guerra civil.

Ligações químicas nos sólidosEditar

Os sólidos podem ser classificados conforme o tipo de atração que existe entre seus átomos, podendo ser divididos em quatro tipos distintos. Quando há a união real entre seus átomos, nada pode deter o sólido, pois este será movido por laços verdadeiramente inquebráveis, que lhe darão força para sobrepujar qualquer obstáculo!

Sólido molecularEditar

 
Gelo é um exemplo perfeito de sólido molecular presente no nosso dia-a-dia.

Um sólido molecular é aquele cujos átomos são como personagens de anime shounen, e a principal força que os mantém unidos é a força da amizade, que cientificamente é chamada de força intermolecular. Embora tais sólidos não sejam os mais resistentes, pois não possuem o treino adequado, os laços entre esses átomos estão entre os mais fortes, pois não se sustentam por meras ligações químicas, e sim por algo muito além, algo que um mero vilão frio e sem coração é incapaz de entender.

Devido a grande amizade que existe entres esses átomos, eles possuem pontos de fusão um tanto quanto baixos, já que assim que observam um amigo em perigo, sendo atacado pela maléfica temperatura, eles fazem questão de não o deixarem só, e rapidamente vão todos ao seu resgate (mesmo sabendo que não podem vencê-la).

Sólido covalenteEditar

Sólidos covalentes possuem átomos cuja amizade é tão forte quanto daqueles dos sólidos moleculares, entretanto, por terem sido treinados pelos maiores mestres que a humanidade já viu, eles conseguem ser mais resistentes, mais duros e apresentar pontos de fusão maiores que os dos sólidos moleculares. Só boas intenções sem o devido treino não são garantia de vitória, dessa forma, a vilanesca temperatura costuma ter mais trabalho quando tenta força-los a mudar de fase.

Os átomos desses sólidos costumam estar unidos por ligações covalente, formando grandes redes onde todos estão conectados entre si, o que possibilita que se organizem por meio do Whatsapp na hora de enfrentar um perigo que ameace seus laços de amizade.

Sólido iônicoEditar

Sólidos iônicos possuem átomos que se mantém unidos por ligações iônicas, coisa que até um noob ignorante como você poderia facilmente deduzir a partir de seu nome.

 
Sólidos metálicos são a base das ligas metálicas, muito utilizadas no revestimento de armas de destruição em massa.

A amizade que os átomos desse tipo de sólido mantém entre si é uma amizade mais madura, sem frescura e monólogos chatos sobre o "poder da amizade", daquela que persistiria mesmo caso os átomos estivessem separados e não se vissem todos os dias. Isso torna sua relação mais duradoura, e mesmo eles não sendo tão enérgicos quanto os átomos dos outros tipos, eles possuem laços verdadeiramente fortes, o que se traduz no fato de possuírem altos pontos de fusão.

Costumem ser adversários formidáveis nas situações em que são obrigados a batalhar contra a temperatura, levando muita vantagem contra inimigos piromantes ou portadores da eletrocinese, já que seus poderes natos resultam em fraca condução elétrica e condução térmica.

Sólido metálicoEditar

Os sólidos metálicos, que se mantém unidos por meio da ligações metálicas, são aqueles que possuem os átomos mais xenófobos, esnobes e elitistas dentre todos os demais sólidos. Isso porque eles só aceitam em suas panelinhas átomos metálicos. Como resultado disso, eles evitam se juntar com a gentalha e não se bicam com os demais átomos.

Os laços de amizade que sólidos metálicos formam entre si são de nível patológico, beirando a obsessão. Isso se traduz na forma de uma nuvem caótica de elétrons livres, onde está mergulhado um aglomerado lovecraftiano de átomos metálicos.

Além disso, devido aos fortes ideais de superioridade racial que os unem, costumam formar uma unidade difícil de ser combatida, resultando em boa condutividade térmica e elétrica, alta dureza e altos pontos de fusão. Isso faz dos sólidos metálicos um pário duro até mesmo para a invencível temperatura, que costuma ter de assumir suas formas mais poderosas para combatê-los.

Processos de separação de sistemas sólido-sólidoEditar

 
Um químico prestes a empregar o método de levigação, objetivando uma coleta de dados para apresentar em sua tese de doutorado.

