Maria-fedida

(Redirecionado de Fede-fede)
Maria-fedida
Caiu de costas só de rir de quem vai sentir o cheiro.
Caiu de costas só de rir de quem vai sentir o cheiro.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Artrofoda
Subfilo: Hexafoda
Classe: Insepto
Ordem: Emoptera
Família: Pentatomatedae
Gênero: Nazare
Espécie: Maria-fedida
nazare ridicula

Os percevejos fede-fede são os da família dos franceses pentatomídeos e coriscídeos, mas esse nome popular que adquiriram não faz nenhuma justiça à eles: Eles não fedem, apenas não cheiram bem, mas é só. Outro erro achar que isso seria um mecanismo de defesa: Não ser limpinho para deixar de atrair muitos predadores. Ora, claro que isso não é verdade, se assim o fosse, os peixes não seriam tão apreciados, inclusive por animais de faro bem aguçado. Nem é preciso citar muitas coisas, queijo, aqueles tais salgadinhos e outros, para entender que o cheiro ruim não é desculpa para não ser predado.

Início da fedentinaEditar

 
Qual dos dois é mais corajoso?

Os fede-fede, se não são essas criaturinhas kawai tão cheirosas para mecanismo de defesa, então porque seriam assim? Já vou te contar camaradinha, não por isso: Esse cheiro é tão somente uma vingança porque, esses besourinhos sugam uma pequena parte de seiva, deixando cerca de 30% de alguns tipos de grãos um pouco mais murchos, mas nada que chegue a ser considerado muchiba, mas como é uma ordem para os agricultores de que não podem repassar nada que não esteja intacto, eles acabam praticamente perdendo esses 30% da produção. O que ninguém explica é, como então a maioria do que se acha nos mercados é de meia-boca a feio mesmo, pois todos sabem que os perfeitos ou quase perfeitos, do que é colhido, é para exportação e um pouco pra as horti-frutis chiquetonas.

Na verdade, a parte que não é aceita de forma são as que serão processadas, por exemplo a soja de onde será extraído o conhecido óleo gordurento, isso significa que a frescura toda é culpa dos fábricas de óleo, esse é um dos exemplos. Seria até legal, se a consequência disso não fosse, para se livrar de meia dúzia de grãozinhos um pouco estilo maracujá de gaveta, não fossem colocados aqueles ditos pesticidas que acabam, daí sim, fazendo mal, primeiramente aos percevejos, que juram que nem chegam a ser pestes, apenas pegam um pouquinho da seiva de alguns dos grãos.

É nessa hora que ocorre a troca de revolta: A dos produtores contra a dos fede-fede, mas isso começou mesmo quando os primeiros pesticidas, que antes eram destinados apenas às pestes de verdade, foram dirigidas aos fede-fede, que naqueles tempos se chamavam cheirinho de alecrim. Esses percevejos acumularam muita prisão de ventre, palavrões não ditos, pulinhos de raiva... Mas isso tudo não era autocontrole, era puro chá de losna engolido com gosto total mesmo.

 
Encara aí.

Conhecendo bem como a natureza funciona, esses percevejinhos danados, sabiam que ia surgir uma coisa bem desgraçada para seus netos. Dito e feito, mesmo quando matavam os bichinhos, fosse do modo que fosse essa morte, eles deixavam no ar por muito tempo um cheiro que lembrava qualquer coisa desagradável, mas nada parecido com o que se conhecia.

Resultado cheirosoEditar

 
O Fede-fede nessa coloração já está cansado de largar tanto mau cheiro... Pode testar se quiser.

O cheiro liberado era(e é até os dias atuais), algo que não é apenas desagradável, é repulsivo, mas não é apenas repulsivo, lembra algo como veneno, ou gás toxico e dá vontade de correr para o mais longe disso. O pior ou o melhor de tudo: Ele não faz nada de mal, mas o cheiro é repelente.

Nada que se compare àquelas essências desgraçadas que há seres que insistem em colocar em produtos como perfumes e cremes e, há seres que insistem em se encher com aquilo, nada também, comparado à bufas largadas por aí pelos macaquinhos primatas, sobretudo seu tio engraçadão, que tudo certo:

 
Se o cheiro mudar de repente, a florzinha estava ocupada.

Flatulência cheirosa não existe, mas com aquela frequência e aquele grau de fedor, parece que ele está podre por dentro(não está?), mas o que ocorre com o odor dos fede-fede é que ele lembra algo tóxico, como veneno, ou algo assim.

A vontade de ficar o mais longe daquilo possível é inevitável, pois o cheiro embora não chegue a ser tão ruim quanto os já descritos, parece ao cérebro humano e de outros animais, que vai infectá-lo de alguma forma por causa da característica da fedentina, embora na verdade, não faça mal nenhum.

Isso porque nem um mero espirrozinho das narinas de alérgicos esse cheirinho saído gentilmente dos fede-fede, é capaz de provocar, o terror provocado é mesmo psicológico. Até aquele talquinho que sua mãe colocava em sua bunda e que, você usa até hoje, chega mais perto de ser nocivo.

Sentir tambémEditar