Total Recall (jogo)

Virtualgame.jpg Total Recall (jogo) é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, um tanque com metralhadora fuzila um monte de soldados.

Total Recall é só mais um dentre a infinidade de jogos imprestáveis para NES, lançado ali em 1990 numa época que não existia qualquer controle de qualidade. Um jogo que se diz baseado em filme mas que não tem nada a ver com O Vingador do Futuro, mantendo assim a tradição da desenvolvedora Ocean Software em só fazer jogos baseados em filmes sem se basear nos filmes.

Mais um Jogo Genérico para NES
Total Recall NES cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Ocean Software
Publicador Ocean Software
Ano 1990, 1991
Gênero Plataforma
Plataformas NES
Avaliação 2/10
Idade para jogar Livre

DesenvolvimentoEditar

O jogo foi desenvolvido pela Ocean Software, empresa famosa por adaptar de forma cagada vários filmes clássicos dos anos 80. Com Total Recall eles não decepcionaram e mantiveram seu estilo de fazer um jogo sem sequer assistir o filme. Hackearam o Super Mario Bros. 1, colocaram um boneco genérico no lugar, removeram a parte de pular na cabeça dos outros e fizeram a fanfic deles.

JogabilidadeEditar

 
No ano de 2084, época em que se passa o jogo, descobrimos que nesse mundo distópico existem glory holes ao ar livre em plena calçada.

Neste jogo de Total Recall controlamos uma versão alternativa de Arnold Schwarzenegger no qual ele tem um bracinho de tiranossauro e mesmo assim usa esse golpe de curtíssimo alcance para bater nos diversos bandidos que surgem na tela. Trata-se de um jogo de plataforma clássico sobre ir pra frente pra trás batendo em tudo que se mover. Os maiores inimigos são mendigos, glory holes, policiais e motoqueiros marcianos.

EnredoEditar

Por ser um jogo da Ocean Software, não há qualquer comprometimento com o enredo do filme, sendo portanto uma fanfic nada a ver com o que você assiste no filme, então se você espera olhos esbugalhados na atmosfera de Marte, aliens de três tetas, ou qualquer cena icônica do filme, você não achara isso no jogo. Arnold está vestido verde e ele apenas está ali espancamento de mendigos, lidando com bolas de aço caindo do teto de um esgoto, tentando fugir de cachorros estupradores de bunda, desviando de bandidos dentro de lixeiras, sendo puxado por bandidos para um beco.

Para não ser injusto com a adaptação, pelo menos o jogo trás a clássica cena de violência doméstica onde o Arnold enfia a porrada na Sharon Stone e enche ela de bala. E também a cena onde Arnold vira um esqueleto no metrô.

Após bater na mulher, Arnold entra nos esgotos onde passa a bater nuns mendigos numa clara demonstração de intolerância, não surrando eles apenas uma vez, mas duas vezes, porque após roubar uma maleta no final do esgoto ele volta pelo mesmo caminho espancando os mesmos mendigos de antes.

Para fugir da polícia, Arnold pega um avião para a floresta amazônica do futuro do ano de 2084, ou seja, um local completamente desmatado e desolado habitado apenas por umas estranhas tigelas voadoras que cospem bolinha de gude. No futuro os carros andam apenas em linha reta, e para fazer curva primeiro tem que se deslocar lateralmente e então seguir em linha reta, havendo uma fase nesses carros do futuro.

Um próximo destino de Arnold é uma favela onde as pessoas urinam fogo, existem esqueletos vivos e subir escadas é um problema porque chovem pedras do céu. Por último Arnold visita a sede da Eletropaulo onde ele estoura um cano da Sabesp e reativa o rio Amazonas, limpando a crackolândia e concluindo seu objetivo no jogo.