CataçãoEditar

A catação é o método mais obsoleto de separação entre sólidos praticado pela humanidade. É um método tão difundido que até mesmo tua avó o utilizava, quando ficava horas catando carunchos e feijões estragados dentre os grãos bons, a fim de evitar matar a família toda de intoxicação alimentar com aquela feijoada monstruosa cheia de orelhas de porco e rodelas gigantes de chuchu.

Esse método arcaico, que já era praticado pelos dinossauros, consiste basicamente em ficar parado coletando incessantemente algum sólido de interesse de um amontoado contendo outros sólidos. Como a vida adora caçoar da nossa cara, é bem provável que o sólido que você queira estará em menor quantidade, escondido em meio a um monte de porcaria (vulgo "sólidos que você não quer"). Essa técnica exige muita paciência para ser utilizada, e apenas monges possuem a grandeza espiritual necessária para fazer isso sem se estressar e xingar a mãe do pobre sólido que estão catando.

LevigaçãoEditar

A levigação é um método fundamentado primordialmente na diferença de densidade e higiene pessoal entre dois sólidos. Consiste em jogar água num pedaço de terra contendo dois sólidos, fazendo com que o menos denso deles, que geralmente é mais fedido e não gosta de tomar banho, fuja da mistura, deixando para trás apenas o sólido mais denso e costumeiramente mais limpo e cheiroso.

Esse é o processo de separação mais utilizado por garimpeiros ilegais que invadem terras indígenas e reservas ambientais protegidas a fim de catar ouro em rios e riachos.

A grande desvantagem desse método é que existem chances altas de ao invés de ouro o trouxa obter o famigerado ouro-dos-tolos, ou até mesmo algum mineral altamente radioativo que por ventura possa estar perdido por ali.

VentilaçãoEditar

A ventilação é um método grosseiro e rústico de separação, baseado no índice de massa corporal dos sólidos. Consiste em submeter uma mistura sólida na frente de um corrente de ar e esperar que o mais magro seja arremessado para longe, enquanto o sólido com maior grau de obesidade ficará parado no lugar.

Para isso diversas ferramentas podem ser utilizadas, como ventiladores, cataventos e dobradores de ar. É um método muito utilizado por aquelas tiozões caipiras que ficam balançando uma peneira feito uns desocupados, esperando até que uma corrente de ar milagrosamente decida aparecer e expulsar as cascas indesejadas de grãos como arroz e amendoim.

FlotaçãoEditar

Na flotação um líquido apaziguador, de preferência com formação em psicologia, é adicionado em uma mistura contendo dois sólidos caindo na porrada. Esse líquido formará uma fase intermediária, ficando entre o sólido mais denso no fundo (com problemas psicológicos mais graves) e o sólido menos denso na superfície, e deverá dialogar com ambos os sólidos a fim de chegar a raiz do problema e promover a paz e o amor entre ambos.

Separação magnéticaEditar

 
Comunidade de sólidos reluzentes por terem passado pela cristalização e vencido as barreiras da seleção natural.

A separação magnética consiste num método traiçoeiro de separação, onde um ímã especializado em sequestro relâmpago é contratado para capturar um dos sólidos de uma mistura.

Como o sólido a ser raptado em geral terá um grau maior de ferromagnetismo, o ímã geralmente o nocauteará com um campo magnético, fazendo do pobre coitado do sólido uma presa fácil e indefesa.

CristalizaçãoEditar

No processo de cristalização uma mistura de sólidos indefesos é brutalmente dissolvida em um nada confortável líquido. A partir desse momento os sólidos devem batalhar por suas vidas, apostando uma corrida frenética para ver quem conseguirá atingir certo ponto (linha de chegada).

Aqueles que conseguirem chegar a esse ponto e cruzarem a linha de chegada vão formando cristais e sendo recompensados com um alto grau de pureza, e poderão ser separados individualmente depois para seguir com suas vidas.

Embora possa parecer bárbaro, essa é a lei da selva, que serve para evidenciar aqueles sólidos verdadeiramente capazes de sobreviver e superar todas as dificuldades.

PeneiraçãoEditar

Na peneiração uma mistura de sólidos é colocada em um artefato milenar cheio de buracos conhecido como peneira. A peneira irá submeter ambos os sólidos a um duro processo de seleção, que irá separar os sólidos com nanismo daqueles sólidos com um grande potencial para se tornar jogadores de basquete. Essa seleção baseia-se na granulometria dos sólidos, que nada mais é do que um conjunto de fórmulas desnecessárias para dizer que um sólido é maior ou menor que o outro.

