Spawn (jogo)

Virtualgame.jpg Spawn (jogo) é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Jake Peril fura o chão.

Spawn de Game Boy Color é um jogo de plataforma super genérico (tem lá até fase no esgoto - com morcegos - e a fase da moto) de 1 hora de duração desenvolvido por alguns estagiários da Konami num momento qualquer de folga. Por algum motivo há pichações do Korn por toda parte, talvez uma referência que é um jogo tão ruim e tão confuso quanto aquela banda.

Spawn Tosco
Spawn Game Boy Color cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Cu Nami
Publicador Cu Nami
Ano 1999
Gênero Plataforma genérico
Plataformas Game Boy Color
Avaliação 2/10
Idade para jogar Livre

JogabilidadeEditar

Spawn é um jogo de plataforma como outro qualquer do Game Boy Color, ou seja, bem mal feito mesmo e extremamente enjoativo, mantendo a utilidade daquele portátil apenas para Pokémon. O grande objetivo do jogo é coletar a fantasia de carnaval completa de um ninja chamado Spawn, o que inclui luvas e botas vermelhas de bolinhas brancas e um pedaço de cortina gigante para ser usada como capa.

Durante sua aventura para coletar todas as peças de sua fantasia de carnaval, Spawn pode pular, socar pessoas e catar pistolinhas e fuzis de bandidos para usar, as vezes atirando umas biribas que teoricamente são poderes demoníacos, mas a única coisa demoníaca nesse jogo é a chatice das fases todas idênticas.

Metade do jogo é sobre escalar fachadas de prédios e a outra metade sobre escalar montanhas. Na prática é um jogo sobre alpinismo urbano.

EnredoEditar

 
O último chefão na cutscene do jogo. A arte do jogo de Spawn foi inteiramente feito no Paint.

Controlamos um encrenqueiro gótico chamado Spawn que está num dia de surto psicótico e por isso se vestiu inteiramente sob um latex preto e ainda vestiu um corset vermelho por cima de sua roupa para escandalizar ainda. Por ser um fodido na vida e morar nos subúrbios, quando Spawn sai de casa ele está num beco cheio de tiozinhos de boina, as suas primeiras vítimas que tomam uns sopapos bem dados. Claro que Spawn não pode simplesmente andar pela cidade, ele tem que entrar no esgoto também antes de sair do outro lado da cidade e subir um prédio onde enfrenta o primeiro chefão, o Clown, que embora seja capaz de virar um demônio Violador, se mantém na forma de gordinha e fica apenas rolando igual um idiota. Ainda procurando a fantasia de carnaval perfeita, Spawn também visita uma academia, onde enfrenta um marombado chamado Overt-kill.

A segunda fase é a fase clichê da moto, que aliás ocupa pelo menos 1/3 do jogo inteiro já que a maldita estrada não acaba nunca, mas pelo menos Spawn faz uma boa ação ao matar Billy Kincaid, um vendedor de sorvetes pedófilo. No final de tanta arruaça na estrada Spawn é parado por uma agente do Detran chamada Priest, mas ao invés de te dar uma multa ela apenas fica pulando feito uma retardada, e acaba morta como todos outros chefes.

Na terceira fase Spawn decide ir para uma delegacia fazer uma queixa-crime contra discriminação por góticos, mas ele acaba discriminado na delegacia e todos policiais resolvem bater nele também, Spawn resolve isso indo para um beco agredir prostitutas e enfrentar Tremor, um rinoceronte bípede só sabe pular e depois subir um prédio para enfrentar o The Curse, um mago burro que só sabe pular... nessa altura o enredo já deixa claro que os demônios estão com alguma maldição que os impedem de ficar quietos.

Quando Spawn cansa de escalar edifícios na cidade ele então vai para uma estação espacial, exatamente, socar robôs e alienígenas, inclusive um robô defeituoso chamado Sentry... que na real é só mais uma subchefe repetitivo. O dono dessa estação espacial é ninguém menos que Redeemer, o único chefão mais diferentinho porque fica lá soltando seus Hadoukens.

 
Spawn chegando no carnaval do Rio de Janeiro, o que em algumas crenças cristãs é aceito como "inferno".

Em seguida Spawn descobre que "céu" não significava subir até a estratosfera e visitar uma estação espacial e que aquilo é apenas uma metáfora sobre o Paraíso, então Spawn dessa vez toma o caminho correto e vai até o Paraíso cristão de verdade, embora nem Dante Alighieri tenha previsto que o Paraíso seria um lugar cheio das aranhas-robô e infinitos cupidos atirando flechas em você. Quem defende o Paraíso não é nenhum arcanjo, mas sim um antigo pintos renascentista chamado Michaelangelo, que é só um brucutu e uma maluca de TPM chamada Tiffany que é a Priest da segunda fase reciclada com uma peixeira. Quando Spawn finalmente consegue a capa e sua fantasia completa, ele é assaltado por um crackudo "The Freak" que também toma porrada, e quando desce ao inferno precisa enfrentar Violator, um leproso com doença de Scheuermann que é estúpido como qualquer outro chefão desse jogo.

Agora que Spawn está com sua fantasia completa, a fase final secreta ocorre no carnaval do Rio de Janeiro (ou "inferno" como preferir), onde Spawn deverá lidar com rios de urina (que são como esteiras), caveiras, demônios, bandidos pegando fogo e fósseis de velociraptors. O último chefão é a avó do Spawn pelada, uma aberração chamada Malebolgia, que pode ser derrotado depois arremessar clones de Spawn em cima dela.

v d e h