Santa Cruz de Goiás

Santa Cruz de Goiás é uma pequena vila do interior do sul de Goiás, outrora integrante do Reino de Caldas Novas mas que em 2017 foi anexada ao Reino de Pires do Rio.

HistóriaEditar

 
Uma luxuosa mansão de Santa Cruz de Goiás.

Cidade que orgulha-se de ser uma das primeiras e mais antigas cidade de Goiás, apesar de isso não significar porra nenhuma. Surgiu em 1730 quando anões pedreiros estavam caminhando para Cuiabá, e enquanto cantavam Churi Churin Fun Flays descobriram acidentalmente uma mina de ouro. Ignorando os conselhos do calor infernal que ali fazia, decidiram criar uma cidade por ali mesmo, e dessa desgraça surgiu Santa Cruz de Goiás.

O nome criativo da cidade vem do fato que ergueram uma cruz ali quando a Branca de Neve morreu.

Tantos anos de história e tão pouca coisa a se dizer. De acordo com lendas sustentadas em nenhum registro histórico, Santa Cruz de Goiás já foi a capital de Goiás, claro, talvez na época que o estado de Goiás se chamava Império Grão-Pará do Reino da Cocada Preta.

A cidade cresceu após a construção da ferrovia ligando Pires do Rio. Se aquilo cresceu? Só 3 mil habitantes. Em 1927 já era município, e até hoje nunca aconteceu nada de mais.

PopulaçãoEditar

Santa Cruz de Goiás possui uma pequena população de tradicionais 3.000 caipiras. Se considerarmos a humanidade como uma poça de vômito congelado, o povo de Santa Cruz de Goiás seria um meio digerido pedaço de cenoura, pois não é muito atraente, embora não seja tão nojenta quanto bílis (isso fica em conta de Brasília) e, possivelmente, com algum valor nutricional.

PolíticaEditar

Santa Cruz de Goiás é a única cidade do Brasil cujo prefeito eleito é o segundo colocado nas eleições municipais. Isso acontece porque o povo é burro e decide eleger políticos inelegíveis que desviaram 1 milhão de reais das contas da cidade usando recibos falsos de doações, dando trabalho aos juízes eleitorais. Também é a única cidade do país onde os prefeitos não tomam posse no dia certo porque os vereadores estão vagabundeando ao invés de trabalhar e não comparecem à câmara para dar posse ao novo prefeito.

EconomiaEditar

Cidade tosca, baseada no comércio de raspadinha de banana. Não há qualquer destaque na economia desse município.

TurismoEditar

Há belos rios e cachoeiras com um grande potencial turístico nos arredores da cidade, mas nunca vai passar de potencial, ainda mais com Caldas Novas e Rio Quente infinitamente melhores estando ali por perto. Até mesmo em puteiros perde pra Aparecida de Goiânia e Cachoeira de Goiás.