Processos de separação de sistemas sólido-líquidoEditar

SedimentaçãoEditar

 
  É hoje que sai essa cocaína cristalizada!  
Um cientista se preparando para usar a filtração durante o desenvolvimento de um produto revolucionário.

A sedimentação é o processo de separação mais preguiçoso que poderia existir, muito adorado por alunos de química que não gostam de pôr a mão na massa durante as aulas práticas em laboratório. Consiste em deixar a mistura sólido-líquido parada e esperar até que os sólidos morram de tédio e se depositem no fundo do recipiente.

FiltraçãoEditar

Criada pelos alquimistas Edward e Alphonse Elric para ajudar o mago Harry Potter em sua busca pela pedra filosofal, a filtração é o mais clichê dentre todos os métodos de separação. Consiste em derramar uma mistura de líquido e sólidos em um filtro e esperar que os sólidos sejam barrados e impedidos de entrar de bicão em um recipiente onde só os líquidos foram convidados.

DecantaçãoEditar

O processo de decantação é o pau para toda obra da química, servindo para separar grupos que naturalmente se odeiam, como sólidos e líquidos, sólidos e gases ou líquidos e outros líquidos. Em termos de procedimento, a decantação envolvendo sólidos e líquidos é uma sedimentação baiana, levando mais tempo para que os sólidos criem vergonha na cara e decidam ir para o fundo do recipiente.

CentrifugaçãoEditar

A centrifugação é a digievolução do processo de sedimentação. Quando os sólidos de uma mistura são rebeldes e preferem ficar vadiando em meio a mistura ao invés de irem de uma vez para o fundo do recipiente, recorre-se a aparatos high-tech conhecidos como centrífugas.

Desenvolvidas por civilizações alienígenas mais evoluídas que a nossa, as centrífugas são capazes de controlar a gravidade, fazendo com que os sólidos vagabundos sofram um processo de sedimentação na base da força. É um processo muito utilizado em lavanderias, com o objetivo de separar as vestimentas recém-purificadas da água radioativa proveniente da roupa suja.

EvaporaçãoEditar

O processo de evaporação consiste em submeter uma mistura - geralmente homogênea - a um calor de rachar sem protetor solar. A parte líquida sofrerá insolação e acabará evaporando, deixando para trás apenas os sólidos, que em geral possuem resistência a dano de fogo.

Propriedades físicasEditar

 
Devido as suas excelentes propriedades térmicas, sólidos possuem importantes aplicações tecnológicas.

Sólidos são verdadeiros construtos, apresentando alta elasticidade, plasticidade, resistência a tração, esforço cortante, esforço de compressão, tenacidade, armadura e resistência mágica, o que faz com que suas defesas sejam naturalmente impenetráveis, fazendo com que se sobressaiam em relação aos demais estados físicos da matéria.

Em virtude de suas imbatíveis propriedades mecânicas, sólidos costumam ser a principal matéria-prima para elaboração de objetos mágicos, empregados tanto na confecção de armas contra criaturas das trevas, como no aumento de atributos básicos. Não é a toa que os minerais são os ingredientes mais utilizados na criação de itens raros e lendários.

Muitos sólidos também são conhecidos por suas propriedades térmicas. Desde os primórdios os sólidos são utilizados no desenvolvimento de equipamentos que revolucionaram a história da humanidade, como o touro de bronze, um dos primeiros avanços da engenharia clássica a empregar de forma eficiente os conceitos básicos de transferência de calor e condutividade térmica.

Os sólidos apresentam imunidade a dano elétrico, o que faz deles exímios condutores de eletricidade, perfeitos para serem empregados em sistemas de energia, na confecção de cadeiras elétricas e na prevenção contra ataques de Electrodes selvagens. Por fim apresentam ótimas propriedades ópticas, sendo muito utilizados por personagens apelões como Motaro para refletir luz visível e magias poderosas contra seus oponentes.

Tipos de sólidoEditar

MetaisEditar

 Ver artigo principal: Metal
 
A boa condutividade elétrica dos metais permite que eles sejam utilizados para os mais diversos fins.

Metais são os sólidos mais populares (embora nem todos os metais sejam sólidos), sendo utilizados desde a época em que a tua avó era virgem para os mais diversos fins. Na Antiguidade os metais já eram importantes no campo das artes, submetendo-se a todo tipo de vergonha alheia ao serem utilizados como matéria-prima para ídolos de adoração bregas e esculturas de tiozões barbudos pelados.

