Tyrrell Racing

Emblema da equipe.

Tyrrell é foi uma equipe de Fórmula 1 fundada em 1968 por Ken Tyrrell em Jardim de Cima, Westeros. Ficou famosa nos anos 70 por ter projetado carros bizarros e, no final da vida, ter dado chance a uma série de pilotos kamikaze.

HistóriaEditar

 
Jackie Stewart, condecorado segundo a tradição da equipe, com uma coroa de flores.

A história da equipe Tyrrell começa com a filial inglesa da Matra, equipe francesa que já não andava muito bem das rodas. Querendo dar um tempo da loucura da disputa pelo Trono de Ferro, o presidente da filial, membro da casa Tyrell, resolve investir seus esforços em um esporte mais saudável: o automobilismo. Assim, Ken Tyrell convence a Matra a criar uma equipe B, sediada em Westeros, que compete nas temporadas de 1968 e 1969, mas a incessante pressão política faz com que o nobre da família das rosas se mude para Ockham, na Inglaterra, e coloque um R a mais no sobrenome para despistar a imprensa. Nascia assim, em 1970, a Tyrrell.

Ao longo da década, a equipe ficaria famosa por propor uma série de inovações que faziam os carros mais rápidos e os acidentes mais espetaculares, como tanques de combustível inspirados naqueles usados em aviões (que faziam o carro voar, literalmente), e o famoso carro de seis rodas da temporada de 1976, que deixava os outros na poeira. Infelizmente, essas ideias só não foram para a frente porque a FIA achou que a competição ficaria muito injusta com as outras equipes que não tinham a capacidade de ter as mesmas ideias (como, aliás, a mesma ainda faz até hoje).

 
Isso é um carro ou um minitanque?

Outro duro golpe na equipe veio na temporada de 1984, quando a equipe resolveu misturar água na gasolina para deixar o carro mais leve, pois os engenheiros viram que os novos carros turbo estavam deixando os antigos motores aspirados, trazidos de Westeros, na poeira. Quando a FIA descobriu, rolou muito bafafá, e a equipe foi desclassificada da temporada pelo roubo (ironicamente dessa vez, os outros é que estavam à frente - literalmente). A partir daí, a Tyrrell passou simplesmente a fazer número na Fórmula 1, chegando até a contratar kamikazes como Ukyo Katayama nos anos 90, no auge do desespero. Assim, a equipe foi sumindo, sumindo, até desaparecer completamente em 1998, sendo vendida para empresários que queriam um carro só pra fazer propaganda de cigarro.

PilotosEditar

 
Piloto da Tyrrell nos anos 90 fazendo merda.