Polônio

Polônio
Polonio.png
Polônio em pastilhas e líquido, pra tu escolher qual vai misturar no café do teu desafeto
Símbolo, número Po, 84
Série metal esquecível
Principal isótopo 209Po
Propriedades atômicas
Massa atômica 209 cus
Dureza Molinho
Nível de radioatividade Altíssima
Nível de toxicidade Altíssima
Propriedades físicas
Comestível? Não recomendado
Inalável? Não recomendado
Posso passar na pele? Não recomendado
Onde encontrar laboratórios russos
ponto de fudição Dado irrelevante
ponto de rebuliço Dado irrelevante
Coisas de quadrinhos
Probabilidade de te transformar num super-herói Não, só te mata mesmo


Cquote1.svg Vou adicionar uma pitada de polônio aos meus ovos matinais! Cquote2.svg
Químico louco sobre Polônio
Cquote1.svg É bom mesmo, pois ter três braços o ajudaria bastante no trabalho Cquote2.svg
Outro químico sobre frase acima

Polônio é um metal esquecível da linha 6, coluna 16 da tabela periódica, que com mais um 6 confirma a conspiração putinista de dominação mundial. Com ele o governo russo faz praticamente tudo que Jesus não gosta, de envenenamentos a bombas atômicas, seria mais adequado chamar de rússio isso aí, já que polonês nenhum mexe com isso desde o século retrasado.

HistóriaEditar

Descoberto pelo supercasal Marie e Pierre Curie em 1898 e inicialmente chamado de rádio FM, em referência ao melhor passatempo da época, já que ainda não existia televisão, o que explica esses dois cavucando em troços megatóxicos 7 dias por semana. Como o já existente elemento rádio ameaçou processar por direitos autorais, acabaram mudando para polônio em homenagem à terrinha de Marie que na época, como sempre, tava em poder de outro país e não reconhecido pelas potências imperialistas malvadonas da Europa.

O elemento foi achado enquanto o casal analisava a causa da radioatividade do adamantium, porém a notoriedade dele só veio em 2006 quando o maligno Vladimir Putin achou esse treco e por ser totalmente desconhecido, viu que seria uma boa usá-lo para mandar seus inimigos pro outro lado. E assim amostras de polônio-210 foram misturadas ao sanduíche de presunto de um antigo espião russo que começava a rodear as fazendas de Putin na Dudinka, falando em Polônia o pobre foi parar na conta do então pontífice, o polaco Papa João Paulo II.

CaracterísticasEditar

O polônio é um elemento radioativo, altamente tóxico, que dissolve-se facilmente em ácidos de festas raves, embora tenha ele preferência por bebidas alcálicas alcóolicas. É mais eletronegativo e potente sexualmente que seus amiguinhos telúrio e selênio, ambos da mesma família.

Como polônio-210, é um metal volátil, que possui um baixo ponto de fusão e macheza, e metade dele vira a purpurina após 45 horas jogando Paciência (existe algo pior que isso?). Libera grande quantidade de viadagem energia quando mísero meio grama dele deteriora, emitindo um fulgor azul tóxico psicodélico.

AplicaçõesEditar

  • O polônio, em liga com o berílio pode ser empregado como uma inútil fonte de nêutrons.
  • Usado em escovas que removem a poeira acumulada em filmes fotográficos, pois coisas armazenadas desde a época do faraó Tutankhamon, só com limpador radioativo mesmo.
  • Utilizado para envenenamento de espiões russos.
  • Utilizado para envenenamento de espiões americanos.
  • Utilizado para envenenamento de espiões ingleses.
  • Utilizado para envenenamento de espiões argentinos.
  • Utilizado para envenenamento de sogras e sogros.