Metais apresentam propriedades mágicas naturais, possuindo boa condutividade térmica e elétrica. Em virtude disso, são bastante utilizados por magos para armazenamento de energia mística, o que os torna eficientes na hora de direcionar poderosas rajadas elétricas e de calor contra inimigos desavisados. Típicas armas mágicas, capazes de penetrar na defesa de inimigos etéreos, celestiais ou com imunidade a dano físico, costumam ser feitas a partir de metais encantados por conjuradores de primeira linha.

Quando os metais são submetidos a temperaturas muito altas, eles acionam a sua passiva secreta: a maleabilidade. A maleabilidade é muito útil por possibilitar que um pedaço de metal, aparentemente inútil e sem nenhum valor, possa invocar todo seu potencial e assumir a forma de artefatos realmente poderosos, como porretes voltados ao esmagamento de crânios, adornos para patricinhas exibirem para as amigas pobres, armaduras de ouro e espinhos pontiagudos para armadilhas caseiras.

Os metais também são empregados na produção de objetos cotidianos altamente mortais, como baterias de fusca, arame farpado e facas de cozinha, a queridinhas dos slashers. No passado, alguns metais como o chumbo, devido a sua maleabilidade, eram muito usados também na confecção de recipientes para o aquecimento de vinho, conferindo à bebida um gosto doce e aos pinguços da época um grau avançado de psicopatia.

Sólidos metálicos também são bastante utilizados na criação de ligas metálicas, tornando objetos fracos e molengas um pouco mais parrudos e menos inúteis, tais como as panelas, a fim de evitar que sejam fundidas quando algum noob ter a brilhante ideia de submeter a comida a temperaturas que beiram a uma explosão domiciliar. Algumas ligas são usadas em bebedouros e outros objetos em que todo mundo mete a boca, e por conta disso devem ser devidamente esterilizadas higienizadas, já que podem ser excelentes acumuladores de bactérias, fungos, mosquitos-da-dengue, berne e secreção nasal purulenta.

MineraisEditar

 
Os minerais são sólidos visados em todo o universo, devido a sua alta capacidade de concentrar poderes cósmicos.
 Ver artigo principal: Mineral

Minerais são pedaços de pedra coloridos que ficam embaixo da terra. Minerais apresentam ainda mais propriedades mágicas que os metais, e costumam ser encontrados a preços colossais no mercado negro de magia. É muito comum minerais serem usados como ingredientes para rituais arcanos e outros tipo de macumba. Muitos minerais apresentam natureza elemental, o que geralmente costuma ser indicado por sua cor, fazendo dessa última a principal variável que magos e alquimistas consideram na hora de desenvolver uma poção de cura, de mana ou de veneno.

Os minerais também são o principal motivo da tristeza de gente pobre, pois são muito utilizados em joias, bijuterias ou em adornos de caixinhas de música que tocam Beethoven, coisas que um pobre trabalhador comum miserável assalariado não cogita ter nem em sonhos, devido a falta de perspectiva e a habitual negligência do Governo, que sempre procura formas novas de foder com a vida das pessoas.

Minerais costumam receber nomes inventados aleatoriamente (geralmente terminando com "ita" ou "ite), já que suas fórmulas químicas são tão aberrantes a ponto dos próprios químicos ficarem com preguiça de padronizá-las. Apesar disso, minerais são invejados por serem os mais belos sólidos encontrados na natureza, esbanjando de suas superfícies muito brilho, cor e purpurina glamour.

MadeiraEditar

 Ver artigo principal: Madeira

Madeira é um dos casos raros de sólido orgânico, muito utilizada em combates ninjas e como combustível para fogão de velhas caipiras. Embora a composição química da madeira se traduza num amontoado abissal de compostos químicos, os principais constituintes dela são celulose e lignina, ao passo que as demais moléculas só estão ali para encher linguiça e ocupar bioquímicos em busca da cura para o câncer ou para doenças gástricas.

A madeira em geral não é bem aceita pelo organismo, fazendo dela inadequada ao consumo humano e impossibilitando sua utilização como ingrediente para salada. Alguns tipos de madeira são ainda mais perigosos, servindo como palco para grandes bacanais de fungos pestilentos causadores de úlceras e pústulas. Madeira também pode ser utilizada como arma rústica, quando o guerreiro em questão é pobre demais e não tem grana para investir em equipamentos de metal.

