Sintaxe

Galvao-bueno-na-globo.jpg Este artigo é sobre algo ou alguém que enche o saco e é muito irritante. Se você vandalizar, ele será seu tormento pro resto da vida!


Cquote1.svg Você quis dizer: Falta do que fazer? Cquote2.svg
Google sobre Sintaxe
Cquote1.svg Você quis dizer: Os mano pow, as mina pá? Cquote2.svg
Google sobre Sintaxe
Cquote1.svg A sintaxe é o ramo da linguística que estuda os processos generativos ou combinatórios das frases das línguas naturais, tendo em vista especificar a sua estrutura interna e funcionamento Cquote2.svg
Professor Pasquale sobre Sintaxe

Sintaxe é o ramo da linguística que estuda os processos generativos ou combinatórios das frases das línguas naturais, tendo em vista especificar a sua estrutura interna e funcionamento. Basicamente, é como as frases possuem elementos. Sim, eu demorei 5 minutos copiando aquela citação do professor Pasquale à-toa. Duas vezes.

Os primeiros estudantes da Sintaxe foram os gregos, que ficavam horas e horas escrevendo o que falavam em papéis feitos com estrume de elefante. Literalmente, eles escreviam e liam na merda.

Quando se estuda sintaxe (isso, obviamente depois de fumar um baseado do tamanho do meu braço) se fala de uma análise combinatória do espaço indefinido objetivamente aplicado à língua portuguesa, ou seja, Power Rangers.

Funções SintáticasEditar

 
Na frase Ela é gostosa pra caralho, onde está o sujeito?
Resposta: Batendo uma na frente do PC

Bom, já que eles começaram e a gente é obrigado a estudar isso na escola, vamos ver passo a passo cada função sintática. Vai lá, clica e seja feliz, tá cheio de imagens pornô:

Termos Essenciais de uma OraçãoEditar

Pai nosso que estás nos céus

Sujeito

Assim como os times de futebol, as orações possuem a parte importante e a parte lixo dispensável. Os termos essenciais são essenciais, pois eles precisam estar na oração, ou você não entenderá nada. Siga-se um exemplo:

  Três negões foderam sua mãe ontem  

Como se vê, temos uma ação e alguém que a pratica. Se eu tirar quem a pratica ficará uma pergunta na sua cabeça (e outra coisa na cabeça de seu pai): quem praticou a ação? A esse chamamos de sujeito. O sujeito possui a palavra mais importante chamada núcleo do sujeito, que no caso é a palavra negões, pois não importa quantos foram, e sim que foram negões.


Predicado

Agora vem a parte que todos os estudantes erram no vestibular: o predicado. O predicado é o que sobra quando tiramos o sujeito. Macetinho pra você que não estuda e fica o dia inteiro lendo a Desciclopédia: predicado é a oração depois que você tira o sujeito. Exemplo:

  A menininha caiu do balanço pois não tinha braços  

Se tirarmos o sujeito da oração, a menininha, o que sobra é o que acontece na oração. O predicado não se preocupa com a lógica, pois, sinceramente, eu não sei o que uma menininha sem braços faria num balanço.

Existem três tipos de predicado: verbal, nominal e verbo-nominal. Dizemos verbal quando o verbo indica uma ação, nominal quando o verbo indica estado e verbo-nominal quando temos uma suruba.

Termos integrantes da OraçãoEditar

Santificado seja o Vosso nome

Objeto

O objeto é um objeto que completa o sentido de um verbo. Talvez você não tenha percebido, mas existe uma coisa chamada transição verbal. Humoristas fazem piadas sobre isso, chega a ser feio... Imagine os verbos que você mais usa, alguns deles não podem ficar sozinhos. Exemplo:

  Sua namorada gosta da minha pica  

Se eu usar apenas a expressão Sua namorada gosta, ficará um vazio no sentido da frase, na buceta dela e na sua cabeça de corno. Para o verbo gostar ter sentido completo existe minha pica. Isso faz o verbo minha pica ser o objeto da oração. O objeto pode ser direto, quando vem sem preposições, ou indireto, quando vem com uma preposição.

Complemento Nominal

Acho que o nome já diz o que ele faz. Infelizmente eu gosto de explicar na expectativa de que você tenha estudado em escola pública, então vejamos: O complemento nominal completa o sentido de um nome. Um nome pode ser um substantivo, adjetivo ou advérbio. Exemplo: