Super Star Wars: Return of the Jedi

Virtualgame.jpg Super Star Wars: Return of the Jedi é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, um nerd bota cheat no Pokémon Ruby pra capturar um Missingno.

Cquote1.svg Utini! Cquote2.svg
Mais um jawa morrendo

Star Wars Super Impossível de Zerar
Super Star Wars Return of the Jedi cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor LucasArts
Publicador AVC, PQP
Ano 1994
Gênero Metal Slug de Star Wars
Plataformas Super Nintendo
Avaliação 2/10
Idade para jogar Livre

Super Star Wars: Return of the Jedi é o jogo que finaliza a série "Super Star Wars" não com uma chave de ouro, nem com uma chave de merda, mas sim com chave de braço (estrangulando o jogador e matando os neurônios do mesmo) ao oferecer um dos jogos mais impossíveis de se zerar da época do Super Nintendo.

JogabilidadeEditar

Seguindo o padrão dos dois jogos anteriores, Super Star Wars: Return of the Jedi é um jogo de plataforma daqueles cheios de armadilhas e muitas vezes com umas fases que exigem a precisão de um neurocirurgião atômico para conseguir pular naquela plataforma flutuante de 20 centímetros. Nessa versão, para imitar o Mario, há várias moedas espalhadas pelo cenário, todas valendo a mesma coisa que um documento que não prova nada, ou seja, moedas que nãos ervem pra comprar nem pão. Pra não dizer que estão copiando só o Mario, colocaram ainda um power up que dá temporariamente ao personagem o poder do Sonic, que pode sair correndo igual um maluco pirado nas drogas.

Os personagens disponíveis dessa vez são o Luke que apela com suas macumbas jedi, o Chewbacca que tem o pilão giratório como sua principal arma, e a Leia (que pode vir em três cosplays diferentes: Vestida de Boushh onde ela luta com um pedaço de pau, vestida de biquíni onde ela copia Castlevania com um chicote, ou vestida de rebelde). Mais pra fente dá pra usar Han Solo.

O jogo é considerado particularmente difícil porque agora além das toneladas de inimigos que vem de todas as partes do cenário preenchendo a tela de sprites de tiros, agora as fases são mais amplas, o que deixa qualquer um perdido.

 
A maldita última fase desse jogo. Seja lá o que esse diabo significa.

Há de se fazer um destaque em específico para a última fase desse jogo onde controlamos a Millenium Falcon em primeira pessoa invadindo o interior da Estrela da Morte. Tal fase foi arquitetada com a mesma tecnologia dos caleidoscópios e por usar apenas cores primárias numa espiral que lembra aquele clipe do The White Stripes, 60% dos jogadores que chegara até ali sofreram tonturas, 70% sofreram ataques epiléticos, 95% sofreram convulsões e caíram no chão tremendo o corpo inteiro como se fossem uma lagartixa com câimbra e várias mazelas causadas por Cinetose, o que coloca essa última fase no rank de uma das fases mais difíceis da historia do videogame, precisando ser jogada após 12 horas de jejum, para evitar vômitos por enjoo.

EnredoEditar

O jogo começa numa inocente fase de F-Zero onde Luke, Leia e Chewbacca estão dirigindo um Landspeeder e precisam desviar de enormes pilhas de cocô, como forma de introduzir o jogador ao cenário de Tatooine. Mas quando a primeira fase realmente começa, naquele deserto maldito cheio de pássaros, Luke volta a se sentir em casa, pois o que melhor sabe fazer é assassinar pássaros e jawas.

Quando Luke, Leia e Chewie chegam no puteiro do Jabba, obstinados em resgatar o amigo Han Solo, descobrem que naquele puteiro não vivem apenas Twi'leks prostitutas, mas também um monte de orcs, monstros genéricos e até jawas. Aliás, é logo nessa fase que 80% das pessoas já desistem do jogo, quando a tela fica amontoada de inimigos atirando coisas de todos os lados, mas caso o jogador não desista ele pode enfrentar o mordomo do Jabba, o Bib Fortuna, que embora nos filmes faça nada, no jogo nos é revelado que sua habilidade secreta é o poder de cuspir duas bolinhas de gude nos outros.

 
Luke Skywalker invadindo o puteiro de Jabba, matando as putas e cafetãos todos.

Enquanto Leia tentou invadir o puteiro de Jabba pela porta da frente (e acaba sendo capturada e transformada numa putinha daquele cabaré), Luke vai pelos esgotos, um lugar escuro e estranhamente cheio de esteiras. Dado a quantidade de inimigo ali embaixo (incluindo jawas), seria melhor ter invadido pela porta da frente logo, até porque o chefão final é um sapo obeso que ocupa metade da tela e causa dano só de relar em você. Não satisfeito em perambular nesses esgotos, ainda tem uma fase numa caverna cheia de ossos de dinossauro (e mais jawas) onde no final enfrentam Rancor, aquele boneco que Luke precisa enfrentar nos filmes.

Ainda nessa saga contra Jabba, Luke precisa enfrentar seus pior inimigo, o buraco infinito, pois a nave do Jabba está voando alto e suas laterais são cheias de plataformas fininhas que um pulo errado te manda pro abismo. O lugar ainda é guardado por orcs de lança e machado e o chefão final é um Cthulhu marrom, enquanto a Leia de biquíni enfrenta Jabba que por ser obeso está sobre uma esteira para se movimentar e ao atacar fica vomitando ratos.

Só então que Luke vai para Endor, começando na fase da moto na floresta, fase obrigatória para todo jogo de Star Wars que ocorra no Episódio VI. Luke está naquela moto tentando encontrar a cidade dos Ursinhos Carinhosos onde ele foi contratado para controlar as pragas locais (lembre-se que já no primeiro jogo Super StarWars nos foi revelado a profissão de Luke de dedetizador), mas como Luke se atrasa por estar brincando de corridinha de moto, controlamos o Ursinho Carinhoso que precisa defender sua vila de uma infestação de insetos gigantes, gosmas purulentas e dinossauros, tudo com base em flechas infinitas que podem usar como escada.

Luke então chega na fábrica do Guaraná Dolly, localizada no meio da selva amazônica, não ficando muito bem especificado o que ele foi fazer ali. E como tem uma fase com a Millenium Falcon, mesmo que pilotada pelo Lando, então também tem a obrigatória fase da torreta. Han Solo, aliás, é quem invade a fábrica do Guaraná Dolly e destrói a fórmula secreta desse refrigerante maldito.

Na sequência final, Luke invade as instalações secretas da Google, onde descobre um ardiloso projeto em parceria com a Boston Dynamics. Então num acesso de fúria ele sai destruindo todos os robôs que vê pela frente, até no final enfrentar o chefe desses robôs, um tal de Darth Vader (reciclado do jogo anterior). Depois ainda tem o confronto final contra o CEO da Google, um idoso chamado Palpatine que solta raios pra todo canto.

Quanto a última fase, o autor desse artigo não conseguiu concluí-la porque após 10 segundos naquela espiral maluca começou a vomitar, mas assistindo o filme O Retorno do Jedi que não causa esse enjoo, sabe-se que conseguiram destruir a Estrela da Morte. Aparentemente com o Luke dentro.