VidroEditar

 
O vidro serve como matéria-prima para construção de vitrais, objetos muito comuns em igrejas, conhecidos por retratar diversas figuras religiosas.
 Ver artigo principal: Vidro

Vidro é o mais famoso dos sólidos amorfos, conhecido por enganar trouxas ao fingir que sua estrutura é cristalina, já que o cidadão comum não passa de um ignorante que tende a achar que tudo que é brilhante e afiado é cristalino. Assim como os demais materiais sólidos, o vidro pode ser utilizado como arma de destruição em massa ou como artefato para assassinatos, sendo especializado em dano físico do tipo "cortante".

Uma outra utilidade do vidro, além de seu potencial nato para esquartejamentos, é ser uma eficiente via para transmissão de tétano, sobretudo quando enterrado no chão ou perdido em meio a escombros. O vidro também é muito utilizado no campo das Artes por artistas que ninguém conhece, servindo como um importante material para elaboração de vasos carnavalescos, janelas de Igreja e esculturas de animais cafonas que enfeitam estantes de gente de mau gosto.

PolímeroEditar

 Ver artigo principal: Polímero

Polímeros são os únicos materiais conhecidos cujo princípio químico de formação é a monotonia. Para formar um polímero basta pegar uma molécula inútil qualquer e unir essa molécula com outras moléculas idênticas até que chegue a um ponto em que ela deixe de ser inútil e passe a servir para alguma coisa. A formação de um polímero, conhecida em química como reação de polimerização, dependerá do quão incompetente é a molécula inicial (chamada de monômero). Quanto mais inútil for o monômero, mais dificultosa será a polimerização.

Os polímeros em geral são moléculas titânicas, em sua maioria originárias do petróleo, servindo como a base de formação para diversos produtos que cedo ou tarde terminam jogados no mar ou em lixões a céu aberto, como plástico, sacolas de supermercado, potes de sorvete, isopor, garrafas de refrigerante vagabundo e CD's piratas.

BorrachaEditar

 Ver artigo principal: Borracha
 
Embora possa parecer inofensiva, o potencial de destruição da borracha jamais deve ser subestimado.

Borracha é um polímero que pode ser tanto natural como sintético. A borracha sintética é um material bastante utilizado na confecção de pneus, botinas de pescador e gomas de mascar. Borrachas possuem imunidade a dano elétrico, e uma de suas características mais marcantes é liberar um fedor horrível quando submetidas a qualquer fonte de calor.

O uso da borracha também é muito importante no setor da segurança pública, já que esse material serve como base para confecção de balas utilizadas por policiais e militares na repressão de manifestações pacíficas, revoltas populares ou qualquer tipo de descontentamento mútuo com determinado Governo sob o pretexto de "manter a ordem".

CerâmicasEditar

 Ver artigo principal: Cerâmica

Cerâmicas são os principais sólidos das faculdades de química, pois configuram-se no maior objeto de estudo dos TCC das áreas relacionadas. Todos os semestres, milhões de químicos e engenheiros químicos formam-se fazendo alguma avaliação, teste, estudo ou comparação entre as propriedades físicas e químicas de cerâmicas, sendo o tema de 8 a cada 10 apresentações. Muitas vezes o curso da faculdade em questão não tem sequer uma única grade sobre cerâmica, mas isso não impede que seja o assunto mais badalado entre os universitários, como se fosse uma espécie de tradição milenar.

A cerâmica é definida como sendo qualquer porcaria que pode ser criada a partir de argila. Os objetos cerâmicos, como pisos e vasos, são utilizados principalmente para enfeitar banheiros e acumular água parada, facilitando a proliferação de insetos, fungos e outras pragas enviadas por Satanás para reduzir o excedente populacional.

VitrocerâmicaEditar

 Ver artigo principal: Vitrocerâmica

Vitrocerâmica é uma aberração da natureza que une o potencial mutilador dos vidros com a capacidade natural das cerâmicas para conter água e servir como berçário para demônios transmissores de doenças. A vitrocerâmica provavelmente foi desenvolvida como uma tática que buscava a extinção humana, mas no fim acabou tendo sua utilidade distorcida para servir como matéria-prima para revestimento de placas de fogão e para imitações baratas de porcelana.

Ver tambémEditar