Mario Party 5

Virtualgame.jpg Mario Party 5 é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, o Donkey Kong mata o K. Roolenstein.


Cquote1.svg Já enjoei Cquote2.svg
Botini sobre o quinto Mario Party

Mario Orgy Party 5
Mario Party 5.jpg
Informações
Desenvolvedor Hudson Soft
Publicador Nintendo
Ano 2003
Gênero tabuleiro
Plataformas GameCube
Avaliação 30%
Idade para jogar Livre

Cquote1.svg PQP! Minhas moedas Cquote2.svg
Boo sobre Chomp

Cquote1.svg DONKEY KONG!!! O Zangief do Mario Party!! Cquote2.svg
Marco Bianchi revoltado com o corte de Donkey Kong como personagem jogável

Marioparty5.png Mario Party 5 é o Mario Party 4 com algumas mínimas modificações. Ele foi o primeiro fracasso da série que jamais venderia bem para o GameCube.

Nesse jogo Mario vai parar num mundo todo estranho, fruto da mente bizarra de Shigeru Miyamoto, tudo durante uma grave overdose de cogumelos. Nesse mundo mágico, muito próximos das trips de LSD você anda em tabuleiros e encara jogos de tabuleiro dentro do jogo de tabuleiro. Com vários minigames de ficar apertando o "A" sem parar e outros onde você gira roletas, você pode encontrar também um voleyball ao estilo bomberman.

HistóriaEditar

 
Um dos minigames com mensagens subliminares onde você precisa descobrir qual Petey Piranha tem os maiores tentáculos.

Tudo acontece numa terra muito distante, onde só os mais potentes cogumelos alucinógenos são capazes de te levar. Muito além do País das Maravilhas, nessa terra você se locomove em tabuleiros usando dados, e em cada final de turno você e mais três pessoas participam de algum joguinho realmente estranho, arrecadando assim moedas, e com essas moedas conseguir comprar maconha estrelas para revender no mercado negro em troca de crack. Mario então começa a conversar com estrelas e comer cogumelos, e assim começa o vício jogo.

 
Nos sonhos de Bowser...

Enquanto isso Bowser que depois de perder pela milésima vez a Peach, toma um sonífero e vira a Bela Adormecida, depois de sonhar até com o cu do Mario, Bowser tem alucinações e se junta a turma emaconhada de Mario para se aventurar na casa da Mãe Joana.

Modos de JogoEditar

No total existem 6 modos diferentes de jogo. Agora que Toad se juntou a festa, os apresentadores dessa algazarra são as desempregadas estrelinhas do Paper Mario, que por coincidência são os espíritos da depravação e mestres da suruba alheia.

 
Mario em seu estado normal.
  • Mini-Game Mode: Apresentado pela Estrela Musculosa, esse modo tira a chatice que é de vagabundear pelo tabuleiro e coloca apenas os minigames. Nele existe várias maneiras de jogar os minigames, mas o mais maluco é o Minigame Circuit que substitui os tabuleiros por uma pista de corrida.
  • Super Duel Mode: Apresentado pela Estrela Nerd. Nesse modo os jogadores fazem o uso do ecstasy e batalham em carroças motorizadas em uma espécie de carrinho bate-bate. O jogo também te dá a oportunidade de ficar catando ratos e pegar bandeirinhas, como uma alternativa do modo principal.
  • Options Mode: Apresentado por Tio1.jpg, as opções é um quartinho onde os personagens vão para se pegar se estar na frente das câmeras, afinal ninguém vai lá. As configurações possíveis para o quinto Mario Party é de ligar o vibrador do controle e ouvir os gemidos dos personagens.

JogabilidadeEditar

 
É só jogar na CPU que até as próximas gerações vão vir bugadas.

Além do modo História, uma das novidades do jogo e o que deixou ele mais insuportável do que antes, é a remoção do Donkey Kong dos itens, trazendo aquelas cápsulas de LSD que sua avó toma toda hora, a alegria é que elas ficam espalhadas pelo cenário onde você pode pega-las quando passar (se você não ficar tirando só 1 no dado) e é claro ainda tem as máquinas onde você pode comprar uma cápsula totalmente aleatória. Essas cápsulas podem ser jogadas no cenário tomando o lugar de um espaço comum, depois é só esperar um idiota a CPU passar por lá.

E para não ficar entediante nas primeiras 24 horas depois de jogar todos os tabuleiros, o jogo contám um modo combate com carros super poderosos e fodôes, também junto com o modo de bônus com minigames extras (que, eu não sei porque colocaram junto com os outros) e um jogo de cartas com tabuleiros, onde a única diferença do modo party é a ausência dos minigames e do ânimo para jogar.

Personagens JogáveisEditar

 
Exemplo do que que um coquetel com LSD dá.

Novos

TabuleirosEditar

 
Donkey Kong trazendo azar sorte.

CuriosidadesEditar

  • Toad roubou a aeronave do Magikoopa. Podemos reparar escrito ""Magikoopa Capsule" naquele troço.
  • Agora que o fantasma FDP é um personagem jogável, o Chomp é responsável por foder com suas moedas.
  • Existe no jogo diversas citações de Paper Mario: The Thousand-Year Door e Paper Mario, mas como você não jogou nem um, nem outro... tanto faz...
  • Donkey Kong continua fazendo merda, mesmo não sendo personagem jogável.
  • Você continua tirando um monte de 1 no dado.
  • As estrelas bônus estão mais apelonas do que nunca, desativa-las não vai adiantar nada, já que a CPU vai conseguir ganhar em tudo.
  • Das diversas alucinações que Mario e seu bando tem durante a jogatina, a mais curiosa é do Koopa Kid verde se achar o mais sexy dentre os seus irmãos vermelho